Os primeiros humanos a chegar ao “teto do mundo” foram os denisovanos

Quarenta metros acima do leito do rio chinês no planalto tibetano é a Baishiya Karst Cave, um famoso destino de peregrinação budista moderno, decorado com bandeiras de oração tibetanas.

Mas há 160 mil anos, esse local remoto foi o lar dos primeiros humanos modernos que chegavam ao Planalto Tibetano – e não eram neandertais.

Uma nova análise de uma mandíbula hominídea encontrada na caverna há mais de três décadas sugere que os primeiros humanos modernos a ocupar a caverna eram Denisovanos, indicando que a espécie poderia ter-se difundido e não se limitou à caverna russa que se sabe ter sido o seu lar.

“Traços do ADN de Denisovano são encontrados em populações asiáticas, australianas e melanésias atuais, sugerindo que esses antigos homininos podem ter-se difundido”, disse o investigador Jean-Jacques Hublin em comunicado. “No entanto, até agora, os únicos fósseis que representam o antigo grupo hominídeo foram identificados na Caverna Denisova.”

O osso maxilar fossilizado foi encontrado pela primeira vez em 1980 por um monge local. Desde 2010, cientistas da Universidade de Lanzhou estudaram o sítio da caverna em que se encontravam e iniciaram uma colaboração seis anos depois com o Departamento de Evolução Humana para analisar conjuntamente o maxilar.

Publicando o seu trabalho na revista Nature, os investigadores escrevem que, embora não tenham encontrado nenhum traço de ADN, conseguiram analisar antigas proteínas extraídas de um dos molares bem preservados.

“As antigas proteínas da mandíbula estão altamente degradadas e distinguíveis das proteínas modernas que podem contaminar uma amostra”, disse Frido Welker, do MPI-EVA e da Universidade de Copenhaga. “A análise de proteínas mostra que a mandíbula pertencia a uma população hominídea intimamente relacionada com os Denisovanos da caverna Denisova.”

A forma robusta e primitiva da mandíbula e os grandes molares são comuns com os dos neandertais e espécimes encontrados na caverna de Denisova. A datação em série U de uma pesada crosta de carbonato ligada à mandíbula sugere que o fóssil tem pelo menos 160.000 anos de idade – “uma idade mínima igual à dos espécimes mais antigos da caverna de Denisova”.

Os denisovanos são o extinto grupo irmão dos neandertais e a sua existência só é conhecida diretamente de fósseis e genomas fragmentados que foram estudados numa caverna siberiana. As espécies foram reveladas pela primeira vez em 2010, quando os investigadores sequenciaram o genoma de um osso de um dedo e descobriram que pertencia a um grupo geneticamente diferente dos neandertais.

Estudos genéticos anteriores sugerem que as populações atuais do Himalaia têm um gene que foi transmitido pelos Denisovanos para ajudá-los a adaptar-se ao ambiente de alta altitude e baixo oxigénio do Planalto Tibetano. A descoberta da mandíbula favorece esta ideia, acrescentando que grupos de Denisovanos adaptaram-se a viver nesta região antes de o Homo sapiens chegar.

PARTILHAR

RESPONDER

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …

Paulo Gomes é o novo presidente do Vitória de Setúbal

O ex-vice-presidente, líder da lista D, foi eleito presidente do Vitória de Setúbal para o mandato 2020-2023, com um total de 875 votos. Paulo Gomes, de 50 anos, foi o mais votado das cinco listas candidatas, …

O mercado online de leite materno está a crescer (mas pode ser mau para os bebés)

https://vimeo.com/385229063 Para os pais que querem que o seu filho beba leite materno, mas que não conseguem produzi-lo, a possibilidade de o poder comprar na Internet pode parecer uma boa solução. No entanto, este mercado não …

Regina Duarte convidada para suceder a secretário da Cultura demitido

A atriz brasileira confirmou, na sexta-feira, ter sido convidada pelo Presidente do país para liderar a Secretaria da Cultura do Governo, após a exoneração de Roberto Alvim por ter parafraseado um discurso nazi. "É isso, recebi …

Universidade de Harvard quer criar 127 novos estados nos EUA

A Harvard Law Journal, da Universidade de Harvard, publicou um plano ousado - mas, segundo os autores, completamente constitucional - para salvar a democracia: criar 127 novos e minúsculos estados. Atualmente, todos os estados dos Estados …

IL quer reduzir IVA da alimentação infantil e retirar limitação etária nas deduções do IRS

A Iniciativa Liberal apresentou, esta sexta-feira, duas propostas para reduzir o IVA da alimentação para crianças pequenas para 6% e para eliminar a limitação etária na dedução do IRS para famílias que tenham mais do …

Sintra comemora 25 anos como Património da UNESCO com mais de 200 eventos

O município de Sintra assinala os 25 anos da elevação a Património Mundial com a realização de mais de 200 eventos, nomeadamente uma exposição que reúne obras sobre o concelho desde a antiguidade à contemporaneidade. Sintra, …