Clima de tensão leva Rio a negociar com Costa fora do Parlamento

Inácio Rosa / Lusa

A primeira semana de Rui Rio não foi um mar de rosas. O novo líder prepara-se para enfrentar o partido e negociar com o Governo directamente sem passar pelo grupo parlamentar do PSD, caso a contestação dentro do partido continue.

A mensagem do novo líder do PSD é clara: Rui Rio não quer entrar em choque direto com os seus críticos, mas também não está disponível para ceder nas suas intenções para o partido. Desta forma, vai segurar Fernando Negrão, da mesma forma que segurou Elina Fraga.

Ao Público, um membro da atual direção do PSD afirmou que Rio “não é a favor de consensos podres e não clarificadores. Um outro membro da direção acrescentou que “se for preciso Rio conduzirá a sua estratégia de entendimento com o PS para levar a cabo reformas no país fora do Parlamento, através dos grupos de trabalho que vão negociar com o PS a descentralização e fundos estruturais do Portugal 2030″.

Esta decisão de enfrentar o próprio partido e negociar com o Governo diretamente sem passar pelo grupo parlamentar do PSD é mais um ataque à contestação que Rui Rio enfrenta depois de Fernando Negrão ter sido eleito por uma minoria de votos.

Há quem fale em “golpe palaciano“, mas Rui Rio deverá prosseguir a sua agenda por outros meios e cumprir os seus objetivos.

Porém, se há quem aponte o dedo a Rui Rio, há também que o aponte o dedo aos deputados. Um dirigente afirmou ao jornal que o que os deputados estão a fazer em relação a Negrão “não reflete o resultado do congresso que foi de unanimidade e consenso”.

“O doutor Fernando Negrão teve a unanimidade do grupo parlamentar para, há dois anos, ser o candidato do PSD à presidência da Assembleia da República e agora, que é escolhido pelo doutor Rui Rio, tendo sido porta-voz da campanha do doutor Santana Lopes, não serve?”, questiona. “Há deputados que não perceberam a mensagem do congresso“.

Clima de tensão vai a exame na próxima quinta-feira

Na próxima quinta-feira, Fernando Negrão fará a sua primeira reunião da bancada, enfrentando os deputados que depositaram 32 votos em branco e 21 votos nulos.

O novo líder parlamentar quer envolver todos os deputados na nova estratégia do partido. Numa entrevista à SIC, garantiu que não irá esforçar-se para descobrir quem foram os elementos da sua lista que não votaram nele.

Ainda assim, classificou de “ridícula” a crítica do deputado Sérgio Azevedo, face ao seu desvalorizar dos votos de protesto e reduziu a opinião de Paula Teixeira da Cruz de que não teria legitimidade a “uma interpretação jurídica”, avança o jornal.

Mas a grande dúvida que irá continuar a pairar no ar é se esta guerra no PSD fica por aqui, se continua, ou se, por outro lado, a estratégia dos críticos é fragilizar Rui Rio e pôr a sua liderança em causa ainda antes das legislativas ou se esperam pelo final de 2019.

“Depende de como ele aguentar isto tudo. A equipa dele já está partida, Lisboa vai cilindrá-lo, no Parlamento vai ser muito difícil”, admite um dos ‘montenegristas’, a ala que nasceu no PSD depois do congresso do último fim-de-semana, ao Público.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. “[…]por outro lado, a estratégia dos críticos é fragilizar Rui Rio e pôr a sua liderança em causa ainda antes das legislativas ou se esperam pelo final de 2019[…]

    Haverá sempre algum azedume ideológico de uma certa ala do PSD para com Rui Rio. São os Santanistas/Cavaquistas neoliberais e para eles um Rui Rio que quer que o Partido Social Democrata seja “social democrata”, não agrada. É uma gente que já tinha dada como adquirida a ideia de ter um PSD colado às ideologias do PPE (ao qual apenas o CDS deveria pertencer ideológicamente).

