Quente ou frio? Sistema monitoriza rostos humanos para ajustar a temperatura da sala

Uma equipa de investigadores da Universidade do Michigan desenvolveu uma solução que poderia acabar com os termostatos de parede aos quais estamos habituados.

O sistema Human Embodied Autonomous Thermostat (HEAT) emparelha câmaras térmicas com câmaras de vídeo tridimensionais para medir se os ocupantes têm calor ou frio, rastreando a sua temperatura facial. Em seguida, envia os dados de temperatura a um modelo preditivo, que o compara com informações sobre as preferências térmicas dos ocupantes.

De seguida, o sistema determina a temperatura que manterá o maior número de ocupantes confortável com o gasto mínimo de energia.

O novo estudo, publicado na revista científica Building and Environment, mostra como o sistema pode efetiva e eficientemente manter o conforto de 10 ocupantes num ambiente de laboratório.

“A covid apresenta uma variedade de novos desafios de controle climático, já que os edifícios são ocupados com menos consistência e as pessoas lutam para permanecer confortáveis enquanto usam máscaras e outros equipamentos de proteção”, disse a investigadora principal Carol Menassa, professora associada de engenharia civil e ambiental, em comunicado.

“O HEAT pode fornecer uma forma discreta de maximizar o conforto enquanto utiliza menos energia. A principal inovação aqui é que podemos medir o conforto sem exigir que os utilizadores usem dispositivos de deteção e sem a necessidade de uma câmara separada para cada ocupante”.

O HEAT funciona como os atuais termostatos de aprendizagem atuais habilitados para a Internet. Quando é recém-instalado, os ocupantes ensinam o sistema sobre as suas preferências, periodicamente dando feedback dos seus smartphones numa escala de três pontos: “muito quente”, “muito frio” ou “confortável”. Após alguns dias, o HEAT aprende as suas preferências e opera de forma independente.

A temperatura facial é um bom indicador de conforto, uma vez que, quando estamos muito quentes, os vasos sanguíneos se expandem para irradiar calor adicional, aumentando a temperatura facial. Quando estamos com muito frio, contraem-se, arrefecendo o rosto.

Embora as versões anteriores do sistema também usassem a temperatura do corpo para prever o conforto, exigiam que os utilizadores usassem pulseiras para medir a temperatura do corpo diretamente e fornecessem feedback frequente sobre o seu nível de conforto.

O co-autor Eunshin Byon, professor associado de operações industriais e engenharia, criou o modelo preditivo do HEAT e acredita que ajustes no modelo podem tornar o sistema útil em hospitais, por exemplo, onde os prestadores de cuidados lutam para permanecer confortáveis ​​sob máscaras e outros equipamentos de proteção.

Em parceria com a escola de enfermagem, a equipa já realizou um estudo piloto que explorou a forma como o sistema pode fornecer conforto térmico personalizado a enfermeiros que trabalham em ambientes de saúde, como unidades de administração de quimioterapia.

A equipa está a trabalhar com a empresa de energia Southern Power para começar a testar o HEAT nos seus escritórios no Alabama, onde câmaras de teste serão montadas em tripés nos cantos das salas. As câmaras colhem dados sem identificar indivíduos e todas as imagens são excluídas imediatamente após o processamento, geralmente em alguns segundos.

Um segundo teste colocará o sistema numa comunidade de casas inteligentes recém-construídas no Alabama. A equipa estima que possam ter um sistema residencial no mercado nos próximos cinco anos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Paços de Ferreira 0-5 Benfica | Seferovic “parte tudo” na Capital do Móvel

Na noite deste sábado, o Benfica somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato, ao golear o Paços de Ferreira por 5-0, num embate relativo à 26.ª jornada do campeonato. A equipa de Jorge Jesus, que acabou …

Após terramotos e deslizamentos, a "cidade moribunda" de Itália ainda resiste no topo de uma montanha

Chamar-se a si mesmo de "Cidade Moribunda" pode não parecer a melhor forma de atrair turistas, mas Civita, em Itália, aprendeu a viver com o facto de estar a morrer. Há vários séculos, a cidade …

"Alexa, estou com calor." Já é possível controlar o ar condicionado de um Lamborghini apenas com a voz

A Amazon está a dar um grande passo na indústria automóvel ao integrar a Alexa no Huracán EVO da Lamborghini, não apenas para fazer perguntas, mas dando ao assistente virtual a capacidade de controlar as …

Nova tecnologia pode enviar luz solar para o subsolo

Investigadores da Universidade Tecnológica de Nanyang, na Singapura, inventaram um novo dispositivo que pode ajudar o país a iluminar a sua crescente infraestrutura subterrânea. A Singapura é um dos países que tem apostado cada vez mais …

Livro lança "caça ao tesouro" a urna de ouro oferecida por Inglaterra a França antes da Entente Cordiale

Um novo enigma literário está prestes a chegar às estantes de livros com uma recompensa incomum. Pistas em "The Golden Treasure of the Entente Cordiale" podem levar leitores no Reino Unido e França a um …

Para evitar casos de burnout, LinkedIn deu uma semana de férias aos quase 16 mil funcionários

O LinkedIn decidiu dar uma semana de férias (remunerada), que começou esta segunda-feira, a todos os seus funcionários espalhados pelo mundo. O objetivo? Desconectar, recarregar baterias e prevenir casos de burnout.  "Queríamos ter a certeza de …

Pequenos nadadores-robô curam-se a si próprios (e em movimento)

Uma equipa de investigadores da American Chemical Society desenvolveu pequenos robôs nadadores que conseguem curar-se a si mesmos magneticamente. O tecido vivo pode curar-se autonomamente de muitos ferimentos, mas fornecer habilidades semelhantes a sistemas artificiais, como …

Tondela 0-2 FC Porto | Missão cumprida com serviços mínimos

Missão cumprida. O FC Porto fez poupanças no jogo com o Tondela, mas levou os três pontos para casa, graças a um triunfo por 2-0. Os “dragões” foram claramente superiores no primeiro tempo, marcaram por Toni …

Portugal pode atingir linha vermelha dos 120 novos casos por 100 mil habitantes em dois meses

Portugal pode atingir uma taxa de incidência de de 120 casos por 100 mil habitantes daqui a dois ou mais meses se se mantiver o atual ritmo de crescimento deste indicador. Esta é a conclusão de …

Akon ainda não construiu a "Wakanda da vida real", mas o Uganda já lhe está a dar terrenos para a segunda

O artista de R&B Akon ainda não concretizou a sua visão ambiciosa de uma cidade “futurística” alimentada por uma criptomoeda chamada “Akoin” e construída num terreno que lhe foi dado pelo governo senegalês. Contudo, o …