Pedro Nuno Santos diz que PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta

Tiago Petinga / Lusa

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação defendeu, este domingo, que o PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta, mas sim colaborar com BE e PCP porque a geringonça “não pode ser um parêntesis na história”.

Pedro Nuno Santos, que liderou a Juventude Socialista (JS) entre 2004 e 2008, foi o convidado que, este domingo, encerrou o ciclo de formação da JS intitulado “Socialismo: valores, identidade e futuro”, no qual aproveitou para deixar vários alertas.

“Precisamos de aprender a lidar com os partidos à nossa esquerda: saber respeitar quando não concordam connosco, quando nos combatem. Não é com agressividade que vamos conseguir recuperar a colaboração com os outros partidos. É compreendendo-os, é percebendo o que os leva a afastar”, começou por dizer.

“Não nos podemos comportar nem lidar com a governação como se tivéssemos maioria absoluta, quando não temos. Devemos procurá-la ativamente com outros partidos que têm visões semelhantes com as nossas. Esse esforço deve ser feito com o BE e com o PCP”, defendeu o governante.

O ministro das Infraestruturas e Habitação insistiu na aproximação do PS aos seus antigos parceiros da “geringonça”, considerando que, apesar de existirem dentro do partido hesitações que não deveriam ter lugar, é à esquerda que os socialistas conseguem partilhar “uma ideia de liberdade, de igualdade e de fraternidade que depende de um Estado organizado e forte”.

“Se quisermos combater a direita de forma perene, temos de ser capazes de colaborar à esquerda, compreender, aceitar as diferenças e procurar encurtar caminho“, argumentou.

Na perspetiva do socialista que esteve à frente dos Assuntos Parlamentares durante grande parte do período da “geringonça”, “uma democracia avançada precisa de dois blocos distintos”, que passam a existir se não houver enganos em relação a quem se deve o PS aliar.

“Em 2015, fizemos uma grande revolução na forma como interviemos politicamente em Portugal, quando felizmente e finalmente conseguimos superar bloqueios que vinham desde o início da nossa democracia e começámos a trabalhar do ponto de vista nacional – do ponto de vista local já tínhamos conseguido antes – com o PCP e com o BE”, lembrou.

Para Pedro Nuno Santos, o acordo com o PCP e o BE “foi uma vitória muito importante para o país, para a esquerda e para o povo português”. Neste sentido, reiterou uma ideia que já tinha defendido anteriormente de que esta solução governativa “não pode ser um parêntesis na história, antes pelo contrário”.

O ministro lembrou que já são raros os países que na Europa têm um partido que governa sozinho e, portanto, na sua visão, é preciso “cooperar com a esquerda para, aí sim, competir com a direita“, sintetizou.

Todas estas escolhas têm de ser feitas sem esquecer a história do PS, continuou Pedro Nuno Santos, lamentando que no seio do partido haja quem “esteja preso a 1975”, já que “a política mudou, o país mudou, os partidos mudaram”.

“O PCP – hoje também o BE – são elementos fundamentais na construção dessa sociedade mais justa, mais solidária”, afirmou.

Mas o socialista tinha ainda outros avisos para vozes dentro do PS, aquelas que usam algumas figuras históricas, como a de Mário Soares, “para defender as suas posições”.

Para fazer essa evocação da “maior figura do PS”, segundo Pedro Nuno Santos, é preciso lembrar todo o seu percurso, ao longo do qual considera que o histórico socialista “teve sempre razão”, como quando “promoveu os encontros que pressupunham estimular a esquerda a dialogar, a juntar forças”.

“É este o grande ensinamento de Mário Soares: sabermos ler em cada momento os desafios que nós temos e conseguir estar à altura deles”, desafiou.

O ministro disse ainda ser preciso perceber as razões que afastam os eleitores e a sua escolha por projetos extremistas ou populistas.

“A nossa condição muitas vezes faz-nos dar prioridade a temas e preocupações de futuro, mas que estão muito distantes de uma grande parte da população e esta deixa de se sentir representada no discurso, nos programas, nas propostas e nas políticas. Sentem-se esquecidas e afastam-se de nós. Quando aparece alguém que aparentemente fala dos seus problemas, vai ser ouvido mesmo que a forma não seja a mais educada. E muitos vão seguir essas vozes”, afirmou, citado pelo jornal Público.

Para Pedro Nuno Santos, a resposta está nas políticas universais: “A universalidade é o instrumento que nos permite que as políticas não sejam apenas de alguns mas dirigidas a todos, dando como exemplo os manuais escolares.

“É um erro dizer que manuais escolares devem ser só para quem tem necessidades. A escola é para todos. Temos de ter discurso para a maioria do povo. E um programa do século XXI tem de ter isso”.

É preciso “construir o nosso programa”, atirou aos jovens da JS, lançando depois as bases do que acredita ser o programa do futuro do PS: dignificar o trabalho e quem trabalha; contrariar a perda de força do movimento sindical; ampliar e reforçar os serviços públicos; investir na habitação pública; repensar a resposta aos idosos; investir na rede pública de creches; alargar fontes de financiamento da Segurança Social e do sistema público de pensões através da contribuição pelo valor acrescentado das empresas; repensar as deduções fiscais de IRS e IRC; reformular a redistribuição de rendimento e do trabalho, promover o desenvolvimento da economia através de uma política ambiental e de transição climática.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …

Aos 95 anos, a rainha Isabel II terá de abdicar da sua bebida favorita

A monarca foi aconselhada pelos médicos a abdicar do seu habitual martini de fim de dia, em antecipação a uma fase de agenda especialmente preenchida. Com 95 anos, a rainha Isabel II tem tido uma semana …

Médicos vão avaliar estado mental do atacante da Noruega

A investigação ao ataque com arco e flecha que na quarta-feira fez cinco mortos na Noruega reforçou, até agora, a tese de um ato devido a doença, anunciou hoje a polícia norueguesa. “A hipótese que foi …

Há mais de 100 anos, o Hawai teve uma monarquia - mas a força da princesa Ka'iulani não chegou para a preservar

Antes de morrer, com apenas 23 anos, a princesa Victoria Ka'iulani foi a última herdeira da coroa havaiana. A jovem era uma das últimas esperanças em manter a monarquia viva, mas nem a sua determinação …

Preço da luz no mercado regulado deverá subir 0,2% em 2022

O preço da eletricidade para os consumidores do mercado regulado deverá subir 0,2% no próximo ano face à média do ano em curso, segundo a proposta da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) hoje anunciada. “Para …

Governo recua e anuncia redução de imposto sobre combustíveis. Gasolina desce dois cêntimos e gasóleo um

Com a subida abrupta do preço dos combustíveis, o Governo anunciou esta sexta-feira à tarde que irá reduzir o ISP. Na prática, ao consumidor isto significa que o preço da gasolina vai baixar dois cêntimos …