Imagens da NASA mostram que Rússia pode estar a queimar gás que deveria chegar à Europa

Maxim Shipenkov / EPA

Imagens do satélite que monitoriza os incêndios da NASA mostram que desde 17 de junho se têm registado chamas na estação de compressão Portovaya, gerida pela Gazprom e responsável por transportar gás, colocando a hipótese de Moscovo estar a queimar excedente de gás.

Como avançou a estação finlandesa Yle, citada pelo Observador, foram avistadas nuvens de fumo a partir da Finlândia, que podem estar associadas à queima de gás que deveria chegar à Europa.

Atualmente, está a chegar cerca de 20% da quantidade de gás que era transportado antes do início da guerra, com a Finlândia sem receber gás russo desde maio.

Olga Vaisanen, responsável pela comunicação da energética finlandesa Gasum, indicou que a queima de gás pode acontecer quando existem problemas na produção, ou no transporte, sendo possível que haja necessidade de o fazer para manter a pressão nos respetivos tanques ou caso não seja possível entregar o gás ao cliente.

German Galushchenko, ministro da Energia da Ucrânia, comentou: “em vez de fazerem milhões de euros em abastecimento, os russos são forçados a queimar, simplesmente, o gás. É por isso que o ocidente deve manter o regime de sanções e intensificá-lo ainda mais”.

A 17 de junho foi reduzida a entrega de gás à Alemanha, através do gasoduto Nord Stream 1.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.