Reino Unido vai proibir anúncios machistas em 2019

(dr)

O Reino Unido prepara-se para grandes mudanças em 2019. Além de ter data marcada para deixar a União Europeia, vai barrar anúncios publicitários machistas no seu território.

Uma mulher que lava a louça ou passa o aspirador enquanto um homem vê televisão, sentado no sofá. Um pai incapaz de trocar corretamente a fralda do seu bebé. Uma mulher que não consegue estacionar. Todos estes estereótipos machistas serão barrados da publicidade britânica a partir de junho de 2019.

Um novo código de conduta foi publicado pela Advertising Standard Authority, a agência reguladora de publicidade do Reino Unido, que enumera estas e outras práticas proibidas. Os anúncios que não seguirem o novo código serão barrados, por constituírem uma ofensa “séria e generalizada”.

As novas normas serão aplicadas à publicidade difundida na televisão, no cinema, na imprensa, na Internet, nos cartazes e outdoors e estendem-se também aos posts patrocinados no Instagram e Youtube.

A regulação cabe às agências de publicidade, mas qualquer pessoa pode denunciar práticas adversas à agência reguladora, que abrirá uma investigação. Caso o anúncio em questão desrespeite as regras, será retirado do espaço público, seja físico ou virtual.

Os anúncios que sugerem que mudar o corpo dá mais oportunidades de sucesso amoroso serão proibidos, assim como aqueles que se apoiam em estereótipos sobre as diferenças de personalidade entre rapazes e raparigas. Haverá uma instância responsável, que avaliará cada caso, porque a apreciação de uma peça publicitária pode ser subjetiva.

Não ao rosa para meninas

O machismo na publicidade não é uma exclusividade britânica. Recentemente, em Paris, um anúncio gigante de uma marca de lingerie, afixado nas Galerias Lafayette, causou polémica.

No contexto do movimento #MeToo, este anúncio, em Paris, suscitou a indignação da Hélène Bidarda, secretária da prefeitura de Paris encarregada da igualdade entre homens e mulheres. No dia seguinte, as Galerias Lafayette retiraram o cartaz.

Segundo o diretor-geral da Autoridade de Regulação Profissional da Publicidade francesa, Stéphane Martin, para além das bases comuns para a ética publicitária, as empresas deveriam levar em conta o “clima” da sociedade atual. Um “clima” que tem as suas contradições, pois, ao mesmo tempo em que se defende a dignidade das pessoas, é contra todo e qualquer tipo de censura.

Em abril de 2016, a autoridade de regulação francesa já havia se pronunciado sobre estereótipos, dizendo que a publicidade não pode valorizar, mesmo que indiretamente, sentimentos ou comportamentos de exclusão, de intolerância e de machismo.

Em França, a União dos Anunciantes assinou ,este ano, com o Conselho Superior do Audiovisual, uma carta em que se compromete a lutar contra os estereótipos. A lista de recomendações inclui perguntas do tipo: “Temos mesmo de vestir todas as meninas de cor-de-rosa?”.

ZAP // RFI

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Controlo da livre expressão, o retorno do fascismo onde o Estado decide o que pode ou não pode ser dito. Não falta muito para chegar a Portugal

  2. Deveriam era acabar com os anuncios pa crianças, com os anuncios a fast food, com os anuncios a bancos e todo o resto de coisas que fazem mal directamente a crianças e ao resto da população e nao preocupar tanto com decisoes que as pessoas pessantes e inteligentes podem tomar por elas prorprias…

