Shadows From the Walls of Death. Há um livro que pode (literalmente) matar

(dr) Biblioteca Nacional de Medicina da Universidade de Harvard

Nos Estados Unidos, há um livro que pode, literalmente, matar. A obra chama-se “Shadows from the Walls of Death: Facts and Inferences Prefacing a Book of Specimens of Arsenical Wall Papers” e foi criada por Robert Clark Kedzie – um cirurgião durante a Guerra Civil Americana que, mais tarde, se tornou professor de química – e publicada em 1874.

No final do século XIX, cerca de 65% de todo o papel de parede dos Estados Unidos continha arsénio, e o cientista descobriu que, com o tempo, esse veneno era libertado e acabava por ficar no ar, nos alimentos, nas mãos dos habitantes da casa, causava doenças e, às vezes, até matava.

De acordo com o portal Oddity Central, Robert Clark Kedzie compilou 86 amostras de papel de parede de arsénio no seu livro. Naquela época, sabia-se que o arsénio é uma toxina capaz de matar uma pessoa se ingerida, mas ninguém imaginava que o veneno pudesse matar mesmo quando usado como ingrediente ativo para tornar as cores do papel de parede mais vivas.

Como parte de um esforço para aumentar a consciencialização sobre o perigo mortal do papel de parede com arsénio, Kedzie produziu 100 cópias do livro e enviou-as a bibliotecas públicas no Michigan, juntamente com uma nota a explicar o propósito de o livro e um aviso aos bibliotecários para não deixarem as crianças tocarem nas páginas.

Das 100 cópias originais deste livro, apenas quatro chegaram até aos dias de hoje, uma vez que, quando as teorias de Kedzie foram provadas corretas, a maioria das bibliotecas que receberam as cópias destruíram-nas.

Atualmente, duas cópias do livro estão na Michigan State University, outra foi parar à biblioteca da Harvard Medical School e a quarta está na National Library of Medicine.

Preservar – e até armazenar – as cópias do livro é uma tarefa bastante difícil. Antes de embrulhar cada página em película plástica em 1998, a cópia da Michigan State University só podia ser tocada por pessoas que usassem luvas especiais, entre outras restrições.

Embora a campanha de Kedzie para aumentar a consciencialização sobre o papel de parede com arsénio tenha envenenado uma mulher que examinou o livro, foi amplamente vista como uma forma eficaz de divulgar os perigos de viver numa casa coberta com decorações mortais.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

    • Cara leitora,
      Obrigado pelo seu reparo.
      O que está presente no papel de parede referido no texto é o elemento químico tóxico “arsénio” [Ar], e não o ácido de arsénio, veneno mais conhecido como “arsénico”.

      • Parece-me que também não está correta a justificação.
        O “arsésio”, elemento químico com o número 33 da tabela periódica, tem por símbolo químico [As].
        [Ar] é o elemento 18 da tabela periódica, de seu nome “árgon”, também designado por árgão/argão/argónio/argônio/argon (conforme as variantes do português).

RESPONDER

A piscina infinita mais alta do mundo fica no Dubai

Haverá poucas coisas tão libertadoras como dar um mergulho numa piscina infinita com vista para o oceano. Agora, quem visitar o Dubai poderá fazê-lo numa piscina a quase 300 metros acima do nível do mar. Segundo …

"Polskie Babcie", as avós que lutam pela democracia na Polónia

Um grupo de idosas polacas organiza protestos, todas as semanas, para lutar pela democracia no país, governado pelo partido de direita nacional-conservador e democrata-cristão Lei e Justiça (PiS). É hora de ponta em Varsóvia, capital da …

Cimeira Social. Jerónimo de Sousa diz que não se respondeu aos verdadeiros problemas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou este sábado, no Porto, que a Cimeira Social da União Europeia não respondeu às necessidades associadas ao emprego, à valorização dos salários e ao fim da precarização …

Babbage escreveu uma carta a Tennyson. Exigia a "correção matemática" de um poema

A perspicácia matemática de Charles Babbage levou-o a escrever uma carta ao poeta Alfred Tennyson, que exigia, de certa forma, rigor e precisão no poema The Vision Of Sin. Charles Babbage é conhecido como o pai …

Covid-19: Portugal com uma morte e 324 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal registou hoje uma morte atribuída à covid-19, 324 novos casos de infeção pelo novo coronavírus e uma ligeira subida no número de internamentos em enfermaria, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o …

Roma já tem uma máquina de venda automática de pizza

A capital italiana tem agora uma máquina de venda automática que faz pizzas em apenas três minutos. Os preços variam de 4,50 aos seis euros (e as opiniões sobre esta ideia também). Raffaele Esposito, o napolitano …

Morreu Bo, o cão de água português de Barack Obama

Bo, o cão de água português que o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, adotou em 2009 morreu este domingo com 13 anos, em consequência de um cancro, anunciou o político nas redes sociais. O cão …

Futuro pós-vacinação entre reforço de dose, controlo de variantes e medicamentos

A incerteza sobre a duração da imunidade das vacinas contra a covid-19 deixa o futuro do combate à doença entre o reforço da vacinação, a monitorização de novas variantes e o desenvolvimento de terapêuticas alternativas, …

Presidente da República promulga Carta de Direitos Humanos na Era Digital

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou este sábado a Carta de Direitos Humanos na Era Digital, aprovada em abril na Assembleia da República, segundo uma nota divulgada no site da Presidência. A lei, …

Depois de 17 anos no subsolo, biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos

Biliões de cigarras vão emergir nos Estados Unidos. O aviso é de um grupo de cientistas que alerta que, dentro de alguns dias ou semanas, as cigarras da Ninhada X vão surgir depois de 17 …