Snowden critica falta de liberdade de expressão na Rússia

Svein Ove Ekornesvaag / EPA

A presidente da Academia Norueguesa de Literatura, Hege Newth Nouri (dir), entrega o  Bjornson Prize 2015 a Edward Snowden (no ecran),em cerimónia que decorreu em Molde, na Noruega

A presidente da Academia Norueguesa de Literatura, Hege Newth Nouri (dir), entrega o Bjornson Prize 2015 a Edward Snowden (no ecran),em cerimónia que decorreu em Molde, na Noruega

O ex-consultor informático norte-americano Edward Snowden criticou este sábado as limitações à liberdade de expressão na Rússia, país onde se refugiou e para onde explicou que “nunca teve intenção de ir”.

Alvo de um mandado de captura por ter revelado pormenores dos programas de vigilância eletrónica dos Estados Unidos da América, Snowden falava por videoconferência por ocasião da sua distinção, em Mølde, na Noruega, com o prémio Bjørnson para a liberdade de expressão.

Inquirido sobre a situação dos direitos humanos e, em particular, sobre o controlo da internet pelas autoridades do país onde reside há dois anos, Edward Snowden mostrou-se pessimista.

“É dececionante, é irritante. Esta decisão do Governo russo de controlar cada vez mais a internet, controlar cada vez mais o que as pessoas veem, incluindo alguns aspetos da vida privada, para decidir qual é a forma adequada ou inadequada de expressarem o seu amor uma pela outra, não está apenas totalmente errada como não é o papel de qualquer Governo”, sustentou.

Snowden recordou que residir na Rússia não foi uma escolha sua, mas uma vicissitude.

Nunca tive intenção de ir para a Rússia, esse nunca foi o meu plano. Estava apenas de passagem, em direção à América Latina. Infelizmente, o meu passaporte foi congelado, foi cancelado pelos Estados Unidos”, explicou.

O cidadão norte-americano, que abandonou em maio de 2013 o seu trabalho na ilha do Hawai para fazer revelações ao diário britânico The Guardian a partir de Hong Kong, frisou que a ideia de deixar a cidade chinesa em direção à Rússia lhe foi sugerida pelo fundador da Wikileaks, Julian Assange.

“Penso que a sua intenção era boa. Enquanto editor, ele estava a concentrar-se em primeiro lugar na minha segurança e, tendo uma fonte, interessava-lhe a proteção dessa fonte. Mas o problema é que eu não estava interessado na minha própria segurança, na minha própria proteção”, observou.

“Nunca esperei ser hoje livre, esperava estar na prisão“, acrescentou.

O ex-consultor informático da Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana criticou todos os governos que ignoraram os seus pedidos de asilo, citando países “na Europa ocidental” – entre os quais a Noruega -, “na América Latina” e o Canadá.

Pedi asilo a 21 países. Mantiveram-se todos em silêncio“, recusando-se a analisar o pedido porque não tinha sido apresentado no seu território. A Rússia foi, aliás, um dos últimos países aos quais apresentei o meu pedido”, sublinhou o cidadão norte-americano.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo quer ver regionalização debatida depois das autárquicas

O Presidente da República insiste na importância de se discutir a regionalização na aplicação dos fundos europeus, mas considera que isso só deve acontecer depois das eleições autárquicas. "Tenho visto alguns autarcas dizerem que, por termos …

Desarticulação do Governo em relação ao sistema de avaliação indigna a Função Pública

Sem propostas para alterar o sistema de avaliação da Função Pública, o Governo admitiu falta de articulação interna na reunião aos sindicatos. Os sindicatos da Função Pública não receberam qualquer proposta para alterar o atual sistema …

Porto ganha força e pode mesmo acolher a final da Liga dos Campeões

A hipótese de o Porto receber a final da Liga dos Campeões começa a ganhar força, após a reunião entre a UEFA e o Governo britânico não ter corrido de feição. Londres era a opção favorita …

Cerca sanitária em Odemira revela lacunas na ligação entre entidades

O resultado da intervenção da GNR no controlo dos que pretendem trabalhar nas explorações agrícolas sem ter realizado teste à covid-19 não é comunicada à ACT. O porta-voz do Comando Territorial de Beja da GNR disse …

Jorge Costa responde a Pepe: "Deve ter-se esquecido de quem eu sou"

O treinador do Farense e ex-jogador do FC Porto respondeu a Pepe na flash interview, depois da troca de palavras entre ambos no final do jogo desta segunda-feira no Estádio do Dragão (5-1). "O Pepe deve …

Salgado começa a ser julgado em junho. Defesa recorre da decisão de separar processos

O antigo presidente do BES começa a ser julgado a 7 de junho por três crimes de abuso de confiança, no âmbito da Operação Marquês, mas a sua defesa já entregou um recurso por …

Onda de violência em Jerusalém não tem fim. UE considera ataques "inaceitáveis"

A situação continua a ser preocupante em Israel e a comunidade internacional já tem deixado alguns alertas para que seja posto fim à violência. Na noite desta segunda-feira, um incêndio rompeu na zona da Esplanada das …

Sporting já tem autocarro decorado e reclama 23.º título. A FPF só reconhece 18

A apenas uma vitória do título, o Sporting já tem o autocarro decorado para celebrar a conquista. Os 'leões' reclamam 23 títulos, embora a FPF só reconheça 18. O Sporting CP está a uma vitória de …

Descoberta vila da Idade do Bronze submersa num lago suíço

A descoberta de uma vila da Idade do Bronze, submersa num lago suíço, redefine a história da cidade de Lucerna e sugere que a área foi colonizada 2.000 anos antes do que se pensava. O lago …

"Já vimos este filme". Catarina Martins receia austeridade pós-bazuca (e está preocupada com a TAP)

A coordenadora do Bloco de Esquerda disse temer a austeridade que possa surgir após a prometida bazuca de fundos europeus e confessou estar “muito preocupada” com a TAP. Em entrevista à TVI na noite de segunda-feira, …