SATA deve mais de 200 mil euros a bombeiros nos Açores

EK056 / Flickr

Os valores foram divulgados pelo Governo Regional em resposta a um requerimento do PSD, em que o partido questionava sobre a dívida da companhia aérea açoriana aos bombeiros da Madalena e a outras corporações na região.

A SATA Gestão de Aeródromos deve cerca de 220 mil euros a três corporações de bombeiros da Região Autónoma dos Açores, revelou o Governo Regional, em resposta a um requerimento apresentado pelo PSD.

No documento que deu entrada na segunda-feira no Parlamento açoriano, e que responde a um requerimento apresentado pelo PSD, o executivo açoriano assume que, a 31 de Janeiro, a SATA Gestão de Aeródromos devia 87.646,54 euros à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Madalena, 72.580,70 euros à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Graciosa e 59.842,36 euros aos bombeiros das Velas, em São Jorge.

A resposta do Governo Regional explica que “o contracto assinado entre as Associações de Bombeiros Voluntários da Madalena, das Velas e da Graciosa e a SATA Gestão de Aeródromos, S.A. estipula um conjunto de obrigações no âmbito da execução da prestação do serviço de prevenção de acidentes e incidentes, salvamento e luta contra incêndios nos aeródromos de São Jorge, Pico, Graciosa e Corvo, cujo cumprimento integral cabe a cada uma das partes e a resolução de litígios ao competente tribunal”.

“O Governo dos Açores, no cumprimento das suas responsabilidades, já solicitou a ambas as partes um documento pormenorizado sobre o cumprimento das obrigações contratuais, identificando e justificando aquelas que, porventura, na presente data ainda se encontram por cumprir e que possam comprometer o processo de certificação dos aeródromos regionais”, conclui o documento.

Os valores foram divulgados pelo Governo Regional em resposta a um requerimento do PSD, que foi enviado a 20 de novembro, em que o partido questionava sobre a dívida da companhia aérea açoriana aos bombeiros da Madalena e se a SATA devia dinheiro a outras corporações na região.

“A dívida da SATA à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Madalena [Pico] está a criar sérias dificuldades à vida daquela instituição e, segundo foi noticiado, ameaça colocar em risco o próprio pagamento dos salários dos bombeiros que dependem daquela instituição para ter um rendimento no fim de cada mês”, lê-se no documento remetido ao executivo em Novembro.

A bancada social-democrata destacava, ainda, tratar-se “de uma empresa pública regional, pelo que as responsabilidades do Governo Regional dos Açores são inequívocas e diretas, exigindo-se que atue em conformidade com as suas responsabilidades”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix passa a mostrar "top 10" diário de séries e filmes

A Netflix disponibiliza, desde esta segunda-feira (24), uma nova feature para os utilizadores do serviço de streaming: uma lista com os 10 filmes e as 10 séries mais vistas no país em cada dia. Esta nova …

A Realidade Virtual pode ser a próxima terapia para tratar pânico, fobias e distúrbios

A Oxford VR, empresa britânica de realidade virtual, acaba de acumular mais de 13 milhões de euros para investir na terapia com a tecnologia do futuro. A companhia surgiu a partir do departamento de psiquiatria da …

Apple não deixa que vilões de filmes usem iPhones

A Apple não deixa que os vilões dos filmes de Hollywood usem os telemóveis iPhone no grande ecrã. Esta é apenas uma das empresas que não permite este tipo de coisa. Os filmes podem ter uma …

O coronavírus pode ser a "doença X" temida pelos especialistas

O coronavírus, que já matou 2.700 pessoas e infetou mais de 80 mil desde dezembro, está a tornar-se "rapidamente" no primeiro grande desafio pandémico do mundo, enquadrando-se nos moldes da "doença X" temida por especialistas. O …

Media Capital passou de lucros a prejuízos de 54,7 milhões

A Media Capital registou prejuízos de 54,7 milhões de euros no ano passado, contra lucros de 21,6 milhões de euros um ano antes, anunciou hoje a dona da TVI, que está em processo de compra …

Camas na classe económica dos aviões podem vir a tornar-se uma realidade

A companhia aérea neozelandesa Air New Zealand está a pensar incluir camas na classe económica de alguns dos seus voos mais longos. A ideia deverá avançar dentro de um ano. A companhia aérea neozelandesa Air New …

Temperatura do planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões de anos

A temperatura no planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões a cinco milhões de anos, caso a humanidade consiga estancar as emissões de gases com efeito de estufa até 2030, diz a especialista …

Operação Lex. Juiz Vaz das Neves arguido por corrupção e abuso de poder

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa Vaz das Neves é arguido na Operação Lex por suspeitas de corrupção e abuso de poder relacionadas com a distribuição eletrónica de processos, disse à Lusa fonte …

Governo quer licenças de trabalho parcial pagas para pais no primeiro ano dos filhos

O Governo quer implementar licenças de trabalho parcial remuneradas para pais e mães de crianças no seu primeiro ano de vida, no âmbito do programa para a conciliação entre vida profissional e vida familiar e …

Covid-19. Portugal "tem de preparar-se para o pior" e ter plano de contingência

Ricardo Mexia, presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, defende que Portugal tem de se preparar para o pior e, por esta altura, já devia ser conhecido o plano de contingência em ação. "Convém …