Rio Nilo tem 30 milhões de anos. É seis vezes mais antigo do que se pensava

Um grupo de cientistas estudou diferentes sedimentos do rio, incluindo as rochas vulcânicas da região planáltica da Etiópia, e fez simulações computacionais para traçar a vida do rio até ao passado mais longínquo, contabilizou agora pela primeira a idade do Nilo: 30 milhões de anos, seis vezes mais do que se pensava.

Com esse estudo, publicado na segunda-feira na Nature Geoscience, a equipa conseguiu desvendar também o mistério do rio fiel ao seu leito há 30 milhões. Com 6800 quilómetros de extensão, o Nilo é o maior rio de África, disputando com o Amazonas, no Brasil, o título de maior rio do mundo, noticiou o Diário de Notícias.

De acordo com a equipa liderada por Claudio Faccena, professor e investigador da universidades de Roma (Itália) e de Austin (Estados Unidos), foram os movimentos da rochas no interior do manto da Terra – camada geológica que fica logo abaixo da crosta terrestre -, que condicionaram o leito do rio e o mantiveram praticamente imutável ao longo de toda a sua existência.

“Uma das grandes questões acerca do Nilo é exatamente essa, de quando surgiu e por que motivo se manteve inalterado durante tanto tempo”, afirmou Claudio Faccena, citado num comunidade da Universidade de Austin, sublinhando que a solução encontrada pelo seu grupo para poder vez essa avaliação “é muito entusiasmante”.

O resultado da investigação mostra que foram os movimentos lentos das rochas no interior do manto da Terra sob aquela região do continente africano que permitiram ao Nilo manter o seu curso estável ao longo dos seus 30 milhões de anos.

O modelo concebido pela equipa mostrou que uma pluma subterrânea de rocha quente, no interior do manto, chegou há 30 milhões de anos à região sobre a qual se ergue o planalto da Etiópia, dando origem à erupção vulcânica cuja lava acabou por formar o próprio planalto. Essa pluma ativou uma corrente geológica que se mantém até hoje e que acabou por condicionar o curso do próprio rio.

O manto da Terra é composto por rochas sólidas que se movimentam como um fluído por longos períodos e, tal como acontece nos oceanos à superfície, diferentes zonas do manto têm também movimentações diversas. Ali é tem sido mais lenta e na direção sul-norte.

Foi a técnica da análise geológica das rochas e sedimentos do rio em diferentes pontos, combinada com simulações computacionais, que permitiu chegar aos novos dados. A equipa pretende agora aplicar esse novo método de análise a outros rios do mundo, como o Yangtzé e o Congo.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …