Reuniões entre políticos e peritos voltam segunda-feira no Porto (e com transmissão nas redes sociais)

António Pedro Santos / Lusa

As reuniões sobre a evolução da covid-19 em Portugal que juntam peritos, políticos e parceiros sociais vão ser retomadas na segunda-feira, desta vez no Porto e agora com transmissão aberta das intervenções iniciais dos técnicos.

Segundo o Governo, a reunião terá lugar no auditório da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, a partir das 15:00, juntando novamente o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, líderes partidários, patronais e sindicais.

A sessão de segunda-feira, de acordo com fonte do executivo, “será importante” para acertar as medidas a adotar a partir de 15 deste mês, quando o país, de forma preventiva, entrar em estado de contingência.

Na primeira parte da reunião no Porto, os especialistas farão o ponto da situação epidemiológica em Portugal, seguindo-se uma atualização sobre o inquérito serológico. Depois, estão na agenda o estudo “Caso controlo”, o ponto da situação sobre a investigação científica para a descoberta de vacinas contra a covid-19, a aplicação “Stay away covid” para telemóveis e o regresso às aulas.

Estas reuniões, que surgiram por iniciativa do primeiro-ministro, com um objetivo de partilha de informação, começaram no dia 24 de março e decorreram até 08 de julho, em dez sessões no auditório do Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos da Saúde, em Lisboa, inicialmente semanais e depois de periodicidade quinzenal.

Depois de cerca de dois meses sem nenhuma reunião, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou no dia 27 de agosto que estas sessões com peritos e políticos iriam ser retomadas, com uma novidade: “Terão uma parte, a parte expositiva, que será de transmissão aberta e essa é a principal diferença que as reuniões terão face ao passado”. Fonte do executivo adiantou à agência Lusa que esta transmissão será feita através das contas do Governo nas redes sociais.

O regresso às reuniões

No início de julho, em entrevista ao Porto Canal, o presidente do PSD, Rui Rio, disse que as reuniões no Infarmed começavam “a ter pouca utilidade”, e mais tarde defendeu que deveriam continuar, mas com menos frequência e “mais objetivas e mais curtas”.

Já depois das críticas de Rui Rio, no final da décima reunião sobre a covid-19 no Infarmed, em Lisboa, no dia 08 de julho o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou perante a comunicação social: “Terminamos hoje uma experiência de vários meses, iniciada no final de março em pleno estado de emergência”.

Sem querer “fazer profecias sobre o que será necessário em termos de futuros encontros como este”, o chefe de Estado fez um balanço destas dez sessões, afirmando que a sua realização periódica foi “muito importante” e representou “o máximo da transparência”

Marcelo sustentou que “o modelo pensado” para março, quando Portugal adotou as primeiras medidas de combate à covid-19, “precisava de ser descontinuado, fechando um ciclo e naturalmente ponderando, em tempo oportuno, a abertura de outro ciclo”.

Neste mesmo dia, após uma reunião com a presidente da Câmara Municipal da Amadora, o primeiro-ministro negou, contudo, o fim destas reuniões, contrapondo que apenas não tinha ficado definida uma data para a próxima sessão, que só deveria decorrer quando estiverem prontos dois estudos em curso sobre a covid-19 em Portugal.

“Sempre que se justificar haverá novas reuniões”, disse.

O formato das anteriores sessões, realizadas no Infarmed, em Lisboa, consistiu numa primeira parte com apresentações técnicas e uma segunda fase de perguntas dos políticos e dirigentes patronais e sindicais. Nestas reuniões participaram também, por videoconferência, os conselheiros de Estado. No final das sessões, tornou-se habitual o chefe de Estado fazer uma síntese das conclusões aos jornalistas, tendo ao seu lado o primeiro-ministro e o presidente da Assembleia da República. Os representantes dos nove partidos com assento parlamentar falavam em seguida.

A pandemia de covid-19, doença provocada por um novo coronavírus detetado em dezembro do ano passado no centro da China, atingiu 196 países e territórios e já infetou mais de 26 milhões de pessoas e fez mais de 800 mil mortos a nível global, segundo a agência de notícias francesa AFP.

Em Portugal, os primeiros casos foram confirmados no dia 02 de março e até agora mais de 1800 pessoas morreram, num total de perto de 60 mil contabilizadas como infetadas, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Esta tarde, discute-se a "ampla abertura". Máscaras em espaços fechados são para manter

As restrições impostas na sequência do combate à pandemia de covid-19 deverão deixar de ser obrigatórias a partir do final do mês. Esta tarde, na reunião do Infarmed, os peritos vão propor a libertação. Esta quinta-feira, …

Eletricidade vai ficar mais cara a partir de outubro

A fatura da eletricidade vai voltar a subir 3% no dia 1 de outubro, depois de ter subido outros 3% a 1 de julho. O preço da eletricidade vai voltar a aumentar, a partir de 1 …

As vacas podem aprender a ir à casa de banho - e assim ajudar a salvar o Planeta

Os excrementos largados pelas vacas podem ser bastante prejudiciais para o Planeta, mas esta situação pode ser controlada se estes animais aprenderem a usar algo inesperado para a espécie de quatro patas - uma casa …

A receita para produzir cimento em Marte pode levar sangue, suor e lágrimas

Investigadores propõe que se produza cimento em Marte ou na Lua combinando poeira com sangue, suor e lágrimas de astronautas. No seu discurso inaugural como primeiro-ministro do Reino Unido, em 1940, Winston Churchill mostrou como as …

Podem já ter existido buracos negros microscópicos

Investigadores sugerem que, nos primeiros momentos do Big Bang, podem ter existido buracos negros primitivos do tamanho de um átomo de potássio. Desde sempre, os seres humanos quiseram explicar os fenómenos mais imprevisíveis e perturbadores do …

Liga dos Campeões: Haaland quebrou recorde de Nistelrooy (numa lista com Mário Jardel)

Primeiro jogo do grupo do Sporting terminou com vitória dos favoritos. Mas o mesmo não aconteceu na Moldávia. Segundo dia da primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões 2021/22, com recorde na Turquia …

O "maior escritório flutuante do mundo" foi construído para resistir às alterações climáticas

Um edifício flutuante foi construído em Roterdão, na Holanda, para resistir às alterações climáticas — se o nível da água subir, o "maior escritório flutuante do mundo" acompanhará a maré. De acordo com o New Atlas, …

"O sistema inteiro permitiu e perpetrou". Biles acusa Federação de ser cúmplice dos abusos de Nassar

Simone Biles culpou nesta quarta-feira a federação de ginástica dos Estados Unidos e “todo o sistema” por permitir que Larry Nassar, médico da equipa nacional durante 20 anos, abusasse sexualmente dela e de centenas de …

Os psicólogos descobriram um misterioso novo fenómeno - o efeito de desvalorização do clone

Um novo estudo aponta possíveis efeitos com a evolução da tecnologia e concluiu que ver rostos humanos duplicados tende a causar desconforto nas pessoas. Uma nova investigação publicada no PLOS One concluiu que os rostos humanos …

Remodelação no Reino Unido. Johnson demite ministros da Educação, Justiça e Habitação

Os ministros da Educação, Habitação e Justiça foram hoje demitidos do Governo britânico no âmbito da remodelação que o primeiro-ministro, Boris Johnson, iniciou, na sequência de várias crises, como a da pandemia ou a da …