Depois de sobreviver ao cancro, Sarah cruzou o Canal da Mancha a nado 4 vezes sem parar

Uma mulher norte-americana tornou-se a primeira pessoa a cruzar a nado o Canal da Mancha, entre o Reino Unido e França, quatro vezes sem parar. E dedicou a vitória a todos que, como ela, são sobreviventes do cancro.

Sarah Thomas, 37 anos, começou este desafio nas primeiras horas do último domingo e terminou-o 54 horas e 10 minutos depois. Nadadora de ultramaratonas em águas abertas – que completou um tratamento de cancro de mama há um ano – dedicou a travessia épica a “todos os sobreviventes (da doença) que há por aí”.

Até à data, houve quatro nadadores que cruzaram o Canal três vezes sem parar. Assim, Sarah foi a primeira a conseguir fazer quatro voltas.

Em 2018, Sarah foi submetida a um tratamento para combater um cancro da mama agressivo, que lhe foi diagnosticado em 2017. Foi também nessa altura que a equipa médica lhe disse para não abandonar de todo a natação, uma vez que seria a sua forma de lidar com a doença.

Em declarações à BBC, pouco depois de chegar à praia, Sarah não estava em si: “Não consigo acreditar que fiz isto. A verdade é que estou um pouco tonta”, acrescentou, antes do desabafo: “estou muito cansada, acho que vou passar o dia a dormir.”

And a couple drone shots from somewhere in Channel during her first return to England. Sarah Thomas Elaine Kornbau HowleyI got some great shots, and a really good drone horror story, to boot 😉

Publicado por Jon Washer em Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Segundo a previsão inicial, o percurso seria de cerca de 128 quilómetros, mas, por causa das correntes, Sarah acabou por nadar quase 209 quilómetros. “É uma vitória, ela testou os limites da resistência”, sublinhou Kevin Murphy, observador oficial da travessia, antes de acrescentar, “foi incrível, absolutamente inspirador. No final, ficamos muito emocionados”, conta Kevin Murphy, observador oficial da travessia.

Ao sair da água em Dover, cidade portuária no sudeste da Inglaterra, Sarah teve ainda oportunidade de comemorar a sua entrada para o livro dos recordes com champanhe e chocolate.

Foi em 2007 que Sarah completou a sua primeira travessia em águas abertas. Cinco anos depois, em 2012, cruzou o Canal da Mancha pela primeira vez, e repetiu o feito em 2016.

No sábado à noite, na véspera do início da travessia, a mulher admitiu, num post no Facebook, que estava “assustada” com o desafio. “Estou à espera desta travessia há mais de dois anos e lutei muito para chegar aqui”, antes de rematar: “Se estou a 100%? Não. Mas sou o melhor que posso ser agora, depois de tudo o que passei, com mais explosão e garra do que nunca.”

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O Projeto Galileu quer provar a existência de aliens através da tecnologia deixada para trás

Investigadores vão centrar o seu trabalho na procura de objetos físicos associados a equipamento tecnológico extraterrestre, em oposição às pesquisas anteriores que se focaram em sinais eletromagnéticos. Um grupo de investigadores de Universidade de Harvard está …

O tesouro dos Templários pode estar escondido debaixo de uma casa em Inglaterra

Um historiador inglês alega que um edifício histórico em Burton, em Inglaterra, é onde está escondido o lendário tesouro dos Templários. Existem várias lendas sobre um tesouro que alguns templários conseguiram esconder do rei francês Filipe …

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro. No entanto, isto não quer dizer que o nosso planeta esteja a ficar inclinado. Mais de 5.000 quilómetros abaixo de …

Incêndios devastam sul da Europa e obrigam a retirar moradores e turistas

Dezenas de aldeias e hotéis foram este domingo evacuados nas zonas turísticas do sul da Turquia devido a incêndios que começaram há cinco dias e já mataram oito pessoas no país, devastando também regiões da …

Há uma empresa a transformar as cinzas de entes queridos em diamantes

Uma empresa norte-americana transforma cinzas de entes queridos — e animais de estimação — em diamantes, que podem ser colocados em anéis ou colares. Lidar com a morte de um ente querido é sempre uma altura …

Pianista de aeroporto ganhou 60 mil dólares em gorjetas

Tonee "Valentine" Carter, que toca piano num aeroporto norte-americano, ganhou 60 mil dólares (cerca de 50.800 mil euros) depois de um estranho partilhar um vídeo seu a tocar. Tonee "Valentine" Carter, de 66 anos, não é …

Youtubers denunciam campanha de fake news contra vacina da Pfizer

De acordo com a imprensa brasileira, uma agência de marketing terá tentado que influenciadores digitais de todo o mundo partilhassem desinformação sobre as vacinas contra a covid-19. A denúncia foi feita por alguns dos influenciadores …

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …