Portuguesa perdeu o bebé no incêndio de Londres (65 pessoas continuam desaparecidas)

Facundo Arrizabalaga / EPA

A contagem das vítimas mortais do incêndio numa torre residencial, em Londres, continua a aumentar e sabe-se agora que uma portuguesa que vivia no prédio de 24 andares e que estava grávida de sete meses, perdeu o bebé.

A informação é avançada pela RTP que nota que esta portuguesa vivia no 14.º andar e que foi retirada do edifício, sendo levada para o hospital, onde permanece em estado grave. O feto de sete meses que esperava perdeu a vida no incêndio, segundo o canal público.

Os restantes nove portugueses envolvidos no incêndio encontram-se bem, incluindo as duas meninas de 10 e 12 anos que continuam no hospital, mas apenas por precaução.

Entretanto, a polícia de Londres actualizou para 30 o número de mortos do incêndio de quarta-feira no edifício Grenfell, na capital britânica. Uma das vítimas mortais faleceu no hospital e as autoridades esperam que o número continue a aumentar.

O anterior balanço de mortos no incêndio na torre com 24 andares, 120 apartamentos e entre 400 e 600 moradores, tinha sido de 17 vítimas.

A primeira vítima foi identificada como o refugiado sírio Mohmmed Alhajali, de 23 anos, que estudava engenharia civil e que estava no 14.º andar quando se declarou o incêndio. O jovem tinha fugido da guerra no seu país e vivia no Reino Unido desde 2014.

Vítimas poderão nunca ser identificadas

Segundo o jornal The Sun, há pelo menos 65 pessoas desaparecidas. A polícia britânica avisa, entretanto, que algumas das vítimas mortais do incêndio poderão nunca vir a ser identificadas.

“Tristemente, há um risco de que não possamos identificar todos“, disse o comandante da polícia Metropolitana de Londres (MET), Stuart Candy, acrescentando esperar que o número total de mortos não seja superior a três dígitos.

Pelo terceiro dia consecutivo, os bombeiros revistaram os andares do prédio, enquanto aumentam as críticas sobre a segurança em outros edifícios similares no Reino Unido.

As autoridades são criticadas pelo estado em que se encontrava o edifício depois de alguns residentes terem denunciado que os alarmes de incêndio não dispararam, e também pelo material usado no revestimento do imóvel, composto por polietileno, que explicaria a rapidez com que se propagaram as chamas.

Não está ainda esclarecida a origem do incêndio e a primeira-ministra britânica, Theresa May, já ordenou uma investigação oficial sobre a tragédia.

May é também criticada pelos media locais por não ter falado com os sobreviventes do incêndio quando visitou o bairro norte de Kensington, onde está o imóvel e onde falou com agentes da polícia e bombeiros que trabalharam para conter o fogo e resgatar os residentes.

Também o líder do principal partido da oposição, Jeremy Corbyn, visitou o local e disse que a verdade sobre o incêndio tem de ser conhecida.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …