Protestos em Londres acabam em violência. Mais de 100 detidos e vários feridos

Neil Hall / EPA

Mais de 100 pessoas foram detidas após os confrontos deste sábado em Londres entre a polícia e manifestantes, entre os quais alguns de extrema-direita, que alegavam querer proteger estátuas.

Os manifestantes envolveram-se em confrontos com a polícia, junto ao Parlamento, em Londres, durante manifestações contra o racismo, segundo as autoridades.

Os agentes policiais foram atacados com garrafas, latas e outros objetos cortantes num dia marcado pela violência na zona governamental desta capital, durante uma manifestação antirracista.

Segundo a Polícia Metropolitana de Londres (Met), as pessoas detidas foram presas por agressão aos agentes, por atos de violência, posse de drogas e embriaguez.

Quinze pessoas, incluindo dois policias, ficaram feridas e seis foram hospitalizadas, segundo o Serviço de Ambulâncias, que não forneceu mais pormenores sobre o seu estado.

Os ativistas da extrema-direita, muitos dos quais estavam bêbados, reuniram-se em Londres para defender estátuas de figuras históricas britânicas, depois dos atos de vandalismo do fim-de-semana passado.

A estátua do ex-primeiro-ministro, Winston Churchill, por exemplo, apareceu pintada, forçando o Governo a protegê-la e a cobri-la para evitar danos.

Com os braços erguidos e gritando “Inglaterra”, os ativistas da extrema-direita atiraram garrafas, latas e pontapearam os agentes, enquanto a Polícia Metropolitana de Londres está a investigar um homem que urinou numa placa dedicada ao polícia Keith Palmer, que morreu no atentado terrorista de 2017 no Parlamento de Westminster.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, escreveu no Twitter que “o vandalismo racista não tem lugar” nas ruas e a quem atacar a polícia, será dado todo o peso da lei.

A secretária do Interior, Priti Patel, também já tinha criticado o “vandalismo inaceitável” dos manifestantes que provocaram a polícia. “Qualquer pessoa que cometer violência ou vandalismo deve esperar toda a força da lei. A violência contra os nossos polícias não será aceite. O coronavírus continua a ser uma ameaça para todos”, escreveu na mesma rede social.

Para além destes incidentes, houve manifestações pacíficas em Hyde Park e noutras cidades britânicas, incluindo Belfast e Brighton, por grupos que procuraram expor o racismo na sequência do assassinato do afro-americano George Floyd.

Este sábado, também houve protestos antirracismo em Paris, França, que, segundo o jornal online Observador, juntaram entre 15 mil a 20 mil pessoas. Também se registaram confrontos com a polícia, depois de lhes terem sido atirado objetos, e contra-protestos de ativistas de extrema-direita.

Também decorreram protestos noutras cidades francesas como Marselha, Lyon, Montpellier, Nantes e Bordéus. Segundo o mesmo jornal, para este domingo estão já marcados novos protestos em Estraburgo.

As manifestações estão a ser promovidas pelo “Comité Adama Traoré”, grupo que lembra a morte de um jovem negro, em 2016, na capital.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo insiste para que se acelere a auditoria ao Novo Banco

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reforçou esta segunda-feira o apelo para que se acelere a "auditoria e todo o tipo de investigação e apuramento da realidade relativamente ao Novo Banco". À margem de …

Atlético de Madrid revela nomes de jogadores que testaram positivo à covid-19

Para acabar com a especulação, o Atlético de Madrid anunciou a identidade dos jogadores do plantel que testaram positivo à covid-19. O Atlético de Madrid anunciou que o plantel e a equipa técnica tiveram resultados …

35 anos depois, Toshiba deixa de fabricar portáteis

Depois de 35 anos a produzir e vender computadores, a empresa japonesa vai abandonar o negócio. O comunicado à imprensa divulga que a Toshiba vendeu as ações da Dynabook à Sharp, concluindo assim um processo …

Governo do Líbano demite-se em bloco

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, vai entregar ainda esta segunda-feira ao Presidente Michel Aoun a demissão do Governo, disse esta segunda-feira o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hassan. Falando aos jornalistas após uma reunião do …

Portugal fora da lista de países que querem proibir robôs assassinos

Apesar de apoiar a realização de negociações para o fim do uso de robôs assassinos em conflitos militares, Portugal está fora da lista de países que procuram explicitamente proibir armas totalmente autónomas. A constatação consta de …

Portugal com mais três mortes e 157 novos casos de covid-19

Portugal regista esta segunda-feira mais três mortes e 157 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). Há ainda a registar 89 pessoas recuperadas. O …

Covid-19. Singapura começa a testar vacinas em humanos na próxima semana

Singapura anunciou este sábado que inicia na próxima semana a primeira fase de testes em humanos de uma nova vacina contra a covid-19, período experimental que se vai prolongar até outubro, prevendo a administração do …

Cem milhões e um jogador. Real Madrid quer "roubar" Dybala à Juventus

De olhos postos na próxima temporada, o Real Madrid de Zinedine Zidane estará a sondar Paulo Dybala, estando disposto a pagar à Juventus 100 milhões de euros e a "oferecer" um outro jogador para garantir …

Depois da Microsoft, Twitter também está interessado em adquirir o TikTok

As redes sociais Twitter e TikTok tiveram discussões preliminares com vista a uma eventual "combinação" entre as duas, segundo uma notícia revelada no sábado pelo Wall Street Journal. Das informações obtidas pelo jornal não foi possível …

Vulcão Sinabung entra em atividade. Cinza cobre aldeias num raio de 20 quilómetros

O vulcão Sinabung, um dos mais ativos da ilha indonésia de Sumatra, expeliu, esta segunda-feira, fumo e cinzas a uma altura de cinco quilómetros, não havendo, para já, registo de feridos, informou a agência de …