Novo estudo diz que Remdesivir não tem “impacto significativo” nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional.

Em maio, a Food and Drug Administration autorizou o uso condicional do remdesivir, desenvolvido pela farmacêutica norte-americana Gilead, para o tratamento de covid-19, depois de um estudo ter sugerido que o medicamento reduzia o tempo de internamento hospitalar de infetados com o vírus.

Desde agosto que nos EUA o medicamento tem então sido usado em todos os pacientes hospitalizados com covid-19, e não apenas para os que se encontram dependentes de ventiladores para respirar. Milhares de infetados norte-americanos receberam o tratamento, incluindo o presidente Donald Trump.

Contudo, um novo estudo, no qual a Organização Mundial da Saúde contribuiu, sugere que o remdesivir não reduz o risco dos infetados com o novo coronavírus morrerem.

O estudo publicado a 15 de outubro no medRxiv, ainda não foi revisto por pares, mas incluiu mais de 11.200 pessoas de 30 países diferentes.

De acordo com o LiveScience, do grupo de pacientes que participaram no estudo, cerca de 4100 serviram como grupo de comparação e não receberam nenhum tratamento com medicamentos. Os medicamentos administrados aos pacientes do outro grupo incluíam remdesivir, hidroxicloroquina, lopinavir e uma molécula chamada Interferon-β1a.

Numa última análise, os resultados do estudo sugerem que nenhum medicamento reduziu significativamente as mortes entre os pacientes, em comparação com o grupo que não os tomou. Para além disso, os medicamentos não reduziram a possibilidade de os pacientes recorrerem a um ventilador para respirar.

“As descobertas gerais pouco promissoras dos medicamentos testados são suficientes para refutar as esperanças iniciais de que os medicamentos reduziriam a mortalidade entre os pacientes com covid-19″, escreveram os autores do estudo. Estudos anteriores já adiantavam que a hidroxicloroquina e o lopinavir não reduziam a mortalidade nos doentes infetados.

O novo estudo indica que “remdesivir não produz nenhum impacto significativo na sobrevivência”, refere Martin Landray, professor de medicina e epidemiologia da Universidade de Oxford.

No entanto, Peter Chin-Hong, especialista em doenças infeciosas da Universidade da Califórnia, em San Francisco, disse ao jornal norte-americano The New York Times que os resultados do teste podem ser um pouco duvidosos.

Os participantes do estudo foram tratados em 405 hospitais diferentes, sendo que cada um tem os seus próprios protocolos de tratamento. Para além disso, o remdesivir ainda pode oferecer benefícios aos pacientes se administrado no início da doença, mas isso não foi abordado especificamente neste novo estudo, sublinhou Maricar Malinis, médico de doenças infeciosas da Universidade de Yale, ao Times.

Landray lembra que mesmo que o remdesivir ajude alguns pacientes com covid-19, ainda é caro e difícil de administrar. “Este é um medicamento que deve ser administrado por infusão intravenosa durante 5 a 10 dias”, acrescentando que custa cerca de 2550 de dólares (perto de 2155 euros) por tratamento.

“A covid-19 afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Precisamos de tratamentos acessíveis e equitativos”, defende Landray.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tribunal europeu condena Portugal a indemnizar recluso por falta de internamento psiquiátrico

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 14 mil euros a um recluso por ter cumprido pena de prisão sem internamento psiquiátrico a que tinha sido condenado. A …

França acaba com máscara no exterior (e Espanha vai pelo mesmo caminho)

Em França, o uso de máscara na rua deixa de ser obrigatório a partir de quinta-feira. Espanha deverá seguir o mesmo caminho "em breve". O uso de máscara no exterior deixa de ser obrigatório em França …

Swissport em Lisboa para tentar comprar a Groundforce

O acionista maioritário da Groundforce, que está a tentar vender a sua participação na empresa de handling, encontra-se agora a negociar com os suíços da Swissport. Depois de o fundo espanhol Atitlan se ter afastado e …

BdP prevê taxa de desemprego de 7,2% e crescimento económico de 4,8%

O Banco de Portugal (BdP) prevê que a taxa de desemprego atinja 7,2% em 2021, recuando para 7,1% em 2022 e 6,8% em 2023, e que o emprego cresça 1,3% este ano. No Boletim Económico de …

Finlândia 0-1 Rússia | Miranchuk recoloca russos na corrida

A anfitriã Rússia conseguiu hoje uma determinante vitória na luta pelo apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao bater a Finlândia por 1-0, em São Petersburgo. No primeiro jogo da segunda jornada …

Nove militares da GNR acusados de tortura

O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR dos crimes de tortura e outros tratamentos cruéis, degradantes ou desumanos e sequestro agravado. O Ministério Público (MP) do Porto acusou nove militares da GNR, …

Costa garante que Lisboa terá o mesmo tratamento que os outros concelhos

Esta quarta-feira, num dia em que Portugal registou 1.350 novos casos ( 928 dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo), o primeiro-ministro afirmou que a capital terá o mesmo tratamento que os …

Salgado disposto a pagar à massa falida do GES para ficar isento de cumprir pena

Ricardo Salgado está disposto a pagar à massa falida do GES para ser dispensado de cumprir pena no processo que o irá julgar por três crimes de abuso de confiança, segundo a contestação da defesa …

PJ detém 12 pessoas por suspeitas de corrupção na Câmara de Loures

Entre os detidos pela Polícia Judiciária (PJ) estão dois empreiteiros, um arquiteto, um empresário ligado a uma obra particular e oito fiscais. Através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e no âmbito de inquérito dirigido …

Casos disparam: 1350 novas infeções e seis óbitos

Nas últimas 24 horas, houve 1.350 novos casos positivos de covid-19 e morreram seis pessoas, segundo os dados do boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou 1.350 novos casos e seis óbitos por covid-19 …