Rui Pinto revelou “o mapa do tesouro”. Louçã foi a tribunal defender o hacker

Mário Cruz / EPA/Lusa

Rui Pinto no arranque do julgamento do chamado caso “Football Leaks” que envolve o Fundo de Investimentos Doyen.

“O Luanda Leaks abriu a luz numa sala que estava às escuras”. As palavras são do ex-coordenador do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, que foi a tribunal defender o hacker Rui Pinto, considerando que aquele caso foi “um momento de viragem” para Portugal e Angola.

Ouvido como testemunha arrolada pela defesa de Rui Pinto, na 39.ª sessão do julgamento do processo Football Leaks, no Tribunal Central Criminal de Lisboa, o economista e conselheiro de Estado começou por notar que, atualmente, “a sofisticação do crime económico e do branqueamento de capitais é de altíssima complexidade“.

E isso, no seu entender, reforça ainda mais a importância do Luanda Leaks, cuja fonte foi Rui Pinto que foi também o criador do Football Leaks.

O caso Luanda Leaks expôs, em Janeiro de 2020, alegados esquemas financeiros da empresária Isabel dos Santos e do marido, que lhes terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano através de paraísos fiscais.

“O Luanda Leaks abriu a luz numa sala que estava às escuras”, disse Louçã em tribunal, notando que “provou que este universo era uma forma de reciclagem de recursos de uma enorme dimensão”.

“O Luanda Leaks forneceu às autoridades angolanas informação de grande valor para promover a sua própria investigação e os caminhos que a investigação tem vindo a prosseguir”, apontou ainda o ex-dirigente do Bloco.

“É ter o mapa do tesouro”

Autor do livro “Os Donos Angolanos de Portugal”, Louçã explicou ainda que a informação se baseava “estritamente em fontes legais e em informação publicamente acessível”.

“Podíamos pressupor que o enriquecimento da família dos Santos provinha dos recursos públicos e isso era uma hipótese forte perante as evidências”, começou por declarar a testemunha.

Loução também apontou o mérito da informação divulgada, nomeadamente o circuito entre cerca de 400 empresas associadas à empresária angolana. “É ter o mapa do tesouro e poder perceber como funciona esta operação”, destacou.

Assegurando não ter “acesso a fontes ilegais” ou “capacidade jurídica” para discutir a questão do acesso à informação, Francisco Louçã defendeu a opção de incluir na segunda edição do seu livro, lançado em 2020, revelações do Luanda Leaks e vincou que a origem da informação nunca esteve em causa.

“Tenho conhecimento de que ela é divulgada por um consórcio internacional de jornalistas, que assume a responsabilidade pela sua divulgação. E a informação é pública. Portanto, reportei na segunda edição do livro. Não tive qualquer dúvida”, frisou.

O actual comentador político também apontou que a autoria do livro ou da investigação jornalística não substitui o papel das autoridades.

Football Leaks tem “relevância pública e democrática”

Em relação ao Football Leaks, o antigo líder bloquista manifestou o seu conhecimento da situação pela comunicação social, apesar de ter valorizado o interesse público dos dados divulgados pela plataforma electrónica criada por Rui Pinto.

“Registei com gosto o facto de se poder ter uma informação que é de enorme importância e de relevância pública e democrática. Algumas autoridades usaram essas informações para obterem pagamentos de impostos que eram devidos e só por isso a sua relevância já é importante”, referiu Francisco Louçã.

O comentador lamentou ainda a associação de diversas transacções no futebol a intermediação sediada em paraísos fiscais.

O julgamento do processo Football Leaks prossegue na próxima quinta-feira, com as audições das testemunhas Miguel Poiares Maduro, Francisco Nina Rente e Gerard Ryle.

Rui Pinto, de 32 anos, responde por um total de 90 crimes, incluindo acesso indevido e violação de correspondência, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol e a Procuradoria-Geral da República.

O pirata informático também responde por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada. Este último crime diz respeito à Doyen e foi o que levou também à pronúncia do advogado Aníbal Pinto.

O criador do Football Leaks encontra-se em liberdade desde 7 de Agosto, “devido à sua colaboração” com a Polícia Judiciária e ao seu “sentido crítico”. Mas, por questões de segurança, está inserido no programa de protecção de testemunhas em local não revelado e sob protecção policial.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Pois… Parece que o crime vai compensar para este mercenário. e continua a haver pessoas que acham que é válido invadir a privacidade de outros desde que se “justifique”. é assim que morre o estado de direito. E ainda há gente que acha que este “senhor” DEU as informações… crentes! Se ele realmente fosse quem ele diz que é (alguém que quer desmascarar a corrupção em Portugal – de alguém que nem vive cá…) DAVA as informações e não as vendia! É um mercenário criminoso!… Que se vai safar porque há “outros” (poderosos/ricos) que têm medo que ele abra a boca.
      Pior! É um dos piores hackers do mundo! Porque digo isto? Porque foi apanhado! Pior! Foi apanhado… pela polícia portuguesa!

  1. “É ter o mapa do tesouro”… Mas com batota! Tenho pena que o Francisco Louçã, alguém que tinha (porque já não tenho) muito respeito, assim como tinha pela Dra Ana Gomes, valide atos criminosos. Um crime para descobrir outro não está certo num estado de direito. É uma vergonha! Luanda Leaks? Acordem! Acredito que ele criou o Luanda Leaks por a Isabel dos Santos não lhe pagou para estar calado! Claro que não tenho provas! Assim como não tenho provas que o bimbo viu a agressão.
    “Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay”

RESPONDER

Moedas fecha lista para a Câmara de Lisboa

O candidato à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, já fechou a equipa que o vai acompanhar nas próximas autárquicas. O anúncio de que a lista de Carlos Moedas para a Câmara de Lisboa está fechada será …

Abaixo-assinado apelida Bolsonaro de genocida após 550.000 mortes no Brasil

Dezenas de personalidades e organizações da sociedade civil portuguesa subscreveram um abaixo-assinado de solidariedade internacional para com o Brasil, no qual apelidam o Presidente, Jair Bolsonaro, de "genocida" após mais de 550.000 mortes devido à …

Jovens com 18 ou mais anos já podem agendar a vacina contra a covid-19

O autoagendamento da vacina contra a covid-19 para pessoas com 18 ou mais anos ficou disponível, esta quarta-feira, no portal da Direção-Geral da Saúde (DGS). "O auto-agendamento para os utentes com idade igual ou superior a …

Juiz Carlos Alexandre aceita proposta de pagamento de caução de Joe Berardo

O juiz Carlos Alexandre aceitou, esta quarta-feira, a proposta e a forma de pagamento da caução de cinco milhões de euros apresentada pelo empresário madeirense no processo da Caixa Geral de Depósitos. A decisão favorável do …

Mais 13 mortes e 3452 casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta quarta-feira, mais 13 mortes e 3452 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3452 novos …

MPT junta-se a PDR e pedem que Nós, Cidadãos! seja banido das autárquicas pelo TC

O MPT juntou-se ao PDR e ambos pedem que o Nós, Cidadãos! seja impedido de "apresentar candidaturas" às eleições autárquicas de setembro. Em junho, o PDR deu entrada com um pedido no Tribunal Constitucional (TC) para …

Relatório revela envolvimento da Igreja Católica em 100 casos de pedofilia na Polónia

Uma comissão estatal que analisou as denúncias de crimes de pedofilia registadas na Polónia entre 2017 e 2020 denunciou na terça-feira que quase um terço dos casos estudados, num total superior a 300 processos, envolvem …

Polícias voltam aos protestos por causa do subsídio de risco em dia de nova reunião com o Governo

Elementos da PSP e da GNR voltam esta quarta-feira aos protestos por causa do subsídio de risco, uma concentração que vai decorrer enquanto os sindicatos e associações socioprofissionais estão reunidos no Ministério da Administração Interna …

Vieira continua em domiciliária. MP vai pedir reforço de garantias de caução

O Ministério Público (MP) vai pedir reforço de garantias de caução por entender que o uso das ações da SAD do Benfica não é a forma apropriada. O Correio da Manhã avança, esta manhã, que o …

Investigadores suecos pagam 23 dólares a quem se vacinar contra a covid-19

Recompensa surge no âmbito de uma pesquisa que pretende avaliar o nível de eficácia de diferentes incentivos à vacinação contra a Covid-19. O estudo conta com a participação de 8.200 voluntários com menos de 60 …