Sem apresentar provas, Trump diz estar a ser roubado. Biden continua a ganhar terreno

Chris Kleponis / EPA Pool

O Presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, e recandidato ao cargo disse, na quinta-feira, que venceria facilmente as presidenciais se contabilizassem “os votos legais”, advogando que está a ser ‘roubado’, sem apresentar, no entanto, quaisquer evidências.

“Se contarmos os votos legais vencemos facilmente, mas se contarmos os votos ilegais poderão tentar roubar-nos as eleições”, disse o chefe de Estado norte-americano, em conferência de imprensa na Casa Branca, em Washington.

Trump referiu inúmeras vezes que estava a ser ‘roubado’ e que havia tentativas do partido democrata de adulterar a contagem dos boletins de voto para impedir a vitória republicana. Contudo, durante o discurso Trump não apresentou quaisquer evidências que sustentassem as acusações que fez.

E insistiu: “Não podemos ter uma eleição roubada desta maneira (…) Já tinha dito muitas vezes que os votos postais iam terminar em desastre. Isto é uma fraude à grande escala e aumenta a cada dia”, disse, referindo-se aos boletins de voto que chegaram por correio.

Tal como escreve o semanário Expresso, o Presidente norte-americano perdeu alguma da vantagem em estados importantes porque grande parte dos eleitores republicanos votou presencialmente, ao passo que uma grande fatia dos eleitores democratas votou por correio devido à pandemia de covid-19.

Não é uma questão de quem ganha: se eu ou o Joe. O que não podemos que uma desgraça destas [uma eleição roubada] aconteça no nosso país”.

O Presidente dos Estados Unidos terminou a conferência de imprensa e abandonou o púlpito sem intenção de responder às questões que os jornalistas estavam a tentar fazer.

ABC, CBS e NBC cortam palavra a Donald Trump

Algumas das principais estações de televisão dos Estados Unidos, como ABC, CBS e NBC, cortaram o discurso do Presidente no horário nobre, enquanto a Fox News, referência informativa do Partido Republicano, desmentiu as alegações de Donald Trump.

A divisão no canal de notícias conservador está a aprofundar-se cada vez que Trump repete as alegações de fraude eleitoral. “Não vimos nada que constitua fraude ou abuso do sistema”, disse o correspondente da Casa Branca para a Fox News, John Roberts, em direto, da mesma sala de imprensa em que o Presidente falara segundos antes.

Nos estúdios, em Nova Iorque, os apresentadores repetiam continuamente. “Não vimos nenhuma prova”. Horas depois, em programas de opinião noturnos, a apresentadora da Fox News, Laura Ingraham, deu uma volta de 180 graus e questionou num editorial o facto do voto pelo correio ser contado, afirmando que “a América deve encontrar o vencedor na noite das eleições ou na manhã seguinte”.

A mesma estação, o canal pago de notícias mais assistido, foi palco de grande tensão na noite da eleição de terça-feira, depois de declarar o rival de Trump, o democrata Joe Biden, vencedor do Arizona, antes que outros ‘media’ o fizessem.

A diferença de critérios na programação da Fox News reflete a tensão editorial que existe entre os jornalistas de uma empresa que vive um dilema: decidir entre continuar a apoiar a deriva do discurso de Trump ou a verificação das suas denúncias contra o sistema eleitoral.

Enquanto isso, as três principais estações de sinal aberto – NBC, ABC e CBS – cortaram e desmentiram veementemente o discurso de Trump em pleno direto.

“Temos de interromper Trump porque o Presidente fez uma série de afirmações falsas”, disse o jornalista Lester Holt, apresentador do NBC Nightly News, um dos três programas de notícias mais seguidos na televisão em sinal aberto.

“Simplesmente não houve prova”

O mesmo foi feito por David Muir, apresentador do noticiário mais seguido no país, com oito milhões de telespetadores diários, o ABC World News Tonight. “Simplesmente não houve prova, em nenhum desses estados, de que haja votos ilegais”, disse.

Em seguida, o jornalista explicou que, devido à pandemia do coronavírus, a votação por correspondência aumentou, quebrando recordes: mais de 100 milhões de norte-americanos votaram antes, o que prolongou o escrutínio.

