Rússia confirma retirada de forças da fronteira da Ucrânia

Vitaliy Ragulin / wikimedia

Tanque T-90 do exército russo

Tanque T-90 do exército russo

A Rússia anunciou esta segunda-feira a retirada de forças militares destacadas na fronteira com a Ucrânia, dias depois de Washington ter pedido ao presidente russo, Vladimir Putin, para retirar as tropas e aliviar a tensão na área.

O Ministério da Defesa russo informou que o 15º batalhão abandonou hoje o polígono (terreno destinado ao exercício de tiro e manobras da artilharia) de Kadamovski, na região de Rostov del Don, na fronteira com a Ucrânia, e dirigiu-se para a base de destacamento regular em Samara, localizada a mais de 1 mil quilómetros da fronteira.

O ministério precisou que o batalhão fez durante as últimas semanas em Rostov vários exercícios, incluindo exercícios de tiro, explorações e outras táticas militares.

Algumas horas antes deste anúncio, o Ministério da Defesa ucraniano informou que tinha indicações de que as forças russas estavam a sair gradualmente da zona fronteiriça com a Ucrânia, sem especificar, no entanto, o número de militares envolvidos na possível retirada.

“Nos últimos dias, as forças russas estão a retirar-se gradualmente da zona da fronteira”, afirmou o porta-voz do ministério ucraniano, Oleksiy Dmytrashkivskiy.

Outra fonte ucraniana indicou hoje que cerca de 10 mil soldados russos ainda permaneciam perto da fronteira.

Segundo os serviços secretos norte-americanos, Moscovo tinha mobilizado para as regiões russas de Rostov no Don, Kursk e Bélgorod, que fazem fronteira com a Ucrânia, mais de 30 mil soldados, mas também blindados e meios aéreos.

Dados divulgados pelas autoridades de Kiev davam conta de que quase 100 mil soldados russos, equipados com blindados, lança-mísseis, aviões e helicópteros, estavam na semana passada na fronteira com a Ucrânia à espera de ordens de Vladimir Putin.

Estas informações aumentaram os receios ucranianos sobre uma possível invasão das regiões orientais russófonas do país, depois do processo de anexação da República Autónoma da Crimeia.

Na sexta-feira passada, durante uma conversa telefónica com Putin, o presidente norte-americano, Barack Obama, exortou o líder russo a retirar as tropas destacadas ao longo da fronteira com a Ucrânia.

No dia seguinte, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, negou que Moscovo tivesse planos para invadir o território ucraniano.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Gosto muito deste Presidente . Mr. Vladimir Putin, de politica Internacional pouco entendo . Quando foi da Invasão da Ukrania, pedi a Mr. Putin, não fizesse mal a crianças e mulheres penso que ele e suas tropas , respeitaram. Apesar de ser muito
    dificil em guerra não haver danos colaterais. Gosto deste Presidente como de outros apenas por amizade e Direitos Humanos que eu defendo . Um Abraço para todos e acabem com as guerras . Paz e Amor.
    Pedro Malheiros

RESPONDER

Marcelo Rebelo de Sousa critica "instrumentalização do medo" pelo poder

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje haver demasiados poderes com medo que o medo acabe, considerando a "instrumentalização do medo" para acorrentar os outros como um problema na ordem do dia. “Há …

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …

New York Times divulga provas de que a Rússia bombardeou deliberadamente hospitais na Síria

O The New York Times publicou este domingo, segundo avança o próprio jornal norte-americano, provas de que a Rússia bombardeou repetidamente e deliberadamente hospitais na Síria, onde intervém em apoio do regime sírio do Presidente …

Simone Biles torna-se na ginasta mais medalhada de sempre em Mundiais

Esta foi a quarta medalha de ouro para Biles em Estugarda, depois de ter vencido a prova por equipas, o concurso geral individual e a prova de salto. A norte-americana Simone Biles tornou-se hoje a ginasta …

Há um Reino muito pouco Unido na corda bamba. Rainha inicia semana decisiva para o Brexit

Depois do discurso real desta segunda-feira, as conversações entre Londres e Bruxelas deverão continuar e avançar pela cimeira da UE de quinta e sexta-feira. No sábado, o Parlamento britânico reúne-se excecionalmente para votar o que …

Esther Duflo, Abhijit Banerjee e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

O prémio Nobel da Economia de 2019 foi esta segunda-feira atribuído à francesa Esther Duflo, ao indiano Abhijit Banerjee e ao norte-americano Michael Kremer, anunciou a Real Academia das Ciências sueca. O Prémio de Ciências Económicas …