Sindicalistas da PSP folgaram mais 6.500 dias em 2018 do que no ano anterior

António Cotrim / Lusa

Em 2018, os delegados e dirigentes sindicais da PSP tiveram direito a 42.500 dias de folga para atividade sindical. Isto representa um aumento de 6.500 dias face ao ano de 2017.

O número de dias de folga a que os sindicalistas da PSP tiveram direito aumentou no ano de 2018. Os 3.680 delegados e dirigentes dos atuais 18 sindicatos da PSP usufruíram de mais 6.500 dias em comparação a 2017.

Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP), explica este aumento pela proliferação destas estruturas sindicais. A PSP está a planear criar mais um sindicato, mas em declarações ao Público, Rodrigues considera que o número é já excessivo.

“Só no ano passado, se não estou em erro, foram criados três”, explicou o líder sindical, explicando que esta tendência “apenas prejudica os profissionais porque depois muitos utilizam os créditos a que têm direito por serem dirigentes para outros fins que não os sindicais”.

Em vez de os dias serem utilizados para defender os objetivos e os interesses dos agentes da Polícia de Segurança Pública, estão ser usados para outros motivos. Isto tem feito com que o trabalho dos sindicatos perca “o respeito perante as entidades e até perante os próprios profissionais”. Além disso, segundo Paulo Rodrigues, “retira peso negocial às estruturas que o fazem”.

Os representantes dos sindicatos têm direito a quatro dias por mês, mas podem ver este número ser cortado no futuro. Isto porque está pendente de aprovação no Parlamento uma proposta lei que regula o exercício da liberdade sindical na Polícia de Segurança Pública. O próprio representante da ASPP considera que muitos vão deixar de ter os créditos sindicais e poder de negociação.

Caso seja aprovada, Paulo Rodrigues acredita que a nova lei pode trazer “um reforço da capacidade negocial”, já que o número de sindicatos envolvidos será limitado a quatro ou cinco. A opinião é partilhada por Mário Andrade, o presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP/PSP), que defende que os sindicatos serão obrigados a ter um número mínimo de mil associados para poderem ter poder negocial.

Por outro lado, Armando Ferreira, do Sindicado Nacional da Polícia (Sinapol) criticou a medida e considera que a nova lei é “inconstitucional”, uma vez que “não visa diminuir o número de sindicatos, mas acabar com o sindicalismo na PSP”. O líder da Sinapol mostrou-se preocupado com o facto de se “acabar com a figura de delegado sindical nas esquadras”.

Para a sua aprovação, a proposta de lei precisa de uma maioria de mais de dois terços no Parlamento, tendo o PS e PSD apresentado um texto de substituição.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …

Caso BPN. Relação condena dois dos absolvidos e agrava penas a outros dois

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta quarta-feira dois dos três arguidos absolvidos no processo principal da falência do BPN, Ricardo Oliveira e Filipe Nascimento, e agravou as penas a dois dos 12 arguidos …

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …