Santos Silva ainda deu mais “13 segundos” ao PCP para condenar a Rússia (mas os comunistas culparam a América)

38

Tiago Petinga / Lusa

O deputado do Partido Comunista Português (PCP) João Oliveira

O PCP foi o único partido português que, até agora, recusou condenar a Rússia pelo ataque à Ucrânia, optando antes por apontar o dedo aos EUA que são “os verdadeiros interessados numa nova guerra na Europa”, segundo os comunistas.

A Comissão Permanente da Assembleia da República reuniu-se, com a participação do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, para condenar o ataque da Rússia à Ucrânia.

E todos alinharam em uníssono, exceptuando o PCP, que preferiu apontar o dedo aos EUA.

“A situação que se vive na Ucrânia não é um problema entre russos e ucranianos, nem apenas uma disputa por território ou demarcação de fronteiras”, sublinhou o líder parlamentar dos comunistas, João Oliveira.

“O problema é mais profundo, mais amplo e ultrapassa em muito o leste europeu”, vincou ainda o deputado do PCP, considerando que os EUA são “os verdadeiros interessados numa nova guerra na Europa” e que estão “dispostos a sacrificar até ao último ucraniano ou europeu para a promover”.

João Oliveira reforçou que Biden está a promover uma guerra à distância das suas fronteiras para “desviar atenções de problemas internos” e “assegurar a venda de armamento em larga escala”.

“Não é expectável que a Rússia, cujo povo conheceu na história colossais agressões, venha a considerar aceitável que o inimigo“, ou seja, a NATO, “esteja acampado nas suas fronteiras ou lhe faça um cerco militar por via de um ainda maior alargamento”, apontou ainda o líder parlamentar do PCP.

Apesar disso, João Oliveira reforçou que “a guerra não é solução” e que “é preciso fazer esforços para a evitar” e para impedir o envolvimento de militares portugueses.

Esta postura levou Santos Silva a registar o facto de o PCP não condenar o ataque russo e lançou o desafio a João Oliveira. “Ainda tem 13 segundos para o fazer”.

Mas o líder parlamentar comunista sublinhou que estava em causa “apenas uma circunstância”.

Condenamos todos o caminho que nos trouxe até aqui e condenamos todas as acções que contribuem para o mesmo objectivo”, referiu, falando da “escalada de confrontação política, económica e militar” e considerando que não está em causa “um acto ou uma circunstância isolada”.

Uma resposta que mereceu críticas do ministro dos Negócios Estrangeiros. “Essa técnica de querer condenar tudo ao mesmo tempo é o melhor disfarce” para o PCP se recusar a condenar a Rússia, vincou.

Santos Silva reforçou também a importância de condenar “sem ses, nem mas” a “invasão militar” à Ucrânia, um Estado soberano.

Também notou que esta é “a maior crise de segurança por que a Europa passa desde a II Guerra Mundial”, realçando que há uma “violação ostensiva das regras internacionais e da carta das Nações Unidas”.

BE criticou reforço da NATO na região

Em nome do Bloco de Esquerda, o deputado Pedro Filipe Soares também condenou “sem reservas a Rússia, considerando que “a invasão da Ucrânia é inaceitável” e defendendo um “cessar-fogo imediato e a retirada das forças russas de território ucraniano”.

Contudo, Pedro Filipe Soares criticou o reforço das forças da NATO na região, notando que isso “não dissuade, apenas escala o conflito”.

Além disso, defendeu a necessidade de “sanções económicas duras contra a oligarquia russa” para “regressar à via diplomática”.

Jerónimo critica “ataque” de Putin “à União Soviética”

Numa acção partidária em Lisboa, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou que as declarações de Vladimir Putin sobre a invasão à Ucrânia reflectem um “país capitalista” e representam “um ataque à União Soviética” e à “notável solução que esta encontrou para a questão das nacionalidades e o respeito pelos povos e as suas culturas”.

O líder comunista reforçou que a invasão do território ucraniano é “inseparável de décadas de crescente tensão e de confrontação” dos EUA e da NATO contra a Rússia.

  ZAP // Lusa

38 Comments

    • O BE apoiou?! Quando/onde?
      Criticar a NATO (e eu acho que não é altura para falar da NATO), não é defender a guerra do ditador Putin…

      • Como sempre, estás com os copos. Tens que prestar mais atenção ás noticias para saber que efectivamente tanto o PCP, como o BE apoiram Putin na sua decisão. Tens que estar mais atento. Não andas a apanhar as noticias todas.

            • Tu também deves ser daqueles que gostam de silenciar todos os que não pensam como tu.
              Tipo,…Putin.
              Ou então és o troglodita clássico que acredita que os comunistas comem criancinhas ao pequeno almoço

          • Onde estão as criticas ao Putin, e o apoio á Ucrânia ? os Comunistas do PCP e BE veem tudo ao contrario, se reprovam o OGE, a Culpa é do António Costa e do PR, porque queriam eleições antecipadas, O Putin invade a Ucrânia, mata aquela gente toda, a culpa é dos Americanos, agora imaginemos o PC ou o BE com alguma força em Portugal, alguns dos meus amigos comunistas, felizmente já se distanciaram da posição destes partidos, e condenam o Putin, mas eu acho que a sociedade não devia permitir que tivesse assento na AR pessoas destas edeologias que defende o massacre e invasão de Países.

            • Ler as noticias antes de comentar, ajuda (e evita essas figuras):
              “A Comissão Permanente da Assembleia da República reuniu-se, com a participação do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, para condenar o ataque da Rússia à Ucrânia.
              E todos alinharam em uníssono, exceptuando o PCP, que preferiu apontar o dedo aos EUA.”

              Eu não queria ter que defender o BE, mas, quando encontrares algo do BE que “defende o massacre e invasão de Países”, aparece.

          • Recentemente a catarina martins mostrou-se contra os oligarcas russos, mas no inicio da invasão á Ucrânia. a marisa matias manifestou-se publicamente a favor da decisão do putin invadir a Ucrânia. Se elas estão em dissonância ou se já se entederam pergunta-lhes a elas.

            • “A marisa matias manifestou-se publicamente a favor da decisão do putin invadir a Ucrânia”
              A Marisa o quê?!
              Onde vais buscar essas “notícias”? Será ao Facebook do Chega?!
              Continuas a espalhar mentiras e não mostras qualquer fonte que confirme o que escreves!…

    • Há pessoas que têm problemas com a interpretação textual, leem que o Bloco condenou a invasão Russa e entendem ao contrário, não há paciência que aguente!

  1. o PCP ainda vive na ilusão saudosista de que a Rússia é comunista, tamanho é o lastro deixado pelo séc. XX.
    já era mais que tempo de acordarem para a realidade – a Rússia de hoje é capitalista, tirânica e oligarca, e continua a ser imperialista como sempre foi desde os tempos de Ivan o Terrível. não são só os americanos que são imperialistas – aliás, os maiores impérios actuais são o russo (extensão) e o chinês (população) – e ambos são mais antigos que os EUA.

  2. Smp fui simpatizante PCP até há poucos anos atrás e se duvidas eu tinha elas dissiparam em definitivo .. tenham vergonha PCP

  3. Que figurinhas… estes malucos do PCP continuam a bater de frente contra a realidade e, a continuarem assim, estão mesmo a caminhar para extinção!…
    Nunca pensei que o PCP tirasse o lugar ao Chega/Ventura no apoio à Russia de Putin!!

  4. Incrível
    E depois admiram-se que desaparecem do panorama político com estas posições.
    O comunismo está mesmo condenado a desaparecer.
    Tadinhos

  5. PCP – mais um tiro no pé.
    O caminho é acabarem como o CDS, sem assento parlamentar. Já ninguém acredita nestes discursos saudosistas e completamente errados a caminho do Sec. XXII, assim como os russos (Putin e seguidores do regime).

    Merecem, com atitudes destas…

  6. Que se passará com o Partido Comunista Português, assim como com o Bloco de Esquerda, para verem sempre tudo ao contrario, Reprovam o OGE e dizem que era o António Costa é que queria eleições antecipadas, os Comunistas Russos, assassinos, atacam um País Vizinho e a culpa é dos Americanos, eu lamento por alguns Comunistas que conheço como boas pessoas, mas há um cego, não de olhos, mas fiel como um cão, seguidor ao partido, a quem já cortei toda a minha amizade, e lhe pedi distanciamento..

  7. Na mente destes “artistas” de Esquerda, invadir países Soberanos em nome da remota História, é normal !……Por esse andar teríamos que recuar nos tempos mais remotos e mudar a Geografia actual do Mundo !…os fanatismos dão nisto !

  8. O senhor Santos Silva e o seu partido fizeram aliança com o PCP, partido que defende claramente a ditadura do proletariado e fiel discípulo do PCP russo aonde parte dos seus principais membros se instalaram para receber as divinas aulas do comunismo, mas nada de ditaduras de extrema-esquerda incomodam o PS, o mesmo que anda muito incomodado com o CHEGA e com o qual o senhor Costa se recusa dialogar apesar ser já o terceiro partido do país. Por tanta ambiguidade como esta é que o povo tem cada vez menos confiança nas palavras e ações dos políticos com cara de feijão frade.

  9. gostava de perguntar ao senhor João Oliveira, o que pensa de uma invasão espanhola a Portugal, e no mesmo raciocínio se fosse uma invasão russa ao estado português. Qualquer sociedade civilizada e evoluída quer paz trabalhar a saúde do planeta que é a nossa casa. Desejo que a lei eleitoral seja mexida e alterada, e todos os partidos que não tenham assento parlamentar durante duas eleições seguidas que percam a possibilidade de concorrer a terceiras e na mesma linha de pensamento que o pcp perca representação parlamentar. Alguém que apoia a Rússia e condena a Ucrânia, não é digno se se sentar no parlamento Português.

  10. João Oliveira tem toda a razão no que disse, e saúdo a sua coragem em proclamar que o “rei vai nu”. A guerra na Ucrânia resulta da tentativa da NATO de isolar a Rússia, para servir os desígnios imperialistas dos EUA. Só lamento que uma Europa liderada por imbecis prefira continuar a prestar vassalagem aos nefastos desígnios americanos. A Europa tem a União Europeia para construir a sua defesa, não precisa de uma aliança agressiva, a NATO, para o fazer.

  11. Gostei do comentario comunista de Nuno Cardoso da Silva, pena é que nao seja atingido por ele, realmente ainda hoje com a informaçao ao alcançe de todos como pode haver tal opinião completamente desfazada dos factos da historia da realidade.

    • Dentro de alguns dias, quando a crise tiver chegado ao fim e a Ucrânia tiver subscrito um acordo com a Rússia, todos verão os enormes disparates que têm dito, empurrados por um ódio visceral a um país que recusa curvar-se perante a vontade dos americanos. Vejam como evoluiram as relações entre a Georgia e a Rússia, e vão perceber como vão evoluir as relações entre a Ucrânia e a Rússia.

      • Enfim… a Rússia invadiu a Ucrânia e mesmo assim tu continuas a delirar com os americanos!…
        Como toda a gente minimente sensata já percebeu, problema não é a Russia mas sim o ditador sanguinária chamado Putin (e companhia) que tratam os russos e a Russia como se fosse o seu quintal!!
        Pode ser que um dia acordes… enquanto há vida, há esperança!…

  12. Evoluíram? Essa palavra não existe na Rússia, continua a perseguição a quem não concorda com Putin que é um lunático que está no poder desde 1991 e altera a lei a seu belo prazer de forma a lá ficar eternamente. Além de assassinar pessoas em países Europeus para os silenciar, proibir manifestações (o que é irónico visto que o PCP mostrou os dentes quando se falava em não haver O Avante devido ao covid, só os outros não se podem manifestar). Para não falar no controlo supremo da imprensa e meios de informação (internet). Comunismo e Fascismo são exatamente a mesma coisa, os líderes apenas usam palavras/textos diferentes para chegarem ao poder e liderarem de forma absoluta, o povo é sempre o mais penalizado. A América tem muitos defeitos e problemas sem dúvida, mas podem dizer na rua que o Presidente é um idiota e nada acontece, na Rússia são fuzilados ou atirados a um poço.

      • Não vale a pena Nuno.
        As pessoas já não têm a capacidade para analisar os factos de forma objectiva.
        As máquinas de propaganda (de ambos os lados) estão demasiado ‘afinadas’.
        Ninguém quer saber que as coisas nunca são ‘branco’ ou ‘preto’.
        Na decisão final irão sempre optar por “My country, right or wrong”

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.