“12.500 euros não chegavam para Paris”. Sócrates explica empréstimos do amigo

Pedro Nunes / Lusa

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

Em mais uma sessão de interrogatório liderada pelo juiz Ivo Rosa, José Sócrates voltou a falar das suas “dificuldades financeiras”, justificando os pedidos de empréstimos ao amigo Carlos Santos Silva com o facto de o ordenado de 12 mil euros mensais não ser suficiente para os seus gastos em Paris.

No quarto dia de interrogatório na fase de instrução do processo Operação Marquês que decorreu nesta quinta-feira, 31 de Outubro, José Sócrates foi confrontado com os pedidos de empréstimos de dinheiro que alega ter feito ao amigo Carlos Santos Silva. A tese da acusação é que o dinheiro era, na verdade, do antigo primeiro-ministro e que Santos Silva era seu testa-de-ferro.

Ivo Rosa confrontou Sócrates com as razões porque é que pedia empréstimos ao amigo Carlos Santos Silva. “Porque 12.500 euros não chegavam para Paris”, salientou o antigo governante, notando que sempre teve “dificuldades financeiras” e referindo que o ordenado que recebia como consultor da farmacêutica Octapharma para a América Latina não era suficiente para suportar os seus gastos e os do filho na capital francesa.

Confrontado por Ivo Rosa com o facto de ter gasto cerca de 7 mil euros numas férias na Suíça para fazer ski, apesar das suas alegadas “dificuldades financeiras”, Sócrates desvalorizou o valor. “Acho que é normal. São gastos da classe média, sr. dr. juiz“, afirmou.

Quanto ao facto de receber o dinheiro das mãos de Santos Silva em numerário, Sócrates afiançou que não queria que pensassem que trabalhava para o amigo e que pretendia manter os alegados empréstimos em privado.

O Ministério Público suspeita que Santos Silva cedeu 1,1 milhões de euros a Sócrates entre 2012 e 2015.

O interrogatório a José Sócrates vai prosseguir na segunda-feira à tarde em Lisboa. O juiz Ivo Rosa tinha agendado 4 dias para interrogar o ex-primeiro ministro, mas as cerca de cinco horas diárias que Sócrates passou no Tribunal de Instrução Criminal, nesta semana, não foram suficientes para esgotar toda a matéria que consta da acusação do processo.

Sócrates, que esteve preso preventivamente e em prisão domiciliária, está acusado de 31 crimes económico-financeiros. O antigo líder socialista foi acusado pelo Ministério Público da alegada prática de três crimes de corrupção passiva de titular de cargo político, 16 crimes de branqueamento de capitais, nove crimes de falsificação de documento e três crimes de fraude fiscal qualificada, no âmbito da Operação Marquês.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Gastos da classe média? Então como serão os gastos da alta?
    E eu a pensar que da classe média era eu, gastando mil euritos em hotel, numa semana, no Verão, cozinhando para poupar uns trocos e não acabar as férias teso.
    Mas, claro, as minhas dívidas não posso geri-las como o senhor engenheiro Sócrates. Tenho de as pagar…

  2. Hahahaaa!…
    Este Sócrates é mesmo uma personagem!.
    Sempre teve dificuldades financeiras, mas gostou 7 mil euros numas férias na Suiça e ainda acha que isso é perfeitamente normal!!

  3. Com amigos de longa data destes, quem precisaria de querer ser primeiro-ministro e expor-se desta forma?
    Empréstimos destes constantes a troco de quê?

RESPONDER

SEF instaurou inspeção interna à morte de ucraniano, mas não detetou suspeitas de crime

Esta quarta-feira, o ministro da Administração Interna prestou esclarecimentos sobre a morte de um cidadão ucraniano à guarda do SEF, no aeroporto de Lisboa, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Eduardo Cabrita considerou …

Colocações no ensino superior adiadas para o final de setembro

Na sequência do adiamento nos calendários dos exames nacionais do ensino secundário, o acesso às licenciaturas é também atrasado. O calendário de acesso ao ensino superior vai ser atrasado em cerca de três semanas. Os resultados …

Rangel e outros 13 eurodeputados do PPE pedem expulsão de partido húngaro

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel e outros 13 chefes de delegação do Partido Popular Europeu (PPE) pediram na terça-feira a expulsão do partido húngaro Fidesz, exigindo ao líder parlamentar daquela família política, Manfred Weber, …

Milhares pediram o cancelamento do TV Fest. Festival foi suspenso

O Ministério da Cultura criou um festival televisivo exclusivamente dedicado à música portuguesa em parceria com a RTP, mas o formato e os critérios estão a causar forte polémica no meio. Uma petição pública online …

Comércio internacional pode cair para níveis da Grande Depressão

A Organização Mundial do Comércio referiu na quarta-feira que o arrefecimento do comércio internacional provocado pela Covid-19 pode chegar aos níveis registados nos anos 30 devido à Grande Depressão. Segundo noticiou o Observador, na melhor das …

Loja de telemóveis apanhada a vender álcool gel com lucro até 400%

Os inspetores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) encontraram, em Lisboa, uma loja de reparação e venda de acessórios para telemóveis a vender frascos de gel desinfetante de 500 ml a 24,95 euros …

Em Portimão, uma sirene toca quando alguém sai de casa sem justificação

A sirene do quartel dos Bombeiros de Portimão vai passar a tocar sempre que alguém sair de casa e andar na rua sem justificação. O anúncio foi feito pela Câmara Municipal de Portimão em comunicado. De …

Short Selling - ou como vender ações emprestadas para ganhar muito dinheiro

Vender ações da bolsa que não são suas é uma forma de ganhar bastante dinheiro. Esta forma de negociação, denominada short selling, é muito lucrativa mas implica algum risco, pelo que é prudente aconselhar-se junto …

"Nem mais um abuso". Grupo no Whatsapp servia para planear ataques à polícia em Espanha

Dois homens de 25 e 30 anos, os dois criadores de um grupo de Whatsapp que servia para planear ataques à polícia espanhola, foram detidos esta terça-feira. De acordo com o jornal espanhol El País, o …

Trabalhadores independentes que reduziram descontos da Segurança Social terão apoio mais baixo

Os trabalhadores independentes que optaram por reduzir em 25%, de forma fictícia, o rendimento sobre o qual incidem as contribuições, e que por isso descontaram menos, verão refletida essa diminuição no apoio que podem receber …