Preço das casas continua a subir. Amadora e Porto batem recordes

Embora a um ritmo mais lento, o preço das casas continua a subir. Lisboa continua a ser a cidade onde comprar casa sai mais caro, mas foi na Amadora e no Porto que o preço mediano registou o crescimento homólogo mais significativo entre o primeiro trimestre de 2018 e o de 2019.

O preço mediano de venda de habitação em Portugal aumentou para 1.011 euros por metro quadrado no primeiro trimestre deste ano, revelou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE), destacando o crescimento registado nos concelhos da Amadora e Porto.

Apesar de Lisboa continuar a registar os preços mais elevados do país, na ordem dos 3.111 euros por metro quadrado (Euro/m2), “Amadora (+22,7%) e Porto (+22,0%) registaram as taxas de crescimento homólogo mais elevadas entre as cidades com mais de 100 mil habitantes”, segundo as estatísticas de preços da habitação ao nível local, relativas ao primeiro trimestre deste ano.

De acordo com os dados do INE, o preço mediano de venda de habitação em Portugal foi de 1.011 Euro/m2 no primeiro trimestre deste ano, o que representa “um aumento de +1,5% relativamente ao trimestre anterior e +6,4% relativamente ao trimestre homólogo”.

Durante o período em análise, 46 municípios portugueses, localizados no Algarve (1.562 Euro/m2), na Área Metropolitana de Lisboa (1.355 Euro/m2) e na Região Autónoma da Madeira (1.197 Euro/m2), apresentaram um preço mediano de venda de habitação superior ao valor nacional.

Depois de Lisboa (3.111 Euro/m2), os concelhos com o preço mediano de vendas de habitação mais elevado do país, com valores acima de 1.500 Euro/m2, são Cascais (2.389 Euro/m2), Oeiras (2.062 Euro/m2), Loulé (1.983 Euro/m2), Lagos (1.800 Euro/m2), Albufeira (1.761 Euro/m2), Porto (1.682 Euro/m2), Tavira (1.669 Euro/m2), Odivelas (1.563 Euro/m2), Lagoa (1.544 Euro/m2), Funchal (1.542 Euro/m2) e Vila Real de Santo António (1.534 Euro/m2).

No concelho de Lisboa, três das 24 freguesias lisboetas verificaram “preços superiores a 4.000 Euro/m2“, designadamente Santo António, Santa Maria Maior e Misericórdia, apurou o INE.

Em relação ao Porto, entre as sete freguesias da cidade, a União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde foi a que registou o preço mediano dos alojamentos vendidos mais elevado (2.324 Euro/m2).

As estatísticas de preços da habitação ao nível local em Portugal têm periodicidade trimestral, analisando os alojamentos familiares transacionados por venda no território nacional, através do aproveitamento de fontes administrativas, nomeadamente dos dados fiscais anonimizados obtidos da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), relativos ao Imposto Municipal sobre as Transações Onerosas de Imóveis (IMT) e ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

E se os preços das habitações no Porto e em Lisboa estão exorbitantes, há alguns municípios em que os valores são bem mais razoáveis. Os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística apontam Sernancelhe, em Viseu, como o mais barato — com um valor de 185 euros por metro quadrado.

Freixo de Espada à Cinta (189 euros/m2) e Oleiros (201 euros/m2) completam o pódio dos municípios mais baratos para comprar casa. Com preços abaixo dos 250 euros por metro quadrado destacam-se ainda Almeida, Penamacor, Vila Velha de Ródão, Monforte, Pinhel, Torre de Moncorvo, Mértola, Vimioso e Trancoso.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Se diplomacia falhar, China admite uso de força militar para controlar Taiwan

A China vai atacar Taiwan se não houver outra maneira de impedir que este Estado se torne independente, disse Li Zuocheng, um dos mais importantes generais do país, esta sexta-feira. Esta será uma opção de …

Encontrada canábis e incenso em templo bíblico de Israel. Foram usados em ritos religiosos antigos

A análise do material em dois altares da Idade do Ferro descobertos na entrada do santuário "santo dos santos" em Tel Arad, no vale de Beer-sheba, Israel, contém canábis e incenso. Escavações anteriores revelaram duas fortalezas …

Funerárias de Nova Iorque processadas por guardarem cadáveres em camiões

Devido ao elevado número de mortes causadas pela covid-19, as agências Andrew T. Cleckley, DeKalb e Armistead Burial armazenavam os corpos nos camiões frigoríficos até ser possível realizar os funerais. Três processos foram movidos por, pelo …

"Never again". Estudantes nos EUA vão aprender mais sobre o Holocausto

Estudantes norte-americanos vão passar a aprender mais coisas sobre o Holocausto, numa altura em que os Estados Unidos enfrentam níveis cada vez mais altos de antissemitismo. De acordo com a revista Newsweek, o Presidente norte-americano, Donald …

Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas

A Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas. Os estádios vão poder ter 25% da sua capacidade preenchida, anunciou o primeiro-ministro. De acordo com o jornal online Observador, a liga …

Recondicionados e "banhados a ouro". Irmão de Pablo Escobar vai vender iPhones 11 a 540 euros

A empresa de Robert Escobar, irmão do narcotraficante Pablo Escobar, está a vender iPhones 11 Pro recondicionados por 499 dólares (450 euros). Numa comunicação citada pelo portal Engadget, a Escobar Inc revela que está a vender …

É um polvo, chama-se Dumbo e mora a sete mil metros de profundidade (um novo recorde)

Um polvo foi fotografado no leito do Oceano Índico, a sete mil metros de profundidade. É um novo recorde. A descoberta de um polvo a 7 mil metros de profundidade, 6.957 metros mais especificamente, foi relatada …

Quem andar de montanha russa no Japão não pode gritar (nem bater palmas)

A Associação de Parques Temáticos do Leste e Oeste do Japão divulgou um novo guia de recomendações, numa altura em que o país começa a reabrir face à redução do número de novos casos de …

Jackson Martínez admite terminar carreira no final da época

O futebolista colombiano admitiu, numa entrevista a uma rádio colombiana, que está a pensar pôr um ponto final na carreira no final desta temporada. "Não descarto retirar-me, mas por agora estou focado em terminar a época. …

Na Rússia, os médicos na linha da frente não são aplaudidos das janelas. Enfrentam desconfiança e hostilidade

Em muitos países, os profissionais de saúde na linha da frente do combate ao novo coronavírus são apreciados e até aplaudidos das janelas. No entanto, na Rússia, a história é diferente. De acordo com a …