/

Cientistas descobrem “temível dragão” que sobrevoou os céus da Austrália

(dr) Adobe stock

Impressão artística do Thapunngaka shawi

Esta nova espécie de pterossauro teria “mandado” nos céus do nordeste da Austrália, há cerca de 110 milhões de anos. 

De acordo com o site EurekAlert!, uma equipa de cientistas analisou um fóssil da mandíbula desta espécie, agora batizada Thapunngaka shawi, que tinha sido descoberto, em 2011, em Wanamara Country, no noroeste de Queensland.

“É a coisa mais próxima que temos de um dragão da vida real. Este novo pterossauro teria sido uma fera temível, com uma boca em forma de lança e uma envergadura de cerca de sete metros”, explica Tim Richards, investigador da Universidade de Queensland que liderou a pesquisa.

O investigador, cujo estudo foi publicado na revista científica Journal of Vertebrate Paleontology, disse ainda que só o crânio teria pouco mais de um metro de comprimento, contendo cerca de 40 dentes, o que seria perfeito para agarrar os muitos peixes que habitaram o já inexistente Mar Eromanga, naquela região do país.

Segundo o mesmo site, a nova espécie pertencia a um grupo de pterossauros conhecido como Anhangueria, que viveu em todos os continentes durante a última parte da Era dos Dinossauros.

Como estavam perfeitamente adaptados a voar, os ossos dos pterossauros eram finos e relativamente ocos. Devido a essas características, os seus fósseis são raros e, quando existem, normalmente estão mal preservados. Por isso, Richards considera “incrível a existência por si só de fósseis destes animais”.

“Pelos padrões mundiais, o registo de pterossauros australianos é pobre, mas a descoberta do Thapunngaka contribui muito para a nossa compreensão da diversidade de pterossauros australianos”, declarou.

O nome desta nova espécie homenageia os povos indígenas que viveram onde o fóssil foi encontrado, incorporando palavras da língua já extinta da nação Wanamara.

“O nome do género (Thapunngaka) incorpora as palavras ‘thapun’ e ‘ngaka’, que significam ‘lança’ e ‘boca’, respetivamente. O nome da espécie (shawi) homenageia Len Shaw, a pessoa que descobriu o fóssil, então o nome significa ‘boca de lança de Shaw’“, explicou Steve Salisbury, co-autor do estudo.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.