/

Reino Unido vai ordenar regresso ao mar dos migrantes que cheguem através do Canal da Mancha

1

Forças britânicas estão a ser treinadas, há cerca de dois anos, para colocarem em prática técnicas de inversão de sentido dos barcos de migrantes, de forma a enviá-los novamente para território francês.

O Reino Unido está a preparar-se para devolver ao mar os barcos que cheguem à sua costa com migrantes provenientes de França. Num documento oficial do Home Office, equivalente ao ministério da Administração Interna, o Governo britânico fez saber que a guarda costeira está a ser treinada para aplicar técnicas de “turn-around”, ou seja, inversão de sentido, treinadas ao longo dos últimos dois anos, com o objetivo de devolver os migrantes a águas francesas.

Segundo o The Guardian, a proposta já foi rejeitada pelo Governo francês, que ontem, através de uma carta escrita pelo ministro do Interior, Gérald Darmanin, justifica a sua posição com a “salvaguarda de vidas humanas”, o qual consideram ser mais importante do que qualquer questão relacionada com políticas de nacionalidade, estatuto ou migrações. O responsável alertou ainda para a possibilidade de a cooperação entre os dois países sair afetada por esta por esta decisão.

“A posição francesa relativamente à intervenção marítima mantêm-se inalterável. A salvaguarda de vidas no mar prioriza-se às questões relacionadas com políticas de nacionalidade, estatuto e migração, em perfeito respeito e consonância com a lei internacional marítima que rege as operações de investigação e resgate no mar. No que respeita ao trânsito e condições para atravessar o Canal, França não tem outra solução que não passe por intervir com mais frequência apoiada pela lei internacional de operações de investigação e resgate no mar”, escreveu Darmanin.

O responsável fez ainda saber que chegou a acordo com as autoridades britânicas para duplicar o número de pessoal destacado para patrulhar o Canal da Mancha, com os britânicos a disponibilizarem um avião aos franceses para monitorizar a área. Darmanin também fez saber que recusou a proposta inglesa de formar uma força conjunta para impedir os contrabandistas de usar barcos.

Sobre estas últimas questões, Darmanin mostrou-se satisfeito com a atual relação das duas guardas costeiras. “A coordenação entre as nossas forças costeiras é, de acordo com as próprias equipas, boa e eficaz. Não é necessário criar uma nova estrutura, como foi proposto.”

Na declaração do Home Office, à responsabilidade de Priti Patel, foi assumida a intenção de devolver os migrantes a França, ao contrário do que seria de esperar. Entretanto, os membros da guarda costeira, que devem terminar os treinos nas próximas semanas, já informaram as autoridades que só colocaram em prática as técnicas aprendidas — desenvolvidas em colaboração com especialistas em assuntos marítimos  — quando sentirem que é seguro fazê-lo.

Mesmo assim, alguns dos deputados mais conservadores britânicos já lançaram apelos para que o ministro responsável pela Administração Interna emita diretivas contrárias ao direito internacional no sentido de enviar para França todos os migrantes ilegais que cheguem de França.

Segundo o Home Office, cerca de 785 pessoas atravessaram o Canal da Mancha em pequenos barcos só durante segunda-feira, um valor pouco abaixo do recorde diário de 828 migrantes. Ao longo do que já decorreu de 2021, estima-se que 13 mil migrantes já tenham feito a mesma travessia.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.