/

Fezes, gravação estranha, gargalhadas: o “teatro absurdo” no julgamento de Johnny Depp

1

ZAP // Jonathan Ernst / POOL / EPA

Um dos julgamentos mais mediático dos últimos tempos, entre o actor e Amber Heard. Tem havido momentos, no mínimo, inesperados.

Johnny Depp e Amber Heard continuam a protagonizar um julgamento muito mediático e igualmente insólito. O tribunal na Virginia, Estados Unidos da América, é o palco deste julgamento há três semanas – e ainda vai a meio, no mínimo.

Primeiro, a parte séria: o actor processou a ex-mulher. Exige mais de 47 milhões de euros a Heard porque queixa-se de que um texto escrito pela ex-mulher, há quatro anos, arruinou a sua carreira enquanto actor. Nesse texto, Heard escreveu que era uma “figura pública a representar a violência doméstica”. A atriz reagiu e pede cerca de 84 milhões de euros.

No tal texto, Heard nunca escreve o nome do seu ex-marido mas a cronologia aponta para essa relação. O actor assegura que nunca bateu na actriz.

Ao longo destas três semanas, a defesa de Depp já acusou Heard de apresentar uma “farsa” com o objectivo de baixar a reputação do actor; os advogados de Heard alegam que Depp era um parceiro viciado em drogas e álcool, com tendência para agredir.

Na terça-feira, a psicóloga forense Shannon Curry disse aos jurados que acreditava que Amber Heard sofria de dois transtornos: transtorno de personalidade borderline e transtorno de personalidade histriónica.

Johnny Depp disse que também já foi vítima de violência doméstica e mostrou o dedo que, narrou, foi cortado durante uma discussão com a antiga parceira.

Momentos “bizarros”

Não será arriscado afirmar que este julgamento é o mais mediático dos últimos anos, a nível global. E, assim, os momentos caricatos assumem maior mediatismo.

Uma das gravações mais polémicas foi esta: “Conta ao mundo, Johhny. Diz-lhes: eu, Johnny Depp, um homem, sou vítima de violência doméstica, e vê quantas pessoas vão acreditar em ti ou ficar do teu lado”, disse Heard.

Na quinta-feira passada, as fezes entraram no processo. De acordo com um ex-motorista e segurança de Depp, Heard admitiu que defecou na cama do ex-marido. “Brincadeira horrível que correu mal”, terá dito a acusada. Depp sorriu durante este depoimento.

Os risos multiplicaram-se no mesmo dia, noutro testemunho. Um guarda-costas do actor contou que ouviu gritos e, quando entrou em casa, viu Depp. O advogado de Heard fez duas perguntas: “Ele estava a urinar?” e “Tirou o pénis?”. A resposta: “Acho que me lembraria se tivesse visto o pénis dele”, respondeu o segurança, no meio de risos de diversas pessoas que estavam na sessão, incluindo Depp.

No dia anterior, foi reproduzido o depoimento (gravado) de Alejandro Romero, antigo porteiro do local onde o casal morava. Romero gravou o testemunho dentro do carro, a fumar e a conduzir enquanto falava. “Depoimento bizarro”, descreveu o advogado da actriz. “Nunca tinha visto isto. Já vi muitas coisas, mas nunca isto”, reagiu a juíza.

Depois, há declarações desmentidas e teorias. Heard terá utilizado maquilhagem para disfarçar agressões – material de maquilhagem que ainda nem estava a ser vendido no momento da alegada agressão. E há um aparente problema: a advogada de Heard é uma fã de…Depp. Já foi fotografada no meio de fãs do actor, numa estreia de um filme.

Cenas que levaram Emily Hill a resumir este julgamento: “É um teatro absurdo”, escreveu, no portal The Spectator, acrescentando: “Todas estas audiências em tribunal têm sido mais engraçadas do que qualquer comédia de lixo que foi publicada ao longo da última década”.

Olhando para o que tem sido apresentado, Emily não acredita que Depp tenha sido violento com a ex-mulher: “A forma como ele é bem-educado e equilibrado ao lidar com os advogados de Heard… Se ele é um homem violento, alguém que lhe entregue o Óscar que tiraram ao Will Smith”.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.