“A sombra de Sarkozy” e a filha de imigrantes cabo-verdianos. Novo Governo de Macron vira à direita

Ludovic Marin / EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron

É um “Governo mais à direita do que nunca”. O desabafo é do líder dos socialistas franceses, Olivier Faure, numa crítica ao Presidente Emmanuel Macron pelas escolhas que fez para o novo Governo do país. O executivo tem uma filha de imigrantes cabo-verdianos na pasta da Igualdade e é dominado por mulheres.

O novo Governo francês, liderado por Jean Castex, é composto por 17 mulheres e 15 homens, uma maioria do sexo feminino que já tinha acontecido durante a Presidência de Macron, com o executivo em funções entre Julho e Setembro de 2019.

Com uma clara aposta em membros mais jovens, é também evidente a “viragem à direita” de Macron, como constatam os analistas políticos franceses.

Macron conseguiu “reunir quase todas as correntes da direita” no Governo, como analisa o antigo conselheiro de Nicolas Sarkozy, Camille Pascal, em declarações divulgadas pelo Le Figaro.

Um dos “fiéis” de Macron nota a este jornal francês que entre os seus apoiantes ainda se está a fazer “a digestão dos anúncios” do novo Governo, sendo que fica patente que os elementos do partido do Presidente francês, o República Em Marcha, perderam predominância no executivo.

O novo porta-voz do Governo, Gabriel Attal, um dos poucos ligados ao partido de Macron, trata de acalmar os ânimos, frisando que o “Macronismo” sempre passou por “permitir a pessoas de diferentes origens que trabalhem juntas numa base comum”.

Mas é certa uma clara aposta no reforço da linha de centro-direita, verificando-se a saída dos ex-socialistas Christophe Castaner (Interior), Nicole Belloubet (Justiça), Didier Guillaume (Agricultura) e Sibeth Ndiaye (porta-voz).

O partido de Macron assume-se como social-liberal, surgindo como uma opção que pretendia romper com o equilíbrio de forças entre direita e esquerda.

“Na Macronia, todos os caminhos levam a Sarkozy”

Uma das grandes surpresas do executivo é Roselyne Bachelot, nova ministra da Cultura que é próxima do ex-primeiro-ministro François Fillon, que concorreu às presidenciais contra Macron, e que foi ministra da Saúde de Nicolas Sarkozy, antigo Presidente da República de França.

Outro nome de destaque é o de Gérald Darmanin que foi o escolhido para o Ministério do Interior, o que é visto como uma promoção para o homem que tinha a pasta das Contas Públicas no anterior executivo.

Além da revolta que gerou entre as feministas por enfrentar uma acusação de violação que refuta, Darmanin é outra figura associada a Sarkozy, já que foi director de campanha do antigo Presidente gaulês em 2016.

O advogado Éric Dupond-Moretti foi o escolhido para a Justiça. Trata-se de mais uma escolha polémica por declarações que fez e que são consideradas anti-feministas, e por ter sido advogado de figuras como Bernard Tapie, ex-presidente do Marselha e antigo ministro acusado de fraude fiscal, e Abdelkader Merah, o irmão do terrorista Mohammed Merah que esteve envolvido num tiroteio em Março de 2012 que culminou na morte de 7 pessoas.

Dupond-Moretti é outra figura próxima do ex-Presidente francês. “A sombra de Sarkozy” paira, assim, nesta remodelação, constata o Le Figaro.

O próprio Jean Castex foi secretário-geral adjunto do Eliseu durante a Presidência de Sarkozy. O primeiro telefonema do primeiro-ministro após ter sido nomeado por Macron terá sido mesmo para o antigo Presidente da República, ainda segundo o Le Figaro.

O jornal não hesita, deste modo, em concluir que “na Macronia, todos os caminhos levam agora a Nicolas Sarkozy”.

Já uma crónica no Le Monde reforça a aposta em “personalidades fortes, identificadas pelos franceses”, que “devem aproximar Emmanuel Macron das pessoas“, citando especificamente os casos de Dupond-Moretti e de Bachelot que, nos últimos tempos, têm aparecido na televisão como comentadores.

“É o governo da causa do povo”, considera ao Le Monde um próximo de Macron, falando da “urgência” de “encontrar a França, os seus valores, os seus marcos, as suas raízes”.

No fundo, é Macron já a pensar nas presidenciais de 2022 numa altura em que a sua popularidade continua em negativos, depois das crises dos Coletes Amarelos e de algumas medidas polémicas que promoveu, a que se juntam as críticas pela gestão da pandemia de covid-19.

Filha de cabo-verdianos é ministra da Igualdade

Outro dos destaques do novo Governo francês é a nomeação da franco-cabo-verdiana Elisabeth Moreno para ministra-delegada da Igualdade Mulheres-Homens.

A empresária de 49 anos era, até agora, directora-geral para África do Grupo HP (Hewlett-Packard) depois de ter feito carreira na área dos negócios de tecnologia.

Filha de imigrantes cabo-verdianos em França, Elisabeth Moreno chegou ao país com apenas 6 anos e cinco irmãos, representando um caso improvável de sucesso, como a própria assumiu numa entrevista ao Le Figaro em 2019.

“Marquei todos os quadrados da impossibilidade: pais que não sabem ler nem escrever, uma mulher negra, criada numa cidade”, como referiu.

Novidades do executivo de Jean Castex são ainda Brigitte Bourguignon (Autonomia), Alain Griset (Pequenas e Médias Empresas), Nadia Hai (Cidades), Brigitte Klinkert (Inserção) e a ecologista Barbara Pompili (Transição Ecológica).

Jean-Yves Le Drian (Negócios Estrangeiros), Jean-Michel Blanquer (Educação Nacional), Florence Parly (Defesa), Olivier Véran (Saúde), Marc Fesneau (Relações com o Parlamento) e Roxana Maracineanu (Desportos) mantêm as pastas que já tinham no anterior executivo.

De destacar também que Élisabeth Borne sai da Transição Ecológica para o Trabalho e Julien Denormandie passa da Habitação para a Agricultura e Alimentação.

Bruno Le Maire mantém a pasta da Economia e Finanças, à qual se acrescenta o peso do Relançamento económico do país.

Os “quatro grandes eixos” do novo Governo nomeado por Macron são a “reconstrução do país”, o “patriotismo republicano”, “mais liberdades e associações” e “a Europa”, como enumerou Gabriel Attal aos jornalistas.

SV, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

PayPal resiste à pandemia. Volume de pagamentos cresce 30% no segundo trimestre

O volume de pagamentos através do PayPal cresceu 30% no segundo trimestre. A empresa parece resistir à pandemia de covid-19, que abalou o setor das viagens, cujos pagamentos estão muitas vezes associados a meios eletrónicos. …

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …

Invocando Sá Carneiro, Miguel Albuquerque também defende diálogo entre PSD e Chega

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu que o PSD deve dialogar com vários partidos, incluindo o Chega de André Ventura. Depois de Rui Rio admitir em entrevista à RTP que poderá vir …

Sobe para 18 o número de mortos no acidente de avião na Índia

As autoridades indianas atualizara para 18 o número de mortes no acidente com o avião da Air India Express, que voava do Dubai para Kozhikode, no sul da Índia, e que se partiu em dois …

Luz verde para reabertura de centros de dia. DGS sugere dois metros de distância entre idosos

Os centros de dia vão poder reabrir a partir de 15 de agosto, mas de forma faseada e condicionados a uma avaliação prévia da Segurança Social e entidade de saúde local sempre que funcionem juntamente …

Vacina russa para a covid-19 preocupa cientistas. País pode estar a saltar etapas

Países de todo o mundo continuam na corrida por uma vacina contra a covid-19. A Rússia diz estar prestes a anunciar a vacina, deixando preocupada a comunidade científica, ao passo que Itália avança para os …