Senado aprova processo de destituição de Donald Trump

Chris Kleponis / EPA

O ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Senado norte-americano aprovou, esta terça-feira, com os votos dos senadores democratas e de alguns republicanos, a continuação do processo judicial de destituição do ex-Presidente.

Num Senado dividido entre 50 republicanos e 50 democratas, 56 senadores votaram a favor e outros 44 votaram contra, confirmando, assim, que o processo de destituição contra Donald Trump se enquadra na sua jurisdição.

Seis republicanos votaram a favor da continuação do processo, juntamente com os 50 senadores democratas. Segundo a estação pública alemã Deutsche Welle, o único voto inesperado foi o do senador Bill Cassidy, que mudou de posição depois da exposição dos argumentos, tendo-se juntado a Susan Collins, Lisa Murkowski, Mitt Romney, Ben Sasse e Pat Toomey.

A votação no Senado teve lugar no final do primeiro dia de debate, em que bastava uma maioria simples para o processo avançar. Recorde-se que Trump é acusado de incitamento à insurreição na sequência da invasão do Capitólio, no passado dia 6 de janeiro.

Sob fortes medidas de segurança no exterior do mesmo edifício, os cem senadores assistiram a excertos dos acontecimentos desse dia. Além das imagens do assalto, foram reproduzidas imagens do comício do ex-Presidente, no exterior do Capitólio, em que proferiu uma frase que a acusação considera provar que incitou a violência que se seguiu: “Vamos dirigir-nos ao Capitólio”.

“Se isto não é ofensa digna de destituição, então não existe tal coisa”, afirmou o democrata Jamie Raskin, que liderou o grupo de nove deputados da Câmara dos Representantes que apresentaram o pedido de impeachment.

Em contraste com a acusação dos democratas, os advogados de Trump atacaram o processo de destituição, argumentando ser inconstitucional e um esforço partidário para acabar com o futuro político do seu cliente.

A defesa afirmou ainda que o ex-chefe de Estado, ao discursar para os seus apoiantes antes da invasão, estava apenas a exercer o seu direito de liberdade de expressão, previsto na Constituição.

David Schoen, um dos advogados de Trump, denunciou aquilo a que chamou de “desejo insaciável por um impeachment“, tendo exibido também um vídeo no qual mostra legisladores democratas a pedir a destituição do republicano em 2017.

O julgamento irá continuar esta quarta-feira, às 12h00 locais de Washington.

Trump é o primeiro Presidente dos Estados Unidos a ser sujeito duas vezes a um processo de destituição no mesmo mandato e o único a ser julgado politicamente depois de já ter abandonado o cargo.

O primeiro impeachment foi aprovado pela Câmara dos Representantes, em dezembro de 2019, por abuso de poder e obstrução do Congresso, ao ter pressionado a Ucrânia a lançar uma investigação contra Joe Biden, agora Presidente, e o seu filho Hunter. O Senado acabou por absolver Trump em fevereiro do ano passado.

A Constituição determina que a condenação só é válida se tiver o apoio de dois terços dos cem senadores, mas da bancada republicana poucos se mostram favoráveis à condenação do ex-Presidente.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …

Junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, diz especialista da ONU

A junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, incluindo crianças com 20 semanas de idade, segundo o relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) destacado para o país, …

Regiões portuguesas entre as que mais colocaram trabalhadores em teletrabalho

  Apesar dos números elevados registados em Portugal, futuro do modelo está ainda em aberto, face à preferência dos patrões em ter os funcionários a trabalhar em ambiente de escritório. De acordo com dados revelados pelo Eurostat, …

Reino Unido em choque. Sabina Nessa pode ter sido assassinada por um estranho ainda em liberdade

Sabina Nessa, de 28 anos, terá sido assassinada enquanto caminhava pelo Cator Park, no sudeste de Londres, na passada sexta-feira. O percurso da sua casa até a um bar ia demorar apenas cinco minutos, mas …

A corrida a secretário-geral da UGT terá dois candidatos

É a primeira vez que a corrida à liderança da UGT conta com dois candidatos: além de José Abraão, atual dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), Mário Mourão, presidente do Sindicato dos …

Colapso da Evergrande. China pede a governos regionais que se "preparem para a possível tempestade"

As autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais para se prepararem para um possível colapso da Evergrande. O The Wall Street Journal noticia, esta quinta-feira, que as autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais …

Governo vai testar 35 mil funcionários de creches e pré-escolar até 3 de outubro

Os funcionários das creches, do pré-escolar e a rede nacional de amas começaram esta quinta-feira a ser testados à covid-19, numa ação que até 3 de outubro abrangerá 35 mil pessoas em todo o país. O …

Bem-vindo à última fase do desconfinamento: fim do certificado em restaurantes, máscara em transportes e lares

"Estamos em condições para avançar para a terceira fase de desconfinamento." Foi com esta frase que António Costa deu início à conferência de imprensa após o Conselho de Ministros desta quinta-feira. Portugal vai avançar para a …

EUA reabrirá campo de detenção de migrantes perto da prisão de Guantánamo

A administração do Presidente dos Estados Unidos (EUA) Joe Biden se prepara para reabrir um campo de detenção de migrantes na Baía de Guantánamo, após um aumento de migrantes e requerentes de asilo no sul …

Défice desce para 5,3% do PIB no 2.º trimestre do ano

O défice orçamental do primeiro semestre deste ano é de 5,5% do PIB. A meta do ministro das Finanças para o ano de 2021 é de 4,5%.  O défice orçamental fixou-se em 5,3% do PIB no …