Qatar chama embaixador português após declarações “hostis” de Marcelo e Costa

9

Miguel A. Lopes / Lusa

O vice-primeiro-ministro do Qatar chamou o embaixador português em Doha após declarações “hostis” de Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa.

O embaixador português em Doha, Paulo Pocinho, foi chamado pelo vice-primeiro-ministro do Qatar após aquilo que considerou serem declarações “hostis” de altas figuras do Estado português, nomeadamente do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa.

Mohammed Bin Abdulrahman Al-Thani chamou o diplomata português para lhe mostrar o desagrado das autoridades qatari, avança a CNN Portugal.

O vice-primeiro-ministro do Qatar informou Paulo Pocinho que as manifestações contra o país não são aceitáveis. De acordo com a estação televisiva, Al-Thani sublinhou ainda que só não serão tomadas atitudes mais drásticas devido à relação de amizade de longa data entre os dois países.

Em declarações à Rádio Renascença, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros Martins da Cruz desvaloriza o episódio: “Por muito estranho que pareça é uma coisa normal em diplomacia, faz-se mais frequentemente do que a opinião pública pensa”.

O antigo diplomata considerou menos normal o facto de o Qatar ter invocado a relação de amizade do país para não tomar medidas mais drásticas.

“Já não é tão normal, mas também não é descabida, porque também é uma fórmula de dizer, talvez com paternalismo a mais, ‘portaram-se mal, mas como somos amigos há muito tempo, não vamos levar isso que fizeram de mal em consideração'”, explicou.

Esta terça-feira, Marcelo Rebelo de Sousa disse que Portugal mantém “relações diplomáticas com a maioria dos Estados do mundo” e que “a esmagadora maioria não é democrática”.

Além disso, o chefe de Estado português garantiu que ia falar sobre direitos humanos no Qatar, depois de a sua viagem ao país ter sido questionada por alguns.

“Eu já tive ocasião de dizer que intervenho num debate sobre a educação e um dos pontos fundamentais da educação é direitos humanos. Portanto, naturalmente, eu, depois de amanhã, [quinta-feira] estarei a falar de direitos humanos no Qatar”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, na terça-feira.

Por sua vez, António Costa disse que os responsáveis políticos portugueses vão estar no Qatar a apoiar a seleção nacional e não a violação dos direitos humanos ou a discriminação das mulheres.

“O campeonato do mundo é lá e quando formos lá não vamos seguramente apoiar o regime do Qatar, a violação dos direitos humanos no Qatar e a discriminação das mulheres no Qatar. Quando formos lá vamos apoiar a seleção nacional, a seleção de todos os portugueses, a seleção que veste a bandeira”, defendeu o líder do Governo.

Na semana passada, Marcelo Rebelo de Sousa gerou polémica após as suas declarações em relação à violação dos direitos humanos no Qatar.

“O Qatar não respeita os direitos humanos. Toda a construção dos estádios e tal, mas, enfim, esqueçamos isto. É criticável, mas concentremo-nos na equipa. Começámos muito bem e terminámos em cheio”, disse o Presidente, na zona de entrevistas rápidas no Estádio José Alvalade.

Entretanto, foi alvo de uma chuva de críticas e veio a público justificar-se com o facto de que estava “nervoso” com o futebol.

“Vinha do fim de um jogo de futebol. E depois, perante o nervoso que havia de regressar ao futebol, eu disse ‘já falei dos direitos humanos, então regressemos ao futebol”. Foi por isso, por ser naquele contexto, mas pareceu-me naquele contexto, que eu teria de falar dos direitos humanos”, disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas.

  Daniel Costa, ZAP //

9 Comments

  1. Exmo. Emir, Tamim bin Hamad Al Thani, Sr.º Primeiro-Ministro, Khalid ibn Khalifa ibn Abdul Aziz Al Thani, o Sr.º Presidente da República de Portugal, Marcelo Sousa, não representa a Maioria dos Portugueses nem tem legitimidade para exercer o cargo pois conseguiu somente 2.534.745 votos; o mesmo aplica-se ao Governo do Sr.º Primeiro-Ministro, António Costa, que também não representa a Maioria dos Portugueses nem tem legitimidade para estar em funções, pois só conseguiu 2.301.887 votos. Os Portugueses não se revêem nas declarações efectuadas por estas Altas-Figuras do Estado, e como tal pedem a vossas Exas. que não julguem o Povo Português com base nas mesmas.

    • Em que declarações é que o sr. figueiredo não se revê? Quando o Presidente diz que vai ao Qatar falar de direitos humanos? Ou aquelas em o o Primeiro Ministro diz que o Qatar viola os direitos humanos e descrimina as mulheres? Esclareça lá isso para percebermos a sua índole.

    • Se não sabe falar deveria estar calado. Vei o Brasil e foi convidado pelo Bolsonaro para um almoço e se encontra primeiro com o ladrão hoje presidente eleito. Vai ao Qatar e fala treta. Reforma. Perdeu a noção!

  2. Vai (foi )ao Qatar, mas eu revejo-me nas suas declarações… se calhar fez mais do que aqueles presidentes que disseram que não iriam estar presentes. Portugueses ressabiados, vão ser assim sempre de 4 em 4 anos.
    Deus que lindo país nos destes, mas desvias-te os olhos quando começou a entrar gente desta, num país que não gostam e não querem ir embora, só querem desunião e discórdia.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.