Primeiro-ministro da Finlândia demite-se. Governo cai

Pekka Sipola / EPA

O primeiro-ministro da Finlândia, Antti Rinne, demitiu-se esta terça-feira depois de um dos partidos que integram a coligação de Governo, o Partido do Centro, lhe ter retirado a confiança.

À frente desde junho de uma coligação de centro-esquerda constituída por cinco partidos, Rinne, do Partido Social-Democrata (SDP), apresentou ao final da manhã desta terça-feira a demissão ao Presidente finlandês, Sauli Niinistö.

O anúncio implica a renúncia formal do Executivo, integrado pelo SDP, o Partido do Centro, os Verdes, a Aliança de Esquerda e o Partido Popular Sueco da Finlândia.

O SDP deve agora designar um candidato para lhe suceder e formar um novo Governo, sujeito a votação no parlamento na próxima semana (Eduskunta). Sanna Marin, vice-presidente do partido e ministra dos Transportes, anunciou estar disponível.

Ouvida pela agência noticiosa France-Presse, a politóloga Sini Korpinen, considerou que não é do interesse de nenhum dos partidos no Governo desfazer a coligação, particularmente o Partido do Centro, “que não quer novas eleições legislativas porque corre o risco de ter um resultado pior”.

A crise partiu de um projeto dos Correios da Finlândia (Posti), empresa de capitais públicos, de passar cerca de 700 trabalhadores para um novo acordo coletivo, menos favorável, em nome da competitividade.A questão suscitou logo em setembro fortes críticas à ministra com a tutela das participações do Estado, Sirpa Paatero, membro do partido de Antti Rinne. A crise agravou-se em novembro quando os sindicatos convocaram uma greve de duas semanas.

O movimento em causa é muito representativo e tem o apoio de trabalhadores de outros setores económicos, que suspenderam o trabalho “por simpatia”, como permite a legislação finlandesa. Os sindicatos exigem saber se o Estado, acionista maioritário, aprovou o projeto.

A ministra fez várias declarações ambíguas e, a 28 de novembro, o primeiro-ministro foi chamado a explicar-se, tendo negado que o Governo tivesse aprovado o projeto da direção dos Correios, o que foi contudo desmentido no dia seguinte pelo presidente do conselho de administração da empresa.

Antti Rinne reagiu anunciando a demissão da ministra, mas partidos da coligação consideraram a decisão tardia e exigiram votar uma moção de confiança no parlamento. Com a demissão, a moção fica sem efeito.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Trump obriga grupo chinês a vender operações do TikTok nos EUA

O Presidente norte-americano deu, na sexta-feira, 90 dias ao grupo chinês ByteDance para vender as suas operações do TikTok nos Estados Unidos, segundo um decreto presidencial assinado por Donald Trump. Trump tem acusado nos últimos meses, …

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …