Feridas, queimaduras e hematomas. Relatório confirma tortura a prisioneiros políticos na Arábia Saudita

USDoD / Wikimedia

O príncipe saudita Mohammed bin Salman

Presos políticos na Arábia Saudita estão a sofrer de desnutrição, cortes, contusões e queimaduras, de acordo com relatos médicos que foram preparados apenas para o governante do país, o rei Salman.

Os relatórios fornecem a primeira evidência documentada de que os presos político estão a enfrentar graves abusos físicos, apesar da negação do governo. O The Guardian foi informado de que os relatórios médicos serão entregues ao rei Salman, juntamente com recomendações que incluem um perdão a todos os prisioneiros ou, pelo menos, libertação antecipada para aqueles com sérios problemas de saúde.

Estas opções são parte de uma revisão interna substancial que teria sido ordenada pelo rei, que aprovou a realização de exames de até 60 prisioneiros, muitos deles mulheres.

Algumas das avaliações chegaram ao jornal britânico, que pediu ao governo saudita que comentasse os relatórios médicos há mais de uma semana. Um porta-voz recusou-se a discutir a questão. As autoridades não questionaram a autenticidade dos relatórios.

O The Guardian escreve que verificou a exatidão e o conteúdo de um dos exames. As condições de outros indivíduos, conforme descrito nos documentos, são consistentes com os relatos que surgiram envolvendo alegações de tortura.

A pressão sobre a Arábia Saudita pela detenção e tratamento de prisioneiros políticos tem crescido nos últimos meses, no meio de alegações de que algumas ativistas foram submetidas a choques elétricos e amarrações em custódia.

Com o reino também sofrendo o impacto do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, o rei Salman teria ordenado uma revisão da decisão de prender e deter cerca de 200 homens e mulheres numa repressão ordenada pelo príncipe herdeiro.

Os homens que terão sido examinados incluem Adel Ahmad Banaemah, Mohammed Saud Al Bisher, Fahad Abdullaziz Al-Sunaidi, Zuhair Kutbi, Abdullaziz Fawzan al-Fawzan e Yasser Abdullah al-Ayyaf. O The Guardian refere que as mulheres incluem Samar Mohammad Badawi, Hatoon Ajwad al-Fassi e Abeer Adbdullatif Al Namankany.

Os exames foram feitos em janeiro e os relatórios médicos, que estão marcados como confidenciais, foram incluídos numa visão geral detalhada que inclui três recomendações gerais ao rei sobre o que fazer. De acordo com os relatórios médicos, os comentários sobre os detidos sugerem que muitos foram gravemente maltratados e têm uma série de problemas de saúde.

Em quase todos os casos, os relatórios exigiam que os prisioneiros fossem urgentemente transferidos do confinamento solitário para um centro médico. As recomendações de alguns conselheiros ao rei incluem o perdão de todos os presos políticos, a libertação de indivíduos presos a partir de 2017 e a libertação de prisioneiros com problemas de saúde.

Em reportagens anteriores, um porta-voz da embaixada saudita em Washington disse que o reino assinou a convenção contra a tortura e proíbe o uso. A Arábia Saudita “toma todas e quaisquer alegações de maus tratos aos réus que aguardam julgamento ou aos prisioneiros que cumprem as suas sentenças muito a sério”.

O The Guardian foi avisado por vários especialistas em direitos humanos de que tentar entrar em contacto com familiares de pessoas detidas representaria sérios riscos para os membros da família que vivem na Arábia Saudita.

A Human Rights Watch pediu que a Arábia Saudita “liberte imediatamente todos os ativistas de direitos humanos e dissidentes pacíficos e convide os monitores internacionais a conduzir uma investigação abrangente e transparente sobre o seu tratamento”.

Um porta-voz acrescentou: “Sauditas, incluindo mulheres ativistas, alegaram que as autoridades maltrataram-nos com crueldade indescritível, incluindo choques elétricos, chicotadas e assédio sexual, e novas revelações de relatórios médicos parecem confirmar o que disseram há meses”.