  3. Mas então se não existem diferenças físicas e psicológicas entre ambos os sexos, porque não há mais mulheres a trabalhar na construção civil ou a recolher lixo nas ruas? Se calhar só somos “iguais” onde interessa e onde convém. Querem acabar com a consciência das diferenças fenotípicas, com a dinâmica familiar funcional e com a ordem social secular que nos levou ao sucesso cultural, tecnológico e cientifico de que hoje usufruímos. Querem afeminar os homens e masculinizar as mulheres. Tudo em nome desta ideologia parasítica globalista que só nos traz decadência e desinteresse pelo futuro. As jovens adolescentes são encorajadas desde cedo a embarcar no carrossel da promiscuidade e a seguir carreiras profissionais inúteis. Acordando mais tarde para a depressão e solidão de uma vida vazia e cheia de ressentimentos. Ser uma mãe tradicional num seio familiar funcional e contribuir para a renovação da população é algo demasiado retrogrado e “machista”… Não há tempo nem dinheiro para se “gozar a vida” e ter filhos ao mesmo tempo. Prefere-se subsidiar a adopção de migrantes aos milhões e esperar que esses nos substituam com os seus próprios genes e culturas. E se alguém ousar opor-se a essa solução genocida, aí já é toda uma outra história de “racismo”, “supremacia” e “extrema-direita”. É de facto muito triste ter de assistir impotente ao declínio do ocidente…

    • Só posso concordar.
      Existirá coisa mais bela que o amor de uma mãe! pois acreditem que um pai jamais conseguirá igualar tal amor, este é genético e não humano.

  4. Velho debate entre a livre expressão de ideias e o controle do Estado sobre tudo. Muito perigoso um grupo de pessoas decidir o que pode e o que não pode ser dito.

RESPONDER

Califórnia já tem uma estrada pavimentada com plástico

O que parece uma estrada comum é agora a mais recente novidade na cidade de Oroville, na Califórnia. A nova construção junta uma tecnologia que mistura garrafas de plástico com asfalto. Por cada quilómetro de …

Mais de mil operacionais combatem cinco grandes fogos em Portugal

Mais de 1100 operacionais e 16 meios aéreos estão a combater, esta quinta-feira, os cinco maiores incêndios rurais em território continental, concentrados sobretudo na região Centro, de acordo com dados da Proteção Civil. Segundo o site …

Coca-Cola financiou estudos científicos que minimizaram o papel das bebidas açucaradas na obesidade, revela investigação

A Coca-Cola terá financiado com milhões de dólares vários estudos científicos que minimizaram o impacto das bebidas açucaradas na obesidade. A conclusão é de uma investigação publicada na revista médica Public Health Nutrition, que conta …

André Ventura vai pedir suspensão temporária do mandato no Parlamento

O deputado do Chega vai pedir, em setembro, a suspensão do mandato parlamentar até fevereiro do próximo ano para se dedicar às campanhas eleitorais da região dos Açores e das Presidenciais. Em declarações à agência Lusa, …

Governo abre concursos para 800 novos técnicos especializados nas escolas

As escolas vão poder contratar mais de 800 novos técnicos especializados, um reforço de recursos humanos "englobado nas medidas excecionais de organização e funcionamento das escolas para o próximo ano letivo". "As escolas vão poder contratar …

Macron em Beirute: "Se não houver reformas, Líbano continuará a afundar-se"

O Presidente francês chegou, esta quinta-feira, a Beirute, no Líbano. É o primeiro chefe de Estado a visitar o país depois das explosões que destruíram parte da capital.  Emmanuel Macron aterrou no Líbano, esta quinta-feira, e …

"Eu disparei". Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha. "Eu disparei" sobre Walter …

Há 16 anos que não havia tão pouca água na albufeira do Alqueva

É preciso recuar ao ano de 2004 para encontrar uma altura em que esta albufeira tenha tido menos água do que agora, que corresponde apenas a 63,8% do seu nível de pleno armazenamento. De acordo com …

CTT passam de lucros a prejuízos de dois milhões de euros

Os CTT registaram, no primeiro semestre deste ano, prejuízos de dois milhões de euros, o que compara com lucros de nove milhões de euros em igual período de 2019. "O resultado líquido foi de -2 milhões …

Equipa do ciclista em estado grave vai apresentar queixa-crime contra o rival

O diretor da equipa Deceuninck-Quick Step confirmou, esta quinta-feira, que vai apresentar uma queixa-crime contra o ciclista Dylan Groenewegen, face à sua responsabilidade na grave queda de Fabio Jakobsen no Tour da Polónia. "Confirmo as mensagens …