PSD junta-se ao Bloco e ao PCP para chumbar decreto do tempo de serviço dos professores

Estela Silva / Lusa

O PSD vai juntar-se à esquerda para chumbar o decreto-lei que visa a contagem parcial do tempo de serviço dos professores. PCP, Bloco e o PSD consideram insuficiente contar apenas dois dos nove anos de carreira exigidos e, por isso, querem rever a medida no Parlamento.

Caso Marcelo Rebelo de Sousa promulgue o decreto-lei da contagem parcial do tempo de serviço dos professores, o mais provável é que se venha a formar uma maioria negativa no Parlamento. Depois do PCP e do Bloco, avança o Público nesta segunda-feira.

Professores e Governo têm levado travado uma batalha sobre a contagem do tempo de serviço. O ministério, liderado por Tiago Brandão Rodrigues, nunca mostrou vontade de contabilizar mais do que dois anos nove meses e 18 dias de serviço. Por sua vez, os sindicatos reivindicam a totalidade do tempo, que ultrapassa os nove anos.

Tal como nota o diário, por lei, os partidos têm a possibilidade de pedir apreciação parlamentar de decretos-lei aprovados em Conselho de Ministros – iniciativa que o Bloco e o PCP já revelaram que vão tomar.

O PSD – determinante para a formação de uma maioria que trave o PS – também já decidiu: se o diploma for promulgado pelo Presidente da República, o partido não vai abdicar do princípio da contagem total dos anos de serviço, apurou o diário.

Tanto o líder do PSD, Rui Rio, quer o “ministro-sombra” para a Educação, David Justino, já criticaram duramente o decreto-lei do Governo. A direção de Rui Rio entende que o tempo de serviço tem que contar na sua totalidade, apesar de ainda não ter definido a forma como esse tempo se vai refletir na progressão da carreira e a que ritmo.

Em causa está o decreto-lei aprovado no dia 4 de outubro, que definiu que os professores vão recuperar dois anos, nove meses e 18 dias do tempo de serviço efetuado. Os professores, por sua vez, continuam a exigir a recuperação de nove anos, quatro meses e dois dias de serviço.

O documento ainda não chegou a Belém para promulgação pois o Governo alega que ainda faltam os pareceres das Assembleias Legislativas dos Açores e Madeira. De acordo com o Expresso, o Presidente da República está ainda com dúvidas sobre se deve ou não promulgá-lo: “o dilema presidencial está em 50%-50%”, adiantou o semanário.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Este cromo está cada vez pior. Nunca terão o meu voto. E até hoje votei sempre PSD. Agora esta criatura quer contar a totalidade do tempo de serviço?!!! Então que o faça para todos os funcionários públicos.
    Vai-te embora e deixa alguém com capacidade ir para o teu lugar. E quanto ao “banho de ética” bem que o podes meter onde o sol não brilha. Já todos os portugueses perceberam que ainda és pior do que o atual primeiro-ministro, e isso… não é fácil.

RESPONDER

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …

Sérgio Conceição sai do FC Porto no fim da época

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, deixará o comando dos dragões no final da temporada. A derrota em casa com o Braga terá ditado a saída do técnico azul e branco. O técnico do FC …

Joacine quer mais direitos para deputados sem partido. "Está a antecipar" o futuro

A deputada Joacine Katar Moreira, do partido Livre, defendeu esta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos. A deputada única do Livre assumiu esta posição no final de uma reunião do …

França confirma 3 casos de coronavírus chinês. Já chegou à Austrália e Malásia

Depois de França ter confirmado três pessoas infetadas com o novo coronavírus oriundo da China, também a Austrália e Malásia reportaram casos. As autoridades da Malásia anunciaram este sábado terem registado os primeiros três casos de …

Amadora. Agredido motorista de autocarro que denunciou Cláudia Simões

Foi agredido o motorista de autocarro que chamou a PSP para denunciar a passageira Cláudia Simões, que alegou posteriormente ter sido agredida pelos agentes da polícia. As agressões tiveram lugar na noite desta sexta-feira, em …

"Dos 4 mil euros que ganho, 3 mil vão para os frades". O padre Vítor Melícias recusa que Tomás Correia ainda controle o Montepio

O padre Vítor Melícias, presidente da Assembleia Geral do Montepio, diz que Tomás Correia "faz falta, mas fez muito bem" em abandonar a liderança da mutualista Montepio. "Dizer que Tomás Correia continua a controlar através …