Relatório secreto de Costa Pinto defende que Banco de Portugal podia ter feito mais no BES

Mário Cruz / Lusa

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa

O “Relatório Costa Pinto” argumenta que o Banco de Portugal tinha conhecimento dos problemas do BES e tinha poderes para fazer mais, melhor e mais cedo.

O “Relatório Costa Pinto” tem vindo a ser negado ao público há quase seis anos. Agora, o Observador teve acesso à auditoria à ação do Banco de Portugal (BdP) na queda do Banco Espírito Santo (BES) e retirou as principais conclusões do relatório que quase nunca saiu da gaveta de Carlos Costa, antigo governador do supervisor.

O Banco de Portugal tinha conhecimento dos problemas do Banco Espírito Santo e tinha poderes para fazer mais, melhor e mais cedo, sugere o relatório. O documento é da autoria de João Costa Pinto, antigo vice-governador do BdP.

Os deputados passaram toda a comissão de inquérito do BES a exigir que este relatório lhes fosse entregue, mas sem sucesso.

Apesar dos problemas diagnosticados ao banco, “até fevereiro de 2014 o Banco de Portugal nunca sentiu a necessidade de utilizar de forma mais estrita os poderes que lhe são conferidos”, lê-se no documento com mais de 500 páginas.

O Banco de Portugal detetou “um claro conflito de interesses”, tendo-se verificado “uma acumulação de cargos de administração de sociedades financeiras e não financeiras do Grupo e que estas últimas dependiam de forma muito significativa do financiamento do BES”.

Outra das conclusões é que Ricardo Salgado poderia ter sido afastado da gestão do BES mais cedo. O supervisor entende que tinha instrumentos para intervir na administração do BES “numa gradação que podia ir desde a substituição de administradores até à nomeação de administradores”.

O relatório refere que o Banco de Portugal só se começou a preocupar com o BES Angola quando saíram notícias de que se tinha perdido o rasto a mais de 5 mil milhões de dólares emprestados a beneficiários finais desconhecidos.

“O BES Angola sempre deu lucros e, portanto, nunca foi verdadeiramente uma preocupação da supervisão. E bem? Não, mal! Porque a exposição ao BES Angola, num mercado com aquelas características, era suficiente em termos materiais para ter alertado a supervisão e iniciado uma atuação em tempo útil”, lê-se no documento citado pelo ECO.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ena! Esse relatório era mesmo um grande segredo, e tem conclusões supreendentes. Quem haveria de pensar que o Banco de Portugal alguma vez poderia saber alguma coisa sobre o que se passa nos bancos?

RESPONDER

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …

Emprego, formação e pobreza. Cimeira Social marca "o mais ambicioso compromisso" da UE

A Cimeira Social arrancou, nesta sexta-feira, no Porto, com a presença de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da UE, num evento que pretende definir a agenda social da Europa para a …

"Uma cena da Idade Média". Refugiado encontrado morto e cercado de ratos em acampamento grego

O jovem, proveniente da Somália, foi encontrado morto dentro de uma tenda no início desta semana. No momento em que as autoridades chegaram ao local, cerca de 12 horas após a morte do rapaz, o …

Coreia do Norte alega que a covid-19 poderia flutuar em balões vindos do Sul

A Coreia do Norte pediu aos seus cidadãos que não leiam panfletos de propaganda enviados através de balões do Sul, alegando que a covid-19 poderia entrar no país através das gotículas. De acordo com a agência …

Autoagendamento a partir dos 60 anos deve arrancar no final da próxima semana

O autoagendamento para a vacinação contra a covid-19 deverá passar a contemplar as pessoas a partir dos 60 anos, em vez dos atuais 65, já no final da próxima semana, adiantou hoje à Lusa fonte …