/

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea.

A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais em infraestruturas subterrâneas sofisticadas. Como tal, sistemas de iluminação fidedignos e acessíveis tornam-se uma prioridade.

O dispositivo é descrito pelos autores do estudo como uma lupa “inteligente”. O seu principal componente é uma esfera de acrílico que fica acima do solo e absorve a luz solar. Uma fibra ótica de plástico é colocado sob a esfera para recolher e transportar a luz solar concentrada para um local subterrâneo.

O processo é explicado num estudo publicado recentemente na revista científica Solar Energy.

A tecnologia é equipada com GPS para que a fibra ótica seja movida de acordo com a posição do Sol, de maneira a aproveitar ao máximo a exposição solar.

A equipa de investigadores equipou ainda a extremidade do cabo com uma lâmpada LED que produz luz artificial. Isto resolve o problema de quando o céu estiver nublado. No futuro, este dispositivo estará equipado com uma célula fotovoltaica de alta eficiência, que vai permitir armazenar mais energia para alimentar a lâmpada LED. Isto tornaria-o um dispositivo de energia zero, escreve o Big Think.

Isto significa que uma infraestrutura alimentada com este dispositivo produz energia renovável suficiente para atender às suas próprias necessidades de consumo.

Os resultados do estudo mostram que a avaliação da eficácia luminosa do dispositivo é mais do que o dobro das lâmpadas LED disponíveis no mercado.

“A eficácia luminosa de nosso dispositivo de baixo custo prova que ele é adequado para aplicações de iluminação de baixo nível, como estacionamentos, elevadores e passagens subterrâneas em cidades densas”, disse Charu Goel, autor principal do estudo, em comunicado citado pelo EurekAlert.

“Também é facilmente escalável. Como a capacidade de recolha de luz da lente da bola é proporcional ao seu tamanho, podemos personalizar o dispositivo para uma potência ótica de saída desejada, substituindo por uma bola maior ou menor”, acrescentou.

Como uma nação insular com uma população em rápido crescimento, a Singapura há anos que explora estratégias para usar o espaço subterrâneo com mais eficiência.

Singapura já construiu rodovias, estacionamentos e passagens subterrâneas e, em 2030, o governo espera expandir a sua infraestrutura subterrânea, incluindo centrais elétricas subterrâneas, estradas e ferrovias.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.