    Uma gentinha que tem ainda esperanças de derrubar Rui Rio com estas manobras de bastidores e de contra-propaganda… Como se isso fosse possível ou sequer desejável. Eles não compreendem que mesmo que isso tivesse alguma hipótese de acontecer, o único resultado prático sería atirar o PSD para uma crise de estabilidade e credibilidade sem precedentes, empurrando muitos dos seus votantes para o PS.Ou então o objectivo é empurrar votos para os “conservadores” do CDS e é para lá que esperam tranferir os descontentes do PSD.

  2. Os parlamentares do PSD estão a dar um espectáculo deplorável ao país.
    Mais interessados nas suas vidinhas do que no país e no partido que (não) representam.
    Costa pode dormir descansado…

  3. O problema que o Rio tem de resolver é afrontar os interesses instalados de um grupo de baronetes que não representam o partido nem o país, porque escolhidos a dedo nas “universidades de verão”. O que está em linha com o “elitismo” que já vem dos tempos do prof. Cavaco, sendo o exercício do poder a única coisa que une o “saco de gatos” da bancada parlamentar.
    Sem uma base ideológica forte, a única coisa que os une são os interesses individuais e de grupo. Razão tem o Carlitos – Costa pode dormir descansado !

RESPONDER

Bruno de Carvalho suspeito de tirar meio milhão de euros ao Sporting

Duas avultadas transferências de dinheiro, que saíram do Sporting a 24 de junho, estão sob suspeita. Estão em causa cerca de meio milhão de euros que terão sido pagos a duas construtoras. Não se sabe exatamente …

Bombeiros não informaram Proteção Civil de 50% das ocorrências

O corte de relações entre os bombeiros voluntários e a Proteção Civil está a fazer-se sentir. Os bombeiros não informaram a Proteção Civil de 50% das ocorrências no país. A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) …

Funcionários públicos que continuem no ativo depois dos 70 não vão perder dinheiro

Os trabalhadores da Função Pública com mais de 70 anos que queiram continuar a trabalhar e, que para isso tenham a autorização do Estado, vão passar a receber, além do salário a que têm direito, …

Viagens podem obrigar deputados a entregar novas declarações de rendimentos

Os deputados podem ter de alterar as declarações de rendimentos para incluírem o reembolso das despesas de transporte como “rendimentos do trabalho”. A notícia foi avançada esta manhã pelo Diário de Notícias e surge depois de, …

Portugal já não deve ao FMI. Pagamento antecipado poupa 100 milhões de euros

O ministro das Finanças, Mário Centeno, anunciou que Portugal concretiza esta segunda-feira o pagamento do total da dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), com a liquidação de 4,7 mil milhões de euros. Numa conferência de imprensa …

37% dos portugueses rezam diariamente. Somos o 9º país mais religioso da Europa

Portugal é um dos países mais religiosos da Europa, ocupando a nona posição, à frente de Itália (13.º) e de Espanha (16.º), com 44% da população a afirmar a sua crença absoluta em Deus. Estes dados …

Rui Rio acusa Governo de discriminação salarial

O presidente do PSD, Rui Rio, disse esta segunda-feira não compreender a proposta do Governo, que determina um salário mínimo diferente para o público e para o privado, defendendo que não deve haver discriminações. "Não compreendo. …

China e EUA discutem calendário de negociações para acabar com guerra comercial

O breve comunicado de Pequim indica que foi discutido "o calendário das próximas consultas económicas e comerciais", sem precisar, no entanto, onde e quando terão lugar. Negociadores chineses e norte-americanos discutiram por telefone um calendário de …

Sindicatos voltam ao Ministério das Finanças para discutir aumentos salariais

Os aumentos salariais na função Pública são esta terça-feira de novo discutidos entre as estruturas sindicais do sector e a secretária de Estado da Administração Pública, Maria de Fátima Fonseca. A Frente Comum de Sindicatos da …

Brexit. Juncker garante que "não há qualquer espaço" para renegociação

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, garantiu esta terça-feira no Parlamento Europeu que o texto do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) não vai ser renegociado. "Estou espantado, porque chegámos a …