Hitler expulsou os soldados judeus há oito décadas. Agora, um rabino junta-se ao exército alemão

No início da Segunda Guerra Mundial, Hitler expulsou os judeus das Forças Armadas na década de 1930. Agora, Zsolt Balla irá assumir o cargo de rabino-chefe do exército alemão.

Mais de 80 anos depois, aquilo que seria impensável está prestes a acontecer. Se a presença de soldados judeus no exército alemão, durante o Holocausto, era um cenário impossível, agora a Alemanha está prestes a fazer história ao colocar um rabino à frente das suas Forças Armadas.

Zsolt Balla fez o seu juramento num sinagoga em Leipzig, no leste da Alemanha, e as autoridades do país esperam que a sua nomeação frise o caráter diversificado e recetivo das Forças Armadas modernas do país.

Contudo, o acontecimento surge numa altura em que têm havido vários escândalos associados a grupos de extrema direita dentro do exército e da polícia alemães, o que tem feito crescer os níveis de anti-semitismo em todo o país.

De acordo com a CNN, os crimes anti-semitas aumentaram 15,7% no ano passado, com quase todos os incidentes a serem motivados pelo extremismo de direita, apontam dados do Ministério do Interior Federal.

O mesmo jornal noticia que, na semana passada, uma unidade separada de elite da polícia estadual – a SEK – foi dissolvida, depois de os oficiais terem glorificado os nazis num grupo de conversas online.

Passados quase 90 anos desde o fim da Segunda Guerra Mundial, a descriminação racial e religiosa continua a preocupar o país e Balla quer trazer o problema à tona. “Acho que todas as pessoas responsáveis deveriam preocupar-se com esta questão”, refere o rabino, que é filho de judeus sobreviventes ao Holocausto.

Prestes a entrar no exército alemão, Balla acredita que pode fazer a diferença, mas frisa que os rabinos militares não vão “resolver todos os problemas numa semana”.

Ainda assim, considera que é importante “trabalhar com uma visão para o futuro, de como queremos que a sociedade alemã e o Bundeswehr sejam dentro de uma década”.

A última vez que os rabinos fizeram parte das Forças Armadas da Alemanha foi durante a Primeira Guerra Mundial, quando cerca de 100.000 soldados judeus lutaram pelo seu país.

Os judeus foram proibidos de servir nas Forças Armadas quando Hitler assumiu o poder, em 1933. A decisão foi um do primeiros esforços dos nazis para os eliminar da vida pública.

Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Interessante que este tipo de notícias culpa sempre a extrema direita sendo que tem havido um aumento de ataques por parte de povos semitas, nomeadamente árabes.

  2. O título não é de todo verdade, existiram imensos judeus a combater na wermacht durante a segunda guerra. Lide o livro “Hitler’s jewish soldiers”.

    A alemanha nazi e a segunda guerra são assuntos imensamente complexos que se teimam em simplificar com “o Hitler não gostava de judeus”.

RESPONDER

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …

Covid-19. Milhares de franceses protestam contra passe sanitário

Milhares de pessoas concentraram-se este sábado em Paris para protestar contra o passe sanitário — certificado de vacinação contra a covid-19 que passa a ser obrigatório para entrar em vários locais —, tendo a polícia …

"Toque de Midas" científico. Químicos transformam água purificada em metal dourado

Esta nova descoberta ajuda a entender o estado de transição da água e pode vir a ser importante no estudo de planetas como Neptuno ou Urano. Numa experiência alucinante, cientistas conseguiram transformar água purificada num metal …

Dispositivo movido a energia solar vai transformar água salgada em potável no Quénia

Transformar água do mar em água potável é um processo muito caro e poluente, mas o Climate Fund Manager e a Solar Water Solutions querem mudar isso. A nova solução revolucionária tem uma pegada de …

EUA impõem sanções contra a Polícia cubana pela “repressão” dos protestos

Os Estados Unidos impuseram novas sanções à Polícia Nacional Revolucionária cubana e a dois altos funcionários da instituição, com o Presidente Joe Biden a admitir mais medidas caso não exista uma mudança “drástica” em Cuba. Questionado …