Snowden critica falta de liberdade de expressão na Rússia

Svein Ove Ekornesvaag / EPA

A presidente da Academia Norueguesa de Literatura, Hege Newth Nouri (dir), entrega o  Bjornson Prize 2015 a Edward Snowden (no ecran),em cerimónia que decorreu em Molde, na Noruega

A presidente da Academia Norueguesa de Literatura, Hege Newth Nouri (dir), entrega o Bjornson Prize 2015 a Edward Snowden (no ecran),em cerimónia que decorreu em Molde, na Noruega

O ex-consultor informático norte-americano Edward Snowden criticou este sábado as limitações à liberdade de expressão na Rússia, país onde se refugiou e para onde explicou que “nunca teve intenção de ir”.

Alvo de um mandado de captura por ter revelado pormenores dos programas de vigilância eletrónica dos Estados Unidos da América, Snowden falava por videoconferência por ocasião da sua distinção, em Mølde, na Noruega, com o prémio Bjørnson para a liberdade de expressão.

Inquirido sobre a situação dos direitos humanos e, em particular, sobre o controlo da internet pelas autoridades do país onde reside há dois anos, Edward Snowden mostrou-se pessimista.

“É dececionante, é irritante. Esta decisão do Governo russo de controlar cada vez mais a internet, controlar cada vez mais o que as pessoas veem, incluindo alguns aspetos da vida privada, para decidir qual é a forma adequada ou inadequada de expressarem o seu amor uma pela outra, não está apenas totalmente errada como não é o papel de qualquer Governo”, sustentou.

Snowden recordou que residir na Rússia não foi uma escolha sua, mas uma vicissitude.

Nunca tive intenção de ir para a Rússia, esse nunca foi o meu plano. Estava apenas de passagem, em direção à América Latina. Infelizmente, o meu passaporte foi congelado, foi cancelado pelos Estados Unidos”, explicou.

O cidadão norte-americano, que abandonou em maio de 2013 o seu trabalho na ilha do Hawai para fazer revelações ao diário britânico The Guardian a partir de Hong Kong, frisou que a ideia de deixar a cidade chinesa em direção à Rússia lhe foi sugerida pelo fundador da Wikileaks, Julian Assange.

“Penso que a sua intenção era boa. Enquanto editor, ele estava a concentrar-se em primeiro lugar na minha segurança e, tendo uma fonte, interessava-lhe a proteção dessa fonte. Mas o problema é que eu não estava interessado na minha própria segurança, na minha própria proteção”, observou.

“Nunca esperei ser hoje livre, esperava estar na prisão“, acrescentou.

O ex-consultor informático da Agência Nacional de Segurança (NSA) norte-americana criticou todos os governos que ignoraram os seus pedidos de asilo, citando países “na Europa ocidental” – entre os quais a Noruega -, “na América Latina” e o Canadá.

Pedi asilo a 21 países. Mantiveram-se todos em silêncio“, recusando-se a analisar o pedido porque não tinha sido apresentado no seu território. A Rússia foi, aliás, um dos últimos países aos quais apresentei o meu pedido”, sublinhou o cidadão norte-americano.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …

Esqueletos revelam que fosso entre ricos e pobres começou a abrir-se há 6.600 anos

A análise a ossos encontrados numa sepultura na Polónia mostram que o fosse entre ricos e pobres na Europa começou a abrir-se muito antes daquilo que se pensava. O desaparecimento da classe média é um problema …

Super-Terras quentes podem ter atmosferas metálicas brilhantes

Os cientistas querem perceber porque é que as super-Terras quentes possuem um brilho tão chamativo - e já há uma hipótese em cima da mesa. Os exoplanetas, chamados de super-Terras quentes, podem ser particularmente brilhantes e …

As larvas de peixe-sol são adoráveis (mas crescem e tornam-se gigantescos "nadadores")

Uma equipa de cientistas australianos e neozelandeses descobriram as fases iniciais da larva gigante de peixe-sol. Pela primeira vez, o sequenciamento de ADN identificou as larvas do peixe-sol (Mola alexandrini). O peixe-sol, conhecido cientificamente como Mola …

Telescópio Webb vai estudar Júpiter, os seus anéis e duas intrigantes luas

Júpiter, que tem o nome do rei dos antigos deuses romanos, comanda a sua própria miniversão do nosso Sistema Solar de satélites circundantes; os seus movimentos convenceram Galileu Galileu de que a Terra não era …

Turista danifica escultura do século XIX enquanto posa para fotografia (e é apanhado pelas câmaras de vigilância)

A polícia italiana identificou um austríaco de 50 anos que danificou uma estátua do século XIX num museu em Itália, enquanto posava para uma fotografia. O incidente ocorreu no passado dia 31 de junho, segundo …

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …