/

Talibãs já conquistaram as principais cidades do norte do Afeganistão

2

Anuradha Sengupta / Flickr

Cabul, Afeganistão

Os Talibãs ocuparam no domingo a maior parte da capital da província de Kunduz, no norte do Afeganistão, e tomaram outra capital vizinha, após um cerco de um mês, sendo os avanços mais recentes de uma série de golpes contra o governo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Esta é a quarta capital provincial tomada pelo grupo em menos de uma semana, enquanto este intensifica uma investida noutras regiões do país e empreende uma campanha de assassinato na capital, Cabul, noticiou esta segunda-feira a Time.

Dois membros do conselho provincial disseram que os Talibãs assumiram o controle do gabinete do governador, da sede da polícia e do principal edifício da prisão – onde 500 reclusos, incluindo combatentes talibãs, foram libertados – após um dia de tiroteios.

Kunduz é das maiores cidades do país, com uma população de mais de 340.000 habitantes, com bom acesso a grande parte do norte do Afeganistão, bem como a Cabul, que fica a 335 quilómetros de distância. As forças afegãs controlam agora apenas o aeroporto e o principal quartel do exército.

O porta-voz do Ministério do Interior afegão, Mirwais Stanekzai, disse que as forças de segurança continuam a lutar e já reconquistaram algumas zonas do país.

Na sexta-feira, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que a recente onda de ataques vai contra a “alegação dos Talibãs de quererem legitimidade internacional”.

No domingo, o grupo invadiu Taleqan, capital da província de Takhar, ao lado de Kunduz, com cerca de 200.000 habitantes. Sayed Sharafuddin Aini, membro do parlamento afegão na província de Takhar, indicou que os Talibãs tomaram a cidade à tarde, após três meses de avanços, durante os quais assumiram o controle de todo o interior da província.

Outra deputada, Nazifa Yousefi Beg, informou que todas as autoridades de Taleqan, incluindo o governador, o chefe da polícia e os membros do conselho, estavam em fuga.

No sábado, os Talibãs entraram na capital da província de Jawzjan, no norte, após percorrer nove dos seus dez distritos. Várias outras das 34 capitais de província do país estão ameaçadas. No início da semana passada, capturaram o 9º dos 10 distritos de Lashkar Gah, capital da província de Helmand, no sul.

Os combates intensos continuam, assim como os ataques aéreos por parte dos governos dos EUA e do Afeganistão. O Ministério da Defesa confirmou esses ataques, indicando que foram mortos 54 combatentes e feridos outros 23.

No domingo, enquanto percorriam as capitais provinciais, os Talibãs emitiram um comunicado, em inglês, no qual afirmaram que os residentes, funcionários do governo e oficiais de segurança não tinham nada a temer. Foram, contudo, relatados ataques de vingança e tratamento repressivo de mulheres, em áreas agora sob controle do grupo.

  Taísa Pagno //

2 Comments

  1. Agradeçam ao demente mental J. BIDEN.

    Ao retirar as tropas EUA que davam apoio estratégico, tecnológico e segurança aos militares do governo, deixou o caminho aberto para as trevas abjetas talibãs controlarem o Afeganistão.
    Sim, os talibãs proíbem as meninas de ESTUDAR ( balearam a malala na cabeça, no Paquistão, por muita sorte não morreu, utilizam chicotadas por tudo e por nada, nas mulheres claro, e a célebre matança de mulheres à pedrada por suspeita de relações sexuais antes ou fora do casamento.

    MATAR à PEDRADA é a pior e mais horrorosa forma de morte: com pedras pequenas para a agonia demorar 5 ou 6 horas ou mais.

    Tudo porque a SHARIA ISLÂMICA e o sagrado AL QURAN assim determina.

    E as feministas no Ocidente?
    E as ONGs de direitos humanos?
    ONU?
    UE?
    Guterres?

    Tudo cúmplice destes selvagens

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.