Um ativista dos direitos humanos disse que as descrições contidas nos relatórios, incluindo que os indivíduos estavam detidos em confinamento solitário, eram consistentes com evidências que recolhidas por ativistas. O ativista disse que as prisioneiras foram eletrocutadas, amarradas a cadeiras e espancadas nas coxas, costas e nádegas.

Justin Shilad, um investigador associado do Médio Oriente no Comité para a Proteção dos Jornalistas, disse que o caso de Fahd al-Sunaidi, um jornalista, mostrou a extensão e o alcance da repressão ordenada pelo príncipe herdeiro.

“O fato de ele estar em detenção por nenhuma razão discernível, o facto de não ser conhecido como uma figura controversa, demonstra a repressão de Salman à liberdade de imprensa, ao jornalismo independente ou a qualquer comentário que tenha uma natureza crítica ou independente ”, disse. “O nível de medo, intimidação e silenciamento de informações está além do que vemos nas zonas de guerra na região onde o Estado Islâmico opera”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O cofre do Banco de Espanha inundado em La Casa de Papel existe mesmo

Aquilo que parecia uma fantasia é, afinal, bastante real: o cofre da terceira temporada de La Casa de Papel existe mesmo. Uma fonte oficial do Banco de Espanha revelou à revista Bloomberg que o cofre que …

O ainda jovem Júpiter "engoliu" um outro planeta gigante

Segundo um estudo publicado esta semana na revista científica Nature, uma colisão colossal entre Júpiter e um planeta ainda em formação no início do Sistema Solar, há cerca de 4,5 mil milhões de anos, pode …

Sporting 2-1 Braga | Leões agarram primeira vitória da temporada

Sporting alcançou a primeira vitória na temporada 2019/20, uma difícil recepção ao Sporting de Braga. Os “leões” entraram muito fortes no jogo, marcaram cedo, por Wendel, e em cima do intervalo por Bruno Fernandes, mas …

Na Coreia do Sul, são as mulheres que mais compram com criptomoedas

Fazer compras online com criptomoeadas é uma prática cada vez mais comum na Coreia do Sul. São as mulheres que mais frequentemente o fazem, comprando artigos como roupa, café e toalhetes. O Terra é um sistema …

Greve desconvocada. Motoristas de matérias perigosas suspendem protesto

O Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) anunciou hoje que decidiu desconvocar a greve que se iniciou na segunda-feira, dia 12. A decisão anunciada pelo presidente do SNMMP, Francisco São Bento, foi tomada durante …

Criança encontra dente gigante de mamute com 12 mil anos

Jackson Hepner, de 12 anos, encontrou um dente gigante de mamute lanoso enquanto passava férias com a sua família no estado norte-americano de Ohio. Foi em junho passado que a criança encontrou o dente, no condado …

Febre do lítio pede licença para chegar a Portugal

Com o potencial de ter as maiores reservas da Europa, a febre do lítio chegou a Portugal, onde se registaram duas dezenas de solicitações de prospecção este ano, embora as empresas mineiras continuem à espera …

Virgin Galactic abre as portas do primeiro aeroporto espacial do mundo

A empresa norte-americana Virgin Galactic, do bilionário Richard Branson, está a preparar o primeiro aeroporto espacial comercial do mundo, tendo revelado esta semana algumas das imagens daquelas que vão ser as instalações. O aeroporto, localizado …

A Internet está a regar esta planta há três anos

A comunidade online do Reddit tem tratado de uma planta durante três anos. Os utilizadores escolhem diariamente se a planta de ou não ser regada. Tudo começou com uma pequena brincadeira no Reddit, um dos maiores …

O pulmão de um chinês colapsou (e a culpa foi do karaoke)

O pulmão de um homem de 65 anos, na China, colapsou após ter tentado atingir uma nota alta durante uma intensa sessão de karaoke. O homem, residente em Nanchang, na província de Jiangxi, teria estado a …