Preocupados com a polémica do novo aeroporto, socialistas vão pedir mais esclarecimentos na Comissão Nacional

Patrícia de Melo Moreira / AFP

O primeiro-ministro António Costa com o ministro Pedro Nuno Santos

Socialistas estão preocupados com a imagem do Governo e não ficaram satisfeitos com as explicações pública dadas por António Costa e Pedro Nuno Santos na quinta-feira.

Entre as 17h de quarta-feira e as 20h30 do dia seguinte, o Governo de António Costa viveu um dos seus períodos mais conturbados. Não só do atual elenco, mas de todos os que o homem-forte do PS dirigiu desde 2015. Durante este pequeno espaço de tempo, Portugal deixou de ter uma nova solução aeroportuária, a qual iria pôr fim a décadas de indecisão e de avanços e recuos, para se deparar com uma crise política que deixou à vista de todos as falhas de comunicação dentro do Executivo, assim como as rivalidades internas.

Após os esclarecimentos dados por Pedro Nuno Santos e António Costa, seguidos do “puxão de orelhas” de Marcelo Rebelo de Sousa, todos os envolvidos desejariam que a polémica ficasse encerrada – e sarada – o mais rápido. No entanto, a oposição e até dentro do partido socialista há quem esteja apostado em pedir mais mais explicações – não estivesse em causa o que muitos entendem ser o presente e o futuro do PS. Tal como aponta o Jornal de Notícias, o assunto promete mesmo marcar a Comissão Nacional do PS.

O jornal, que ouviu fontes socialistas, avança que o sentimento dentro do partido é de preocupação, à luz dos acontecimentos da última semana que, entende-se, prejudicaram a imagem do Governo. A postura dos dois intervenientes, de Pedro Nuno Santos em não se demitir e de António Costa de não demitir o seu ministro, também não é consensual. As opiniões dividem-se ainda sobre quem procedeu corretamente e quem foi o maior culpado na polémica.

Há ainda quem tema que a situação tenha prejudicado uma possível candidatura futura de Pedro Nuno Santos, sobretudo após o discurso em que teve de pedir desculpas e admitir o erro de anunciar o despacho – entretanto revogado – sem primeiramente informar António Costa e o Presidente da República. Unânime parece ser a necessidade de obter mais esclarecimentos, ainda que num âmbito interno.

Daniel Adrião, crítico de António Costa e líder da tendência alternativa V, anunciou que na reunião dos socialistas irá “pedir explicações aos dois principais protagonistas”, por entender que o sucedido “fragiliza não só o ministro, como o Governo no seu conjunto”, cuja “imagem sai prejudicada com este episódio. Já Álvaro Beleza, dirigente e antigo líder, também ouvido pelo JN, apelou ao “senso patriótico” tanto de Governo e da oposição. O presidente da Associação de Desenvolvimento Económico e Social (SEDES) destacou ainda que “Portugal precisa de um novo aeroporto e a escolha do local deve ser consensualizada entre os dois maiores partidos”. “É melhor decidir de forma razoável do que esperar” para alcançar “o ótimo”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.