Cartas de rescisão dos tripulantes da Ryanair estão a ser devolvidas em Portugal

As cartas que os tripulantes da Ryanair enviaram para rescindir por justa causa com a Crewlink Portugal foram devolvidas, ao contrário do que sucedeu na Irlanda, tendo a agência Lusa constatado que o edifício português aparenta estar desocupado.

De acordo com várias cartas enviadas por tripulantes da Ryanair à Crewlink Portugal, a empresa de trabalho temporário que tem como único cliente a Ryanair, a que a agência Lusa teve acesso, as mesmas estão a ser devolvidas com as indicações de “Encerrado” e “Sem recetáculo postal” assinaladas pelo carteiro.

A Lusa constatou no local que o edifício, situado na rua Julião Quintinha, na freguesia de Benfica, em Lisboa, aparenta estar vazio, sendo ainda visíveis resquícios de ocupação pela GroundLink, uma empresa de operações em terra (handling) que também prestou serviços à Ryanair ao longo dos últimos anos, cujas marcas do logótipo, na entrada, ainda são visíveis.

Em causa estão as rescisões por justa causa dos tripulantes da Ryanair (funcionários da Crewlink) que rejeitaram a integração nos quadros da companhia irlandesa com remunerações base abaixo do salário mínimo nacional.

Em caso de recusa da proposta da Ryanair, foram dados dois a três dias aos tripulantes para escolherem uma base da sua preferência no Reino Unido ou Irlanda para começarem a trabalhar a 1 de setembro mas, no caso de não terem escolhido nenhuma, a Crewlink escolheu uma com base nas suas necessidades operacionais.

Na quarta-feira, a Crewlink disse à Lusa que ofereceu aos trabalhadores “transferências para outras bases europeias para proteger os seus salários e continuação do emprego” estando “a fazer o melhor para manter as pessoas empregadas, em circunstâncias onde não há posições em Portugal”.

O dirigente do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) Diogo Dias disse à Lusa, em 12 de agosto, que “todos os tripulantes” que recusaram a proposta “estão a resolver com justa causa o contrato, depois desta transferência que lhes está a ser oferecida”, adiantando que irão avançar “com um processo coletivo contra a empresa não só para a reintegração na empresa Ryanair”, como também serão pedidos “os créditos laborais, como por exemplo o subsídio de Natal e o subsídio de férias”.

Confrontado entretanto pela Lusa acerca da situação da devolução das cartas, o dirigente do SNPVAC acrescentou que tem conhecimento de “todas” as cartas enviadas para a Crewlink Portugal estarem a ser devolvidas, num total de 17, referentes a trabalhadores das bases de Ponta Delgada e Lisboa.

“Para já são 17, e agora contamos que cerca de 30 a 50 tripulantes no Porto possam também resolver o contrato por justa causa”, afirmou o sindicalista à Lusa.

Diogo Dias acrescentou que as cartas estão a ser enviadas tanto para a Irlanda (onde estão a ser devidamente recebidas) como para Portugal devido a “algumas dificuldades em localizar e entregar cartas” no passado.

“Em Portugal, na morada que nos é fornecida, nunca lá vimos ninguém, não está lá ninguém, as cartas estão a vir todas para trás”, referiu, aditando que as cartas foram enviadas para os dois sítios por uma questão de proteção laboral, “para os próprios tripulantes poderem notificar a empresa”.

Diogo Dias afirmou ainda que os trabalhadores “não sabem responder” qual é a sua efetiva entidade empregadora: se a Ryanair, se a Crewlink Irlanda ou a Crewlink Portugal. “Nós recebemos comunicação tanto da Ryanair, como da Crewlink. As comunicações que vêm da Crewlink são uma cópia das comunicações da Ryanair, e aqui também se vê que a empresa Crewlink não é, de todo, autónoma, e trabalha em função do que a empresa Ryanair quer”, disse o vogal do SNPVAC à Lusa.

Em entrevista à Lusa, o diretor de Recursos Humanos da Ryanair, Darrell Hughes, disse na semana passada que a Crewlink não está associada à Ryanair, sendo apenas sua fornecedora de serviços.

O sindicalista acrescentou que ao longo dos anos os trabalhadores têm sido “notificados e recebido comunicações da empresa Ryanair, da empresa Crewlink Irlanda e da empresa Crewlink Portugal”. Acerca da morada da empresa portuguesa, Diogo Dias afirmou que “nada foi comunicado” acerca de uma possível mudança ou abandono de instalações.

Questionada pela Lusa, a Crewlink não se pronunciou acerca da morada da empresa em Portugal.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Euro2020, 2º dia: Bélgica e Finlândia vencem em dia marcado pelo colapso de Eriksen

A Bélgica estreou-se hoje no Euro2020 de futebol com uma vitória expressiva sobre a Rússia (3-0), no Grupo B, num dia histórico para a Finlândia, mas manchado pelo colapso do dinamarquês Christian Eriksen, que lançou …

Bélgica 3-0 Rússia | Diabos belgas à solta em São Petersburgo

A Bélgica entrou com tudo nesta fase final do EURO 2020. Na noite deste sábado, os “diabos vermelhos” andaram à solta e silenciaram São Petersburgo. A Bélgica entrou hoje com o pé direito no Campeonato da …

Um braço robótico conseguiu ajudar um paciente a sentir o mundo

Recentemente, um implante neural permitiu que as pessoas escrevessem uma mensagem apenas com o pensamento. Agora, um novo braço robótico controlado por um implante está a criar curiosidade por conseguir enviar feedback tátil para o …

Dinamarca 0-1 Finlândia | Todos a pensar em Eriksen

A Finlândia venceu o seu encontro de estreia em fases finais de Campeonatos da Europa, num jogo em que o mais importante não foi o resultado final, mas sim a luta de Eriksen pela vida. A …

Polícia chinesa prende mais de mil suspeitos de lavagem de dinheiro com criptomoedas

As autoridades chinesas intensificaram o controlo de esquemas que envolvem criptomoedas e prenderam mais de 1.100 suspeitos de usar os ativos digitais para lavagem de fundos ilícitos. A mega operação ocorreu em 23 províncias, regiões e …

#CancelCanadaDay. População quer pôr fim ao Dia do Canadá

Uma cidade canadiana e uma "Primeira Nação" do país cancelaram formalmente o Dia do Canadá alegando que não querem continuar a homenagear a "tentativa de genocídio" contra os povos indígenas. A prefeita da cidade de Victoria, …

Plástico é responsável por 80% do lixo nos oceanos

Um estudo global publicado na quinta-feira revelou que 80% do lixo encontrado nos oceanos é composto por plástico, sobretudo sacolas e garrafas. Em seguida surge o metal, vidro, roupas e outros artigos têxteis, borracha, papel …

Governo sabia da partilha de dados de ativistas russos desde março

O Governo sabia do envio para a embaixada russa dos dados pessoais dos manifestantes anti-Putin desde março. A notícia foi avançada pela RTP. Os ativistas russos revelaram que a sua queixa sobre a atitude da Câmara …

Nome "Donald" atingiu um recorde de baixa popularidade nos EUA

Donald Trump parece ter garantido que será o "Donald" mais notável dos próximos anos, já que o nome do ex-presidente dos Estados Unidos atingiu o recorde de baixa popularidade, em 2020. Um novo relatório da Social …

Euro2020. Eriksen caiu inanimado no relvado, mas já está "estável"

O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo B do Euro2020, foi interrompido ao minuto 43 depois do médio Christian Eriksen ter caído inanimado do relvado. O jogador do Inter Milão, de 29 …