Rui Rio confirma recandidatura à liderança do PSD

Ricardo Castelo / Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio

O presidente do PSD, Rui Rio, quebrou hoje o silêncio sobre o seu futuro político, confirmando a sua recandidatura à liderança do partido. O anúncio foi feito às 18:30, num hotel no Porto.

Duas semanas depois da derrota nas eleições legislativas, Rui Rio confirmou que se vai recandidatar à liderança do PSD. O anúncio foi feito pelo próprio, num discurso feito esta segunda-feira, às 18h30, no Porto Palácio Hotel. Rio ainda não tinha dado a conhecer se ia apresentar a recandidatura, mas acabou por quebrar hoje o silêncio.

“Ponho o interesse público acima de tudo o mais e estou disponível para continuar a servir o PSD e, por seu intermédio, Portugal. Estou disponível para disputar o processo eleitoral inter, liderar a oposição ao Governo socialista e conduzir o PSD nas próximas eleições autárquicas”, disse o social democrata, citado pela Rádio Renascença.

O líder do PSD disse que esta foi “uma decisão de elevada responsabilidade”, na qual teve de ponderar o sacrifício pessoal e o apelo de várias pessoas nos últimos dias, “de dentro e de fora do partido”.

De acordo com o Público, Rio confessou temer uma “grave fragmentação do partido” caso não apresentasse a recandidatura à presidência.

“O PSD precisa de um líder que defenda a social-democracia e que ponha o partido no centro político. Que evite uma ideologia vazia ou um perfil eminentemente liberal. Que tenha uma postura corajosa e frontal e não um discurso falho de imaginação e dominado pela hipocrisia do politicamente correto”, acrescentou.

Nas legislativas de 06 de outubro, o PSD obteve 27,7% dos votos (correspondentes a 79 deputados), contra 36,3% do PS (108 deputados). Rio explicou que “quase 28%” equivale a 1,5 milhões de portugueses que “confiaram no PSD com esta liderança e não com a de quem tudo tem feito para a destruir”.

Nessa noite, Rio assumiu que o PSD não alcançou o principal objetivo – vencer as legislativas – mas defendeu que não se tratou de “uma grande derrota”, explicando o resultado pela conjuntura económica internacional favorável ao Governo, pelo surgimento de novos partidos à direita, mas também pelas sondagens que terão “desmotivado” os eleitores sociais-democratas e pela ação dos críticos internos.

Rio considerou ter enfrentado, ao longo do seu mandato, “uma instabilidade de uma dimensão nunca antes vista na história do PSD e exclusivamente motivada por ambições pessoais”.

Depois da reunião da Comissão Política Nacional, o secretário-geral do PSD, José Silvano, disse que a recandidatura de Rio reuniu um consenso “praticamente unânime” entre os presentes. O anúncio surge exatamente no dia em que António Costa fechou a composição do Governo ao anunciar os novos secretários de Estado.

Para já, sabe-se que Rui Rio vai ter a concorrência de Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, que já anunciaram a sua candidatura à presidência do partido.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É bem!!
    Vamos lá ver se os outros (os cobardes que não concorrerem contra ele e ficaram de fora a minar e a atirar pedras), agora vão dar a cara!…

  2. Força Rio! O povo… ou melhor cerca de 27,9% dos portugueses… perdão… dos que foram votar… o que dará qualquer coisa como um milhão e trezentos mil do povo… estão contigo!

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …