Televisões e jornais franceses vão deixar de publicar imagens de terroristas

Alberto Estevez / EPA

Vários jornais e canais de televisão em França anunciaram que vão deixar de publicar imagens de terroristas. A decisão surge depois da vaga de atentados que vem assolando o país e pode levar o governo francês a criar uma lei especial para generalizar a medida.

O jornal Le Monde, o France Info, o canal de televisão BFM TV, o jornal católico La Croix, bem como o grupo France Médias Monde (que inclui as cadeias RFI, France 24 e MCD), estão entre os que decidiram que não voltarão a publicar as fotografias de terroristas. E a Europe 1 decidiu que não vai divulgar sequer os seus nomes.

São medidas que pretendem “evitar eventuais efeitos póstumos de glorificação“, conforme explica o director do Le Monde, Jérome Fenoglio, num editorial intitulado “Resistir à estratégia do ódio”.

O jornalista diz que a “batalha” contra o terrorismo não pode ser apenas uma preocupação para as forças de segurança e para os políticos, mas que “respeita a todos os componentes da sociedade”, nomeadamente aos sites de informação e aos jornais.

Em declarações ao France Info, Jérome Fenoglio acrescenta que o Le Monde não voltará a publicar fotos “extraídas do passado dos terroristas” ou aquelas que possam ter sido tiradas por estes “antes da passagem ao acto” e que possam ser encaradas como “uma forma de glorificação póstuma”.

Fenoglio explica que o jornal Le Monde já tinha recusado publicar uma imagem do terrorista de Nice, em que ele aparece a mostrar os músculos, por a considerar “inutilmente chocante, indecente e pouco informativa”.

No entanto, o jornal vai continuar a divulgar informações sobre os terroristas, nomeadamente nomes, perfis ou “fotos de captura de ecrã como provas indubitáveis da sua presença num lugar antes de um atentado” ou ainda imagens de “documentos de inquérito”, explica Fenoglio.

“Para poder lutar contra o mal, é preciso poder continuar a explicá-lo, a investigar, a comparar, a fazer o nosso trabalho de jornalista”, conclui o director do Le Monde.

Já o director adjunto da BFM TV, Alexis Delahousse, salienta que, em termos de imagens, o canal vai publicar apenas “os avisos de procura difundidos pelas forças da ordem e que podem ajudar os investigadores”.

Por outro lado, órgãos de comunicação como os jornais Libération e Le Figaro, ou como o canal France Television, não aderem a esta ideia, considerando que divulgar as fotos dos terroristas não é o mesmo que glorificar os seus actos ou o terrorismo.

Esta falta de consenso estará a levar a Secretária de Estado de Ajuda às Vítimas, Juliette Méadel, a estudar a possibilidade de criar um projecto de lei que vincule todos os média aos mesmos princípios, nomeadamente no sentido de os proibir de divulgar a identidade dos terroristas, aquando de novos atentados, conforme avança a rádio RFI.

SV, ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente medida. Vem ela de encontro àquilo que por diversas vezes tenho tentado demonstrar; quanto maior for a exploração das imagens, das noticias e das sequelas maior será o desejo de continuar a saga para ganhar publicidade e provocar o medo nos cidadãos. Ainda bem que a França toma esta decisão e bom seria que todos os restantes paises da Europa seguissem este exemplo. Nem noticias nem imagens. Silêncio absoluto. A frustração tomará lugar junto daqueles que procuram um momento de glória. Nem que seja â custa de inocentes.

    • Também concordo com a medida. Deverá haver discernimento até que ponto a informação é útil, ou apenas promove/ incentiva a novos actos de terrorismo. Está nas mãos de todos os responsáveis pela comunicação social avaliar a pertinência versus impacto da informação por eles divulgada. Essa avaliação deveria deixar de ter como prioridade o público em geral, para ser o público susceptível de sentir incentivos à posteridade através de actos de loucura como os que temos assistido nos últimos tempos.

RESPONDER

Ventura diz que Marcelo quer flexibilização das restrições no Natal

O líder e deputado único do Chega, André Ventura, afirmou esta quinta-feira que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou a vontade de que haja alguma flexibilização das restrições à circulação no Natal. Após …

Governo do Brasil aponta início da vacinação entre janeiro e fevereiro

O ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello, disse que o país vai começar a receber 15 milhões de doses de vacinas para a covid-19 entre janeiro e fevereiro de 2021, com mais cem milhões …

Solução para Novo Banco pode não passar por um OE retificativo, diz João Leão

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, disse que a alternativa à anulação da transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco não tem "necessariamente que passar" por um orçamento retificativo …

Plano de vacinação arranca em janeiro com três fases. 950 mil pessoas no primeiro grupo prioritário

Pessoas com mais de 50 anos com uma patologia frequente nos casos graves de covid-19, residentes e/ou internados em lares e profissionais de saúde integram o primeiro grupo prioritário para a administração da vacina de …

Segunda vaga de moratórias autorizada pela Autoridade Bancária Europeia

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) autorizou a reabertura de moratórias de crédito, com efeitos a partir de 01 de outubro até 31 de março de 2021, dois meses após ter suspendido novas adesões. Num comunicado publicado …

Turquia alvo de críticas duras em reunião da NATO e em risco de sanções

A Turquia esteve esta quarta-feira sob um fogo de críticas na reunião virtual dos Ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da NATO e, com a deceção manifestada pelos Estados Unidos, deve preparar-se para sanções económicas americanas …

O que Neymar mais quer é voltar a jogar com Messi. Só se vier a custo zero, diz o Barça

O internacional brasileiro Neymar, que alinha pelo PSG, confessou esta quarta-feira que o mais deseja é voltar a jogar com o astro argentino Lionel Messi, com quem partilhou balneário entre 2013 e 2017 no Barcelona. …

Ministro da Administração Interna e procuradora-geral da República vão ser ouvidos no Parlamento

Eduardo Cabrita será ouvido sobre o caso do cidadão ucraniano assassinado nas instalações do SEF e Lucília Gago sobre a "recente diretiva sobre os poderes hierárquicos" na magistratura do Ministério Público. A comissão de Assuntos Constitucionais …

Portugal regista mais 79 mortos e 3.772 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 79 mortos relacionados com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e 3.772 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

França investiga 76 mesquitas por suspeita de radicalização islâmica

A França vai investigar nos próximos dias 76 mesquitas por suspeitas de radicalização islâmica, anunciou esta quarta-feira o ministro do Interior do país, Gerald Darmanin. Trata-se de 16 templos na região de Paris e 60 no …