/

PS diz que portugueses não esquecem que Passos cortou a dobrar no SNS

10

Miguel A. Lopes / Lusa

A deputada socialista Sónia Fertuzinhos

Pedro Passos Coelho acusou a esquerda de “desqualificar” o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a deputada socialista Sónia Fertuzinhos respondeu que os portugueses não esquecem que o Governo PSD/CDS cortou o dobro no SNS daquilo que estava previsto no memorando da “troika”.

A deputada socialista Sónia Fertuzinhos considerou, esta quinta-feira, que os portugueses não esquecem que o Governo PSD/CDS-PP de Pedro Passos Coelho cortou o dobro no Serviço Nacional de Saúde (SNS) daquilo que estava previsto no memorando da “troika”.

Na quarta-feira, durante a apresentação de um livro do militante do PSD António Alvim, o ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho (2011/2015) acusou a esquerda de “desqualificar” o SNS e avisou que há reformas que só se fazem “em confronto”.

“Percebemos assim uma das razões para o Governo de Pedro Passos Coelho ter falhado, porque nenhuma reforma é bem-sucedida se for feita em confronto com as pessoas. Para o PS, reformas não são cortes“, contrapôs a dirigente socialista em declarações à Lusa a meio da reunião semanal do Grupo Parlamentar do PS.

Para Sónia Fertuzinhos, as palavras que foram proferidas por Pedro Passos Coelho devem ser interpretadas mais “em termos de posicionamento político dentro do próprio PSD do que para analisar a evolução do SNS”.

“Relativamente ao que disse sobre o SNS, não nos parece que Pedro Passos Coelho possa achar que os portugueses e as portuguesas se esqueceram das opções de política pública na área da saúde por parte do Governo em que foi primeiro-ministro”, disse a deputada socialista.

“É verdade que as circunstâncias eram então muito difíceis, é verdade que o memorando da troika exigia várias medidas que passavam por cortes na área da saúde, mas também é verdade, como assinalou a OCDE logo em 2013, que Portugal cortou o dobro do que era exigido no memorando” do programa de assistência financeira, acrescentou.

A deputada defendeu depois que foi o primeiro Governo liderado por António Costa, entre 2015 e 2019, quem “recuperou 1400 milhões de euros em investimentos na área da saúde antes cortados pelo executivo de Pedro Passos Coelho”.

“Esta opção política de prioridade à saúde continua hoje, quer no que respeita ao aumento dos recursos humanos, quer em investimento, quer, ainda, em modernização. Se pensarmos na capacidade que o SNS teve em responder à pandemia da covid-19, conclui-se que essa resiliência e capacidade de resposta do SNS só foi possível pela recuperação efetuada pelos governos socialistas”, apontou.

Sónia Fertuzinhos advogou depois que a prioridade à saúde por parte do Governo socialista começou antes da pandemia da covid-19.

“Quando apresentou o Orçamento do Estado para 2020, no final de 2019, o SNS foi a grande prioridade e teve como grande objetivo a criação de condições para acabar com a suborçamentação do SNS – um problema estrutural, que depois contaminava todas as medidas de política de reforço. Portanto, muito antes de sabermos que íamos ser afetados pela pandemia e já depois da recuperação dos cortes de Pedro Passos Coelho, este Governo continuou a sua aposta de prioridade à saúde”, afirmou.

  ZAP // Lusa

10 Comments

    • É sempre melhor do que deixar como legado o roubo completo do erário público que foi o que os teus amiguinhos fizeram e continuam no presente a fazer.

      • Roubo completo ao erário (o erário é sempre público!) – incluindo o maior cote de SEMPRE no SNS – é um bom resumo da governação do Passos.
        .
        Não tenho amigos nem amiguinhos na politica, e que se saiba, actualmente o governo não anda a vender o país – muito menos ao desbarato – como fez o gangue do Passos.

        • Mais uma vez demonstras que tens profundas limitações. O erário pode não ser público. Pode ser de uma entidade.

          Erário:
          Conjunto dos recursos económicos e financeiros de uma entidade ou de um Estado.

          Relativamente à questão em causa o corte que referes no SNS foi continuado pelo Centeno. Não te esqueças que em 2020, o Estado realizou um orçamento extra, dotando o ministério de saúde com muito mais dinheiro, e no final nem o orçamento inicialmente previsto gastou!!!!!!!!!!!!!!!

          • Vá lá que acabas por confirmar o essencial da questão: o Passos fez o maior corte de sempre no SNS e agora, como aldrabão sem vergonha que é, ainda tem a lata de falar do SNS – quando este tem o maior orçamento de sempre!!

  1. Deve ter sido por isso que depois votaram nele novamente para Primeiro-Ministro. E se não fosse a habilidade do Costa estaria hoje a governar o país e a continuar o bom trabalho.
    Mas pelo menos este governo percebeu o bom trabalho que estava a ser feito e manteve-o. Foi pena apenas ter aumentado os impostos. Isso é que já não havia necessidade. Quanto aos cortes, manteve-os. Apenas os renomeou de cativações.

    • “…estaria hoje a governar o país e a continuar o bom trabalho.”
      Hahahaaaa… haja alguém com sentido de humor!!
      Chamar “bom trabalho” aos maiores cortes (cegos) nos serviços públicos (saúde, educação, justiça, etc); ao maior aumento de impostos de sempre; ao maior numero de privatizações (ao desbarato) de sempre e, ainda assim, deixar a maior dívida publica de sempre, é mesmo um “trabalho” de génio…
      .
      O Passos fez o maior corte de sempre no SNS e, actualmente, com o Costa, o SNS tem o MAIOR orçamento de sempre.
      Realmente, é quase a mesma coisa!…

      • Estás completamente enganado. O recorde nacional de carga fiscal foi feito por este governo. E os dados comprovam-no! Foi em 2019!!! Não podes ser assim tão distraído. Informa-te primeiro.
        Quando à dívida deixada, pesquisa lá bem no fundo dos teus arquivos e verás que quem a contraiu…. FOI O TEU PARTIDO! Foi o ladrão, o chefe da quadrilha, que quando saiu, assinou os vários empréstimos para o Estado ter algum dinheiro para poder funcionar!!!!
        Tu és mesmo muito distraído!!!!
        Felizmente a maioria dos portugueses não é como tu, e tanto é, que nas eleições votou maioritariamente no Passos Coelho.

        • Mais um “artista” que gosta de jogar com as palavras e acha que andam todos a comer gelados com a testa.
          Vou voltar a repetir, a ver se à segunda tentativa chegas lá: além de tudo o resto (por exemplo, o maior corte de sempre no SNS) o Passos fez “maior aumento de impostos de SEMPRE” em Portugal!!
          Vai lá pesquisar…
          E, ovelha, eu não tenho partido!…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE