Receio de instabilidade leva empresas catalãs a mudar sede social

Folguerola Angela / Wikimedia

Edifício Corporativo Banco Sabadell em Sabadell

O conselho de administração do banco catalão Sabadell decidiu esta quinta-feira, em sessão extraordinária, transferir a sua sede social para Alicante, perante a possibilidade de a Catalunha declarar unilateralmente a independência na próxima semana.

O quinto maior banco espanhol e o segundo da Catalunha vai assim poder continuar protegido pelas regras exigentes de supervisão do Banco Central Europeu e a operar com toda a normalidade dentro do sistema bancário europeu.

A deslocalização para aquela cidade junto ao Mediterrâneo, na Comunidade Valenciana (sul da Catalunha), também implica que a entidade bancária passará a pagar impostos no local onde tem a sua sede social.

Desde que se soube hoje de manhã que o Sabadell iria tomar uma decisão sobre esta matéria, as suas ações iniciaram um movimento de subida, que contrastou com a descida de cerca de 10 % desde o início da semana, com os investidores receosos das consequências da subida da tensão entre Madrid e Barcelona na sequência do referendo de autodeterminação realizado no domingo.

Uma alteração da sede social de uma empresa é uma operação jurídica que se pode realizar no espaço de poucas horas em Espanha. Em maio passado, o Sabadell revelou que até ao fim do corrente ano iria voltar a ter uma sucursal em Lisboa depois de ter vendido a participação que tinha no português BCP.

Entretanto, o também catalão CaixaBank, dono do português BPI, sustenta que irá adotar as “decisões necessárias no momento oportuno, sempre com o objetivo de fazer prevalecer os interesses dos clientes, acionistas e empregados”, em declarações à agência EFE por fontes oficiais do banco catalão, referindo-se ao clima de tensão na Catalunha.

Esta posição do maior banco da Catalunha foi conhecida depois de ter sido tornado público que o Sabadell ia realizar a reunião extraordinária do seu conselho de administração.

Além do Sabadell, outras emblemáticas catalãs decidiram abandonar a Catalunha nos últimos dia – as últimas das quais, a operadora Eurona e a farmacêutica Proclinic, anunciaram esta quinta-feira a mudança de sede social.

Segundo o 20 Minutos, o governo espanhol irá estudar no Conselho de Ministros desta sexta-feira medidas para facilitar a mudança sede social de empresas catalãs, no âmbito das quais, por exemplo,não seria necessária aprovação pela assembleia de accionistas para efectivar a decisão de mudança de sede.

O governo regional da Catalunha anunciou na madrugada de segunda-feira que 90% dos catalães votaram a favor da independência no referendo de domingo, tendo exercido o direito de voto 42 por cento dos 5,3 milhões de eleitores.

A consulta popular foi convocada pela Generalitat, dominada pelos separatistas, tendo o Estado espanhol, nomeadamente o Tribunal Constitucional, declarado que a consulta era ilegal.

O presidente do executivo catalão tinha previsto realizar uma intervenção no parlamento regional em que poderia declarar a independência da região, mas o Tribunal Constitucional espanhol proibiu essa apresentação, como medida cautelar, sendo ainda é incerto o que vai acontecer.

PARTILHAR

RESPONDER

Rússia está a criar a primeira unidade militar com tanques robôs

A agência de notícias estatal TASS avança que o Exército russo está a montar a sua primeira unidade militar armada com tanques robôs. O Exército russo está a desenvolver a sua primeira unidade militar armada com …

PSD propõe solução ao Governo para reduzir injeção no Novo Banco

O PSD defende que o Governo tem um argumento jurídico que pode usar para limitar os pagamentos do Fundo de Resolução ao Novo Banco este ano. Em causa está um artigo do Código Civil que …

Quarentena de 21 dias, testes e fecho de casinos levam Macau a erradicar covid-19

Macau, um dos primeiros territórios a identificar o novo coronavírus, é agora um dos locais livres de covid-19, estando há cerca de 380 dias sem qualquer registo de infeção local, segundo os dados oficiais. O …

Costa preocupado com desconfinamento. Concelhos de risco dão dores de cabeça

Com a terceira fase de desconfinamento aí à porta, o Governo ainda tem dúvidas sobre o que fazer, mantendo algumas pontas soltas. A maior preocupação incide nos conselhos onde há mais casos. Durante a reunião do …

Para prevenir acidentes, China inaugura o primeiro semáforo para camelos do mundo

Autoridades do norte da China inauguraram este domingo o que dizem ser o primeiro sinal de trânsito para camelos do mundo perto da cidade de Dunhuang, província de Gansu. O semáforo para camelos entrou em operação …

PRR terá mecanismo de fiscalização no Parlamento. PSD quer bazuca durante a presidência portuguesa da UE

O ministro do Planeamento, Nelson Souza recebeu nesta terça-feira, os partidos com assento parlamentar e as deputadas não inscritas para conversas bilaterais sobre o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Trata-se da chamada "bazuca" que virá …

Ministro da Saúde austríaco demite-se por falta de apoio na gestão da pandemia

O ministro da Saúde de Áustria, Rudolf Anschober, anunciou esta terça-feira a sua demissão, devido à falta de apoio na gestão da crise pandémica, cessando funções na próxima segunda-feira. "A situação é dramática nos serviços de …

OMS quer suspender venda de mamíferos selvagens vivos em mercados de alimentos

A Organização Mundial de Saúde defende a suspensão da venda de mamíferos selvagens vivos nos mercados de alimentos para evitar a propagação de doenças, avança a AFP. "Os animais, especialmente os selvagens, são a fonte de …

“Frescura, juventude e capacidade“. Coligação improvável em Penafiel junta PS e partido de Tino de Rans

O PS e o partido RIR, liderado pelo ex-candidato presidencial Vitorino Silva, formaram a coligação Penafiel Unido, que vai concorrer às autárquicas em Penafiel, distrito do Porto, com Paulo Araújo Correia como cabeça de lista, …

Marcelo, IL e Chega querem avanço do desconfinamento. PSD pede travão nos concelhos de maior risco

Marcelo Rebelo de Sousa ouviu os partidos ao longo desta tarde. A renovação de mais um Estado de Emergência está na mira, mas há quem não concorde. O Presidente da República começou por receber o Iniciativa …