Rio só apoia descida do IVA da energia se não comprometer contas públicas

Rodrigo Antunes /Lusa

O líder do PSD afirmou esta sexta-feira que só aprovará uma descida do IVA da energia se não comprometer as contas públicas, embora defenda que a contrapartida para a quebra de receitas já devia estar inscrita no documento.

Em entrevista à TVI24, Rui Rio reafirmou a intenção de o PSD apresentar uma proposta de descida do IVA da energia “para as famílias, não para as empresas”, e disse que ainda terá de ler essa parte do Orçamento do Estado para 2020 para avaliar se o Governo já prevê a quebra de receitas, uma vez que fez um pedido de autorização legislativa para a descida deste imposto em certos casos, dependente da autorização de Bruxelas.

“Se o pedido de autorização está feito com o desejo de que Bruxelas deixe, então já está o orçamento desenhado e acomodado a isso. Ou estão a pedir de tal maneira para que Bruxelas não deixe passar e não têm de ter lá a quebra de receita?”, questionou, defendendo que só se o Governo estiver de “má-fé” neste pedido é que o PSD tem de apresentar uma contrapartida financeira.

Questionado se o PSD poderia juntar-se numa votação na especialidade a PCP e Bloco de Esquerda, que também defendem a redução do IVA neste setor, Rio só admitiu esse cenário se a quebra de receitas já estiver prevista no orçamento ou, então, se for proposta uma alternativa que não comprometa as contas.

“Se não estiver já lá [no orçamento] não poderei votar a favor de nada que não preveja a contrapartida, ou seja, que não se mexa no défice do Orçamento do Estado, que no caso até é superavit”, apontou.

Em matéria orçamental, Rio voltou a não querer adiantar o sentido de voto do PSD, mas reconheceu que “o mais normal é que o principal partido de oposição vote contra”, e disse que a favor será “quase impossível”, remetendo uma decisão para quando o partido “estudar tudo direitinho”. O líder do PSD reiterou que existem discrepâncias no documento e acusou o ministro das Finanças, Mário Centeno, de “habilidade saloia”, ao incluir despesas que já sabe que vai cativar.

“Tudo o que eu faço é em nome do interesse nacional”

Questionado se o PSD poderia, dentro de um ano, viabilizar um orçamento antes da presidência portuguesa da União Europeia em nome do interesse nacional, o líder do PSD e recandidato ao cargo recusou responder a um “cenário tão abstrato”. “Tudo o que eu faço é em nome do interesse nacional”, assegurou, dizendo não ser capaz, neste momento, de avaliar se seria do interesse do país essa viabilização do Orçamento do Estado para 2021.

Confrontado com a mesma pergunta, numa entrevista na quinta-feira também na TVI24, o também candidato à liderança do PSD Luís Montenegro respondeu negativamente.

Sobre as eleições diretas de 11 de janeiro, Rio reiterou as críticas à pertença a obediências secretas como a maçonaria, considerando que “criam alinhamentos”, “teias” e “relações de poder” pouco transparentes, e manifestou dúvidas sobre as garantias que os seus adversários deram de, no caso de Montenegro nunca ter pertencido, e no caso de Miguel Pinto Luz, ter saído há mais de 10 anos.

“Não sei se sabe, mas as pessoas que pertencem à maçonaria podem dizer que não pertencem, podem mentir, e estão a cumprir as regras internas”, afirmou, admitindo que, consigo na liderança, o PSD pode viabilizar uma iniciativa do PAN que prevê que tais informações possam constar do registo de interesses dos políticos.

Questionado de qual dos dois adversários se sente mais próximo, Rio disse ser “equidistante”, embora reconhecendo a Luís Montenegro “mais experiência e mais currículo”, enquanto Pinto Luz está mais “para marcar presença e para o futuro”.

Sobre um eventual cenário de derrota, o líder do PSD disse estar nesta corrida “para ganhar”, mas admitiu não ter nenhuma “obsessão” em ser presidente do partido.

“Se acharem que a continuidade do meu serviço é útil cá estou, se entenderem que já não sou útil não morro por causa disso”, afirmou, dizendo que, se tal acontecesse, “provavelmente” deixaria a vida política ativa, o que não o impediria, por exemplo, de participações cívicos como escrever artigos de opinião ou participar em conferências.

Ainda assim, deixou uma convicção quanto aos seus apoiantes: “Estou perfeitamente convencido de que, se eu não ganhar as eleições, aquilo que o outro lado me fez, as pessoas não o vão fazer, têm outra postura e outra retidão (…). Nos meus apoiantes não identifico quem vá ter uma atitude troglodita”, afirmou.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Senhor Rui Rio, então quer que os impostos desçam, que mais dinheiro na Saúde na Educação ena segurança isso eu também quero, mas o senhor melhor que o cidadão comum sabe que para descer os impostos e dar mais dinheiro para a Saúde, Educação e segurança, a algum lado tem de ir buscar, ou seja cortar em algum lado, mas isso o senhor nem diz onde cortar não lhe convém, a sua conversa não passa de conversa fiada, todos nós queremos descontar menos ganhar mais éter Saúde, Educação e Segurança, mas até hoje não ouvi um único politico dizer onde cortar para descer e dar mais dinheiro ao que é preciso, mas como não sou economista como o senhor Rio é, posso fazer uma sugestão acabem com Fundações, institutos e órgão que foram criados só para empregar as clientelas politicas porque de utilidade são uma nulidade, reduzam o número de autarquias, reduzam o número de deputados, vejam o exemplo do Reino Unido com 66 552 203 de habitantes tem 650 Deputados ou seja +ou – 100 deputados por 10 milhões de habitantes, Portugal tem 10 147 161 de habitantes tem 230 deputados ou seja+ ou- 230 deputados por 10 milhões de habitantes.

RESPONDER

Novo modelo geofísico ajuda a prever furacões com origem no Golfo do México

Ao analisar a temperatura da atmosfera, que se encontra a vários quilómetros acima da Terra, os investigadores descobriram uma forma de prever quantos furacões podem afetar o Golfo do México no verão e no outono. Os …

Requiem. Supernova irá fazer uma "reaparição fantasmagórica" em 2037

Uma supernova distante, chamada Requiem, vai fazer uma "reaparição fantasmagórica" em 2037. O Hubble captou-a três vezes em 2016, graças a um fenómeno conhecido como lente gravitacional. A Requiem é o resultado de uma explosão estelar …

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …