Clima de tensão leva Rio a negociar com Costa fora do Parlamento

Inácio Rosa / Lusa

A primeira semana de Rui Rio não foi um mar de rosas. O novo líder prepara-se para enfrentar o partido e negociar com o Governo directamente sem passar pelo grupo parlamentar do PSD, caso a contestação dentro do partido continue.

A mensagem do novo líder do PSD é clara: Rui Rio não quer entrar em choque direto com os seus críticos, mas também não está disponível para ceder nas suas intenções para o partido. Desta forma, vai segurar Fernando Negrão, da mesma forma que segurou Elina Fraga.

Ao Público, um membro da atual direção do PSD afirmou que Rio “não é a favor de consensos podres e não clarificadores. Um outro membro da direção acrescentou que “se for preciso Rio conduzirá a sua estratégia de entendimento com o PS para levar a cabo reformas no país fora do Parlamento, através dos grupos de trabalho que vão negociar com o PS a descentralização e fundos estruturais do Portugal 2030″.

Esta decisão de enfrentar o próprio partido e negociar com o Governo diretamente sem passar pelo grupo parlamentar do PSD é mais um ataque à contestação que Rui Rio enfrenta depois de Fernando Negrão ter sido eleito por uma minoria de votos.

Há quem fale em “golpe palaciano“, mas Rui Rio deverá prosseguir a sua agenda por outros meios e cumprir os seus objetivos.

Porém, se há quem aponte o dedo a Rui Rio, há também que o aponte o dedo aos deputados. Um dirigente afirmou ao jornal que o que os deputados estão a fazer em relação a Negrão “não reflete o resultado do congresso que foi de unanimidade e consenso”.

“O doutor Fernando Negrão teve a unanimidade do grupo parlamentar para, há dois anos, ser o candidato do PSD à presidência da Assembleia da República e agora, que é escolhido pelo doutor Rui Rio, tendo sido porta-voz da campanha do doutor Santana Lopes, não serve?”, questiona. “Há deputados que não perceberam a mensagem do congresso“.

Clima de tensão vai a exame na próxima quinta-feira

Na próxima quinta-feira, Fernando Negrão fará a sua primeira reunião da bancada, enfrentando os deputados que depositaram 32 votos em branco e 21 votos nulos.

O novo líder parlamentar quer envolver todos os deputados na nova estratégia do partido. Numa entrevista à SIC, garantiu que não irá esforçar-se para descobrir quem foram os elementos da sua lista que não votaram nele.

Ainda assim, classificou de “ridícula” a crítica do deputado Sérgio Azevedo, face ao seu desvalorizar dos votos de protesto e reduziu a opinião de Paula Teixeira da Cruz de que não teria legitimidade a “uma interpretação jurídica”, avança o jornal.

Mas a grande dúvida que irá continuar a pairar no ar é se esta guerra no PSD fica por aqui, se continua, ou se, por outro lado, a estratégia dos críticos é fragilizar Rui Rio e pôr a sua liderança em causa ainda antes das legislativas ou se esperam pelo final de 2019.

“Depende de como ele aguentar isto tudo. A equipa dele já está partida, Lisboa vai cilindrá-lo, no Parlamento vai ser muito difícil”, admite um dos ‘montenegristas’, a ala que nasceu no PSD depois do congresso do último fim-de-semana, ao Público.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. “[…]por outro lado, a estratégia dos críticos é fragilizar Rui Rio e pôr a sua liderança em causa ainda antes das legislativas ou se esperam pelo final de 2019[…]

    Haverá sempre algum azedume ideológico de uma certa ala do PSD para com Rui Rio. São os Santanistas/Cavaquistas neoliberais e para eles um Rui Rio que quer que o Partido Social Democrata seja “social democrata”, não agrada. É uma gente que já tinha dada como adquirida a ideia de ter um PSD colado às ideologias do PPE (ao qual apenas o CDS deveria pertencer ideológicamente).

    Uma gentinha que tem ainda esperanças de derrubar Rui Rio com estas manobras de bastidores e de contra-propaganda… Como se isso fosse possível ou sequer desejável. Eles não compreendem que mesmo que isso tivesse alguma hipótese de acontecer, o único resultado prático sería atirar o PSD para uma crise de estabilidade e credibilidade sem precedentes, empurrando muitos dos seus votantes para o PS.Ou então o objectivo é empurrar votos para os “conservadores” do CDS e é para lá que esperam tranferir os descontentes do PSD.

  2. Os parlamentares do PSD estão a dar um espectáculo deplorável ao país.
    Mais interessados nas suas vidinhas do que no país e no partido que (não) representam.
    Costa pode dormir descansado…

  3. O problema que o Rio tem de resolver é afrontar os interesses instalados de um grupo de baronetes que não representam o partido nem o país, porque escolhidos a dedo nas “universidades de verão”. O que está em linha com o “elitismo” que já vem dos tempos do prof. Cavaco, sendo o exercício do poder a única coisa que une o “saco de gatos” da bancada parlamentar.
    Sem uma base ideológica forte, a única coisa que os une são os interesses individuais e de grupo. Razão tem o Carlitos – Costa pode dormir descansado !

RESPONDER

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …

O fim das consolas está à vista. Google lança serviço de videojogos na "nuvem"

A Google apresentou o seu novo serviço de jogos na "nuvem", Stadia, na Game Developers Conference (GDC), em São Francisco. O serviço não precisa de nenhuma consola e pode ser jogado em qualquer plataforma. O CEO …

Câmaras escondidas em hotéis filmavam hóspedes sem consentimento

O escândalo foi revelado na Coreia do Sul, onde dois homens foram presos por esconder câmaras em hotéis, que transmitiam as imagens em direto para um site, onde havia quem pagasse dinheiro para ver as …

Mesquita Nunes quer ser feliz (e que haja espaço nos partidos para quem tem vida profissional)

Adolfo Mesquita Nunes defende que "tem de haver espaço nos partidos para quem tem vida profissional". O antigo vice-presidente do CDS/PP apresentou a sua demissão do partido para assumir funções na administração da Galp. "Tem a …

Finlandeses são o povo mais feliz do mundo

A Finlândia lidera, pelo segundo ano consecutivo, um ranking da ONU das populações mais felizes, onde os investigadores dizem que os níveis de felicidade no mundo estão a diminuir. O Relatório Mundial sobre a Felicidade de …

Condenado por homicídio com provas semeadas pela Polícia vai receber 13 milhões de dólares

O Conselho de Supervisores de San Francisco, nos Estados Unidos (EUA), aprovou na terça-feira uma indemnização de 13,1 milhões de dólares (cerca de 11,5 milhões de euros) a um homem que passou mais de seis …

Manhattan vai crescer para se proteger das mudanças climáticas

O responsável de Manhattan, Bill de Blasio, anunciou o seu plano de expandir o litoral de Manhattan até o East River para proteger a parte baixa de Manhattan, centro dos mercados financeiros da cidade, dos …