Tancos. Major Pinto da Costa diz que mentiu ao Ministério Público por ordem superior

Paulo Cunha / Lusa

Guarita abandonada no complexo militar de Tancos

O investigador da Polícia Judiciária Militar major Pinto da Costa revelou hoje que o seu superior coronel Estalagem lhe pediu para mentir aos procuradores do Ministério Público sobre o armamento furtado em Tancos ter sido recuperado devido a uma chamada anónima.

“O coronel Estalagem, meu superior, disse-me no caminho entre Santa Margarida e o Departamento Central de Investigação e Ação Penal no dia em que as armas foram recuperadas: ‘Tens de confirmar a questão da chamada anónima’, e eu cumpri”, afirmou arguido e investigador da Polícia Judiciária Militar (PJM) no julgamento do processo Tancos, apesar de assumir que sabia que o material bélico tinha sido recuperado devido à colaboração de um informador.

Para explicar a sua atitude, Pinto da Costa referiu diversas vezes durante o interrogatório que sempre cumpriu ordens e que, enquanto militar, nunca as questionava tal como aconteceu com o que lhe “mandaram dizer” na reunião do DCIAP, acrescentando que não falou da existência de um informador “porque não lhe pediram para dizer”.

Segundo o major, sempre trabalhou como investigador da PJM no processo do furto de armas dos paióis de Tancos [que tinha o n.º 48] e sempre prestou contas aos seus superiores, nomeadamente ao coronel Estalagem e ao capitão Bengalinha.

“Para mim tudo estava dentro da legalidade, havia um processo aberto e eu sempre trabalhei nele”, dando conta das várias diligências que efetuou com elementos da GNR de Loulé, nomeadamente com o arguido Bruno e Ataíde e sargento Lima Santos.

O oficial do polo da PJM do Porto afirmou também que tinha conhecimento que o processo de Tancos estava a ser acompanhado ao mais alto nível.

“A minha convicção era que o Presidente da República e o ministro estavam a par de todo processo de investigação, porque o coronel Estalagem estaria a passar toda a informação recolhida”, afirmou Pinto da Costa, acrescentando que assistiu ao envio de um e-mail por parte de Luis Vieira ao chefe da casa militar de Marcelo Rebelo de Sousa, tenente-general João Cordeiro, e depois a um telefonema entre ambos.

Questionado sobre a investigação ao furto, que realizou juntamente com os militares da GNR Lima Santos e Bruno Ataíde, o investigador chefe da PJM, disse que teve alguns encontros com o informador João Paulino, que sabia ser amigo de infância do arguido Ataíde, mas que “nunca soube que ele estava implicado no roubo e que entregava as armas a troco da sua não implicação no furto”.

Informou ainda os juízes que estas diligências com a GNR de Loulé “eram do conhecimento do coronel Luis Vieira e do Estalagem”.

Segundo o arguido a sua implicação na encenação da recuperação do armamento roubado deve-se ao facto de ter “cumprido ordens”.

“Estou aqui [em julgamento] porque cumpri ordens. Fiz um juramento à nação. Andei sempre a trabalhar no processo que a PJM tinha”, afirmou o arguido, contestando a existência de um pacto de silêncio, como alega o Ministério Público.

“Não há nenhum pacto de silêncio. Passei todas as informações ao coronel Estalagem e ao capitão Bengalinha, e o Estalagem não está aqui, contestou.

Pinto da Costa está acusado de sete crimes, cinco dos quais em coautoria: Associação criminosa, tráfico e mediação de armas, falsificação ou contrafação de documentos, denegação de justiça e prevaricação, favorecimento pessoal praticado por funcionário e dois crimes de detenção de arma proibida.

O processo de Tancos tem 23 arguidos, dez arguidos respondem por associação criminosa, tráfico e mediação de armas e terrorismo, pelo alegado envolvimento no furto do armamento e os restantes 13, entre eles Azeredo Lopes, dois elementos da PJM e vários militares da GNR, sobre a manobra de encenação da recuperação do material ocorrida na região da Chamusca, numa operação que envolveu a PJM, em colaboração com elementos da GNR de Loulé.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Descoberto mecanismo que pode aumentar a expectativa de vida

Ao longo do tempo foram descobertas várias causas para o envelhecimento, mas permanece a questão de saber se existem mecanismos subjacentes comuns que determinam o envelhecimento e a expectativa de vida. Um equipa de investigadores do …

"Trabalhador atravessou faixa de rodagem". MAI diz que carro de Cabrita não se despistou

O Ministério da Administração Interna esclareceu que não existia sinalização para alertar os condutores dos “trabalhos de limpeza em curso" na autoestrada A6, no Alentejo, na sexta-feira, quando a viatura do ministro atropelou mortalmente um …

Caracol carrega o menor computador do mundo (e desvenda mistério sobre extinção em massa)

A decisão de introduzir caracóis não nativos no Taiti levou à extinção de 56 espécies de caramujos arbóreos. Contudo, uma das espécies sobreviveu. Para perceber como este "milagre" aconteceu, uma equipa usou o menor computador …

Cientistas estudam a presença de água líquida em exoluas de planetas "fugitivos"

Astrofísicos calcularam que tais sistemas poderiam abrigar água suficiente para tornar a vida possível - e sustentá-la. A água - no estado líquido - é o elixir da vida. Tornou a vida possível na Terra e …

Portugal tem o segundo melhor ataque do Euro. E a terceira pior defesa

Fechada a segunda jornada da fase de Grupos do Euro 2020, a seleção nacional tem o segundo melhor ataque da prova, com 5 golos marcados, atrás apenas da Itália. Mas tem também a terceira pior …

Espanha 1-1 Polónia | Hino ao desperdício trama La Roja

A Polónia, comandada pelo treinador português Paulo Sousa, empatou hoje a um golo com a Espanha, em Sevilha, em encontro da segunda jornada do Grupo E do Euro2020, mantendo-se ambas sem vitórias. A formação espanhola, que …

Já pode ajudar a NASA a batizar o manequim que vai até à Lua

A agência espacial norte-americana está a pedir ajuda para batizar o "Moonikin", o manequim que vai a bordo da nave Orion, durante a missão lunar Artemis I, ainda este ano. Quando a nave espacial Orion, da …

Portugal em Europeus: as últimas três derrotas foram (todas) contra a Alemanha

Em 90 minutos, Portugal não era derrotado numa fase final de um Europeu desde a estreia no Europeu 2012. Recorde as seleções que bateram Portugal, até agora. "Já não posso ver os franceses à frente". Esta …

Spotify lança Greenroom (e abre concorrência ao Clubhouse)

O Spotify lançou na quarta-feira, dia 16 de junho, uma app de conversas por áudio em direto chamada Greenroom, uma resposta do gigante sueco de streaming de música à popular plataforma Clubhouse. O Greenroom permite que …

"Médicos de árvores" em Singapura ajudam a preservar os seus pacientes gigantes

Arboristas como Eric Ong são responsáveis pelo bem-estar das milhares de árvores em Singapura. O seu trabalho é essencial para a preservação da natureza. A Singapura é uma cidade-estado insular situada ao sul da Malásia, com …