A CBS, a terceira em audiências, iniciou um apuramento de factos quando Trump terminou o discurso e desmentiu todas as acusações de “fraude” e “corrupção do sistema”.

Mais contundentes foram os serviços de informação da rádio pública norte-americana, NPR: “Trump, mais uma vez, reivindicou falsamente a vitória nas eleições de 2020. Ele não ganhou. Os votos ainda estão a ser contados”, afirmou.

Por sua vez, os canais pagos de notícias CNN e MSNBC, conhecidos por posições mais liberais, comentaram duramente: “Que noite triste para os Estados Unidos”. Trump “está a tentar atacar a democracia com uma série de falsidades. Mentira após mentira após mentira”, lamentou o apresentador Jake Tapper.

O Washington Post, o New York Times e o Los Angeles Times também desmentiram o Presidente. Da mesma forma, a Justiça da Geórgia e do Michigan negou provimento aos primeiros processos movidos por Trump, que depende do apoio mediático da Fox News, que se vai diluindo, e de plataformas “alternativas” que surgiram nas redes sociais.

Biden continua a ganhar terreno

A discurso de Donald Trump surgiu numa altura em que o candidato democrata está a ganhar terreno em estados que podem ser decisivos, como é o caso da Pensilvânia, anulando a vantagem que Donald Trump levava.

Depois de garantir Wisconsin, Michigan e Arizona (que a agência noticiosa AP, com histórico sólido em eleições, dá como ganho), Biden tem agora 264 delegados ao Colégio Eleitoral, estando a seis da Casa Branca. O estado do Nevada (6 delegados), onde aumentou a diferença para Trump, pode garantir-lhe a Presidência.

Mas Biden tem crescido noutras frentes: na Geórgia, por exemplo, leva agora 917 votos de vantagem sobre Trump, num estado que lhe pode render a eleição, uma vez que vale 16 delegados ao Colégio Eleitoral e a contagem dos votos está quase a fechar.

Também na Pensilvânia, que era liderada por Trump, Biden tem ganho terreno.

Donald Trump, por sua vez, continua com 214 delegados eleitos, estando mais longe do número mágico que dá acesso à Casa Branca – 270 “grandes eleitores”.

Um mapa interativo com os resultados pode ser visto no site da Euro News.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Todos os portugueses querem Biden que ganhe, porque querem que a China controle Portugal, e Donald Trump pode ser o único que faça para que isto não aconteça

  2. 24/09/2012 – Cuidado com a besta (666)!!!
    A besta anda à solta com o rosto da liberdade e bem falante, encontrando-se escondida no ego de cada um, quando menos contamos, ela se manifesta contrariando até os melhores princípios de educação moral, profissional e ético.
    O seu rosto multifacetado, com facilidade se disfarça no mais correcto, simples e corrupto cidadão, não escolhe cor, personalidade, religião, partido político, idade, nem estrato social.
    Cuidado!!!
    A besta circula nos campos, ruas, fábricas, escolas, universidades, gabinetes, lojas, centros comerciais, família, onde quer que o homem esteja. De humildade disfarçada, fala, ri, chora, pressiona, canta, dá ordens, coopera, bate nas costas dos incautos e agradece, mas á mais pequena alteração comportamental, orgulho, prepotência, cumplicidade, nervosismo, distração e oportunismo se manifesta.
    A besta é bem falante, brutamontes, culta e inculta, depende onde se incorpora e o ambiente por ela criada. Moralidade é assunto que não lhe interessa, o que lhe importa são números, e bens materiais, criando barreiras entre os seus congéneres e contra a lei da harmonia, fraternidade, equidade, impondo a sua vontade em função do seu estatuto e institucional.
    A besta é activa, passiva, negligente, provocadora, autoritária, ardilosa, conseguindo racional ou irracionalmente, consciente ou inconscientemente os seus objectivos, tendo como propósito espezinhar, escravizar, parasitar, roubar, violar, traficar, desrespeitar, assassinar, injustiçar, enganar, provocar guerras, justificando os seus actos de terror, demoníacos, em nome disto ou daquilo, etc., etc., sentindo-se realizada e feliz, vivendo à custa das suas vítimas, do trabalho e humildade do seu semelhante.
    Agora mesmo, a besta se manifestará em alguém, a quem não agradará este pensamento.

  3. Engraçadinhos. Embora o que se espera do média português que é 99% leftista-socialista-liberalista-esquerdista.

    Claro, os democratas deixaram as evidências da batota em todo o lado, só que o Trump estúpido não as encontra ainda.
    Haha, e aqueles 123 mil votos puramente em Biden, preenchidos e carimbados para a terça-feira não contam como batota em Michigan?
    E os 32 mil votos não registados mas contados para Biden na Georgia não contam?
    E os dezenas de milhares mortos quais nasceram nos últimos 200 anos e pediram e receberam boletins para votar.
    Deixem esta, enquanto esse elite liberalista manda no mundo, na Europa e nos EUA eu continuo a estar enjoado do ser humano.

    • Tudo isso é mentira, teorias da conspiração sem qualquer fundamento. Se é assim tao fácil para os Democratas executarem uma operação de fraude simultânea em vários Estados, sem fugas de informação, do Arizona à Pensilvânia, porque é que perderam lugares na Câmara dos Representantes, e porque é que é quase certo que não vão conseguir uma maioria no Senado?

    • Hahahaaaa…. a carneirada da seita religiosa do Trump nunca desilude!…
      Tu, tal como o teu mentor religioso, além de enjoado, és aldrabão – daí teres escrito 99% de mentiras e disparates!…
      Batota clara houve na atribuição da tua inteligência – teres capacidade para escrever alguma palavras já foi uma sorte!!
      Oh ovelhinha, um milionário da elite e que apareceu para salvar a humanidade das elites, só faz sentido vindo desse amendoim que tens no lugar do cérebro…

RESPONDER

MP investiga protesto com alegadas saudações nazi

Uma fonte oficial da Procuradoria-Geral da República revelou esta sexta-feira que foi instaurado um inquérito, dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, às alegadas saudações nazi na manifestação que ocorreu na Praça …

Eriksen tem alta hospitalar

Seis dias depois de sofrer uma paragem cardíaca, Christian Eriksen teve alta hospitalar e visitou o estágio da seleção dinamarquesa antes de regressar a casa. Christian Eriksen teve alta hospitalar esta sexta-feira, confirmou a federação dinamarquesa, …

MP francês pede seis meses de prisão efetiva para Sarkozy

O Ministério Público (MP) pediu na quinta-feira um ano de prisão, com seis meses de pena efetiva, para o ex-Presidente francês Nicolas Sarkozy, julgado em Paris na sequência de uma investigação ao financiamento irregular na …

Portugueses já podem pedir Certificado Digital Covid

Os portugueses já podem pedir o Certificado Digital Covid, o documento que facilita as viagens para o estrangeiro durante as férias. O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que os portugueses poderiam pedir o seu certificado digital europeu …

Guterres presta juramento na ONU e estabelece "prioridade mundial absoluta"

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, prestou juramento e tomou posse para um segundo mandato durante uma sessão plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, Estados Unidos. António Guterres …

Suécia 1-0 Eslováquia | Isak carrega nórdicos às costas

A Suécia deu hoje um passo de ‘gigante’ rumo aos oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Eslováquia por 1-0, em encontro da segunda jornada do Grupo E, disputado em São Petersburgo. Depois …

Ex-CEO da Groundforce admite hipótese de comprar a empresa

O ex-CEO da Groundforce, afastado do cargo em abril por "violação grave dos deveres de lealdade", não exclui a hipótese de vir a comprar a empresa de handling. Em declarações ao jornal online ECO, Paulo Neto …

Viatura onde seguia Eduardo Cabrita atropela uma pessoa na A6

Esta sexta-feira, um homem morreu após ter sido atropelado pelo automóvel em que seguia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, num acidente na autoestrada A6. Numa nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna …

Portugal com mais 1.298 casos e quatro mortes

Esta sexta-feira, Portugal registou 1.298 novos casos e quatro mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.298 casos e …

Parlamento aprova prorrogação das moratórias bancárias até final do ano

O alargamento aplica-se aos "particulares e para as empresas que desenvolvem a sua atividade em setores especialmente afetados pela pandemia de covid-19". O Parlamento aprovou, esta sexta-feira ,a prorrogação e alargamento das moratórias bancárias, que terminavam …