Cartas de rescisão dos tripulantes da Ryanair estão a ser devolvidas em Portugal

As cartas que os tripulantes da Ryanair enviaram para rescindir por justa causa com a Crewlink Portugal foram devolvidas, ao contrário do que sucedeu na Irlanda, tendo a agência Lusa constatado que o edifício português aparenta estar desocupado.

De acordo com várias cartas enviadas por tripulantes da Ryanair à Crewlink Portugal, a empresa de trabalho temporário que tem como único cliente a Ryanair, a que a agência Lusa teve acesso, as mesmas estão a ser devolvidas com as indicações de “Encerrado” e “Sem recetáculo postal” assinaladas pelo carteiro.

A Lusa constatou no local que o edifício, situado na rua Julião Quintinha, na freguesia de Benfica, em Lisboa, aparenta estar vazio, sendo ainda visíveis resquícios de ocupação pela GroundLink, uma empresa de operações em terra (handling) que também prestou serviços à Ryanair ao longo dos últimos anos, cujas marcas do logótipo, na entrada, ainda são visíveis.

Em causa estão as rescisões por justa causa dos tripulantes da Ryanair (funcionários da Crewlink) que rejeitaram a integração nos quadros da companhia irlandesa com remunerações base abaixo do salário mínimo nacional.

Em caso de recusa da proposta da Ryanair, foram dados dois a três dias aos tripulantes para escolherem uma base da sua preferência no Reino Unido ou Irlanda para começarem a trabalhar a 1 de setembro mas, no caso de não terem escolhido nenhuma, a Crewlink escolheu uma com base nas suas necessidades operacionais.

Na quarta-feira, a Crewlink disse à Lusa que ofereceu aos trabalhadores “transferências para outras bases europeias para proteger os seus salários e continuação do emprego” estando “a fazer o melhor para manter as pessoas empregadas, em circunstâncias onde não há posições em Portugal”.

O dirigente do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) Diogo Dias disse à Lusa, em 12 de agosto, que “todos os tripulantes” que recusaram a proposta “estão a resolver com justa causa o contrato, depois desta transferência que lhes está a ser oferecida”, adiantando que irão avançar “com um processo coletivo contra a empresa não só para a reintegração na empresa Ryanair”, como também serão pedidos “os créditos laborais, como por exemplo o subsídio de Natal e o subsídio de férias”.

Confrontado entretanto pela Lusa acerca da situação da devolução das cartas, o dirigente do SNPVAC acrescentou que tem conhecimento de “todas” as cartas enviadas para a Crewlink Portugal estarem a ser devolvidas, num total de 17, referentes a trabalhadores das bases de Ponta Delgada e Lisboa.

“Para já são 17, e agora contamos que cerca de 30 a 50 tripulantes no Porto possam também resolver o contrato por justa causa”, afirmou o sindicalista à Lusa.

Diogo Dias acrescentou que as cartas estão a ser enviadas tanto para a Irlanda (onde estão a ser devidamente recebidas) como para Portugal devido a “algumas dificuldades em localizar e entregar cartas” no passado.

“Em Portugal, na morada que nos é fornecida, nunca lá vimos ninguém, não está lá ninguém, as cartas estão a vir todas para trás”, referiu, aditando que as cartas foram enviadas para os dois sítios por uma questão de proteção laboral, “para os próprios tripulantes poderem notificar a empresa”.

Diogo Dias afirmou ainda que os trabalhadores “não sabem responder” qual é a sua efetiva entidade empregadora: se a Ryanair, se a Crewlink Irlanda ou a Crewlink Portugal. “Nós recebemos comunicação tanto da Ryanair, como da Crewlink. As comunicações que vêm da Crewlink são uma cópia das comunicações da Ryanair, e aqui também se vê que a empresa Crewlink não é, de todo, autónoma, e trabalha em função do que a empresa Ryanair quer”, disse o vogal do SNPVAC à Lusa.

Em entrevista à Lusa, o diretor de Recursos Humanos da Ryanair, Darrell Hughes, disse na semana passada que a Crewlink não está associada à Ryanair, sendo apenas sua fornecedora de serviços.

O sindicalista acrescentou que ao longo dos anos os trabalhadores têm sido “notificados e recebido comunicações da empresa Ryanair, da empresa Crewlink Irlanda e da empresa Crewlink Portugal”. Acerca da morada da empresa portuguesa, Diogo Dias afirmou que “nada foi comunicado” acerca de uma possível mudança ou abandono de instalações.

Questionada pela Lusa, a Crewlink não se pronunciou acerca da morada da empresa em Portugal.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …