Português condenado a prisão por ter fingido ser vítima de incêndio em Londres

Andy Rain / EPA

O incêndio de junho de 2017 fez 70 mortos

Um português que recebeu apoios de 60 mil euros, enquanto fingia ser vítima do incêndio que destruiu no ano passado a torre Grenfell, em Londres, foi esta quinta-feira condenado a três anos e dois meses de prisão.

António Gouveia, de 33 anos, confessou e foi considerado culpado de ter recebido dinheiro, um computador portátil e alojamento destinados a um antigo morador daquele edifício, que ardeu em 14 de Junho de 2017.

O empregado de limpeza alegou inicialmente que vivia há alguns meses no apartamento 42 do sétimo andar com uma senhora, mas esta denunciou-o como um impostor após constatar que outra pessoa estava a recolher o dinheiro e aparelho eletrónico que lhe estava destinado.

Além de dinheiro, ajudas para alimentação, o português ficou alojado durante 289 dias num hotel junto ao Hyde Park, cujo custo terá ascendido a 44.795 libras (50.300 euros), de acordo com notícias na imprensa britânica.

Confrontado pela polícia em Junho deste ano, Gouveia adiantou que chegou a visitar um posto de correios e pedir a correspondência para a morada que tinha dado, para dar maior consistência à sua história.

O detetive superintendente, Matt Bonner, considerou chocante as ações de pessoas que têm abusado dos sistemas de apoio às vítimas do incêndio, que são pelo menos 11.

“António Gouveia inventou uma história elaborada para o seu próprio benefício e explorou a generosidade das pessoas e da autarquia local”, lamentou.

O incêndio na torre Grenfell começou na noite de 14 de Junho de 2017 e alastrou rapidamente aos andares superiores da torre de 25 pisos, alegadamente devido ao revestimento inflamável.

Dos mais de 300 residentes, 70 pessoas morreram no incêndio, mais uma vítima que sucumbiu dos ferimentos dias depois no hospital e um bebé nado morto, filho dos portugueses Márcio e Andreia Gomes.

Logan Gomes, que já tinha quase sete meses de gestação, morreu devido à intoxicação com fumo da mãe, que foi hospitalizada juntamente com uma das duas filhas após escapar pelas escadas desde o 21.º andar.

Além do casal Márcio e Andreia Gomes e as duas filhas menores, viviam na Torre Grenfell outros seis portugueses, todos no 13.º andar: Miguel e Fátima Alves e dois filhos, e outros dois amigos portugueses, residentes num apartamento vizinho, que também sobreviveram.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Madrid e Catalunha suspendem vacinação por falta de vacinas

Madrid e Catalunha anunciaram esta quarta-feira que vão adiar a administração da primeira dose da vacina contra a covid-19 durante as próximas duas semanas, por falta de stock. De acordo com o Jornal de Notícias, as …

"Satisfaz o ego, mas vai ter custos". Teodora Cardoso acha que Centeno não devia ter ido logo para o BdP

A ex-presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP) deu uma entrevista na qual abordou vários temas, desde a crise económica desencadeada pela pandemia à saída do ex-ministro das Finanças para o Banco de Portugal.  Em entrevista …

TAP quer limitar direito à greve e menos férias. Sindicatos indignados

Vários sindicatos que receberam a proposta da TAP para um acordo de emergência a vigorar até ao final de 2024 estão indignados com várias das medidas previstas no documento. Segundo a rádio TSF, que teve acesso …

Ministro do Ambiente ouvido no parlamento sobre venda de seis barragens da EDP

O ministro do Ambiente é esta terça-feira ouvido no parlamento, a propósito da venda de seis barragens da EDP, situadas na bacia hidrográfica do Douro, a um consórcio liderado pela Engie, por 2,2 mil milhões …

Boris Johnson diz que "não existem respostas fáceis" para elevada mortalidade no país

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse esta quarta-feira que "não existem respostas fáceis" para o facto de o Reino Unido ser o país na Europa com mais mortes atribuídas a covid-19, ao ultrapassar a barreira …

Biden põe termo a contratos com as prisões privadas

A conselheira em política interna do Presidente dos Estados Unidos (EUA), Susan Rice, informou que Joe Biden iria assinar na terça-feira um decreto para pôr termo à utilização das prisões privadas do país no sistema carcerário …

Rodrigues dos Santos quer dar a mão ao PSD para derrotar Medina em Lisboa

Francisco Rodrigues dos Santos considera que uma coligação PSD/CDS-PP nas eleições autárquicas é a “única hipótese” para derrotar o atual presidente da Câmara de Lisboa, o socialista Fernando Medina, mas recusa adiantar quem poderá ser …

Patrões não podem recusar apoio nem faltas justificadas aos pais

Especialistas destacam que as entidades empregadoras não podem opor-se às faltas justificadas de pais que fiquem em casa para tomar conta dos filhos, nem recusar-se a prestar o apoio excecional à família. Com o encerramento das …

Voos e 2 mil libras. Reino Unido oferece incentivos a cidadãos da UE que queiram abandonar o país

O Governo britânico está a oferecer incentivos financeiros para os cidadãos da União Europeia (UE) deixarem o Reino Unido, meses antes do prazo para solicitar o estatuto de residente permanente De acordo com o jornal britânico …

Novo máximo diário de mortes por covid-19. Há mais 15.073 novos casos e 293 óbitos

Portugal registou esta quarta-feira 15.073 novos casos de infeção por covid-19 e mais 293 mortes, o maior número de óbitos em 24 horas desde o início da pandemia, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …