“Portugal não precisa de mais autoestradas, precisa de mais crianças”, diz Cavaco Silva

6

O antigo Presidente da República considerou neste domingo que o país “precisa de mais crianças” e referiu que os poderes públicos devem criar condições para que os casais tenham mais filhos.

“Portugal não precisa de mais autoestradas. Portugal não precisa de mais pavilhões gimnodesportivos. Portugal não precisa de mais campos de futebol. Portugal precisa de mais crianças“, referiu Aníbal Cavaco Silva em Sernancelhe, no distrito de Viseu.

Segundo o antigo Chefe de Estado, “os poderes públicos têm que criar condições para que os casais tomem a decisão de ter mais filhos”.

“Isso é fundamental para a identidade do futuro do nosso país, não é com autoestradas. Não é com gimnodesportivos, não é com clubes de futebol, é sim dando força aos casais portugueses para que tragam para o nosso país mais, mais e mais crianças”, afirmou.

Cavaco Silva, que foi primeiro-ministro entre 1985 e 1995 e Presidente da República entre 2006 e 2016, foi hoje agraciado com a Medalha de Honra do Município de Sernancelhe, presidido por Carlos Silva (PSD).

  // Lusa

6 Comments

  1. Infelizmente os políticos ainda não compreendem o quadro mais geral. É preciso reduzir e muito o nº de pessoas na Terra (e não aumentar, como proposto pelo Sr. Silva) de modo a tornar a Humanidade sustentável. Infelizmente isto vai contra as leis da Economia, mas a sobrevivência da nossa espécie vai muito além da Economia. Deveríamos estar a promover a redução populacional e a tentar perceber como tornar tal ciclo de mudança sustentável economicamente.

    • Concordo consigo, até certo ponto. Contudo, essa mensagem não atinge toda a gente (isto é, pelo menos no nosso país) — apenas a meia dúzia de pessoas, com um certo nível de consciência; para haver essa redução de população teríamos que ter toda a população a “remar para o mesmo lado”.
      Se as pessoas mais conscientes caem nessa de não ter filhos porque é mau para o ambiente e para todas as formas de vida terrestres, arriscamo-nos a que as coisas fiquem como no filme “Terra de Idiotas” (de 2006, de Mike Judge, com Luke Wilson no papel principal). Os menos conscientes não vão deixar de procriar e teremos uma cambada de idiotas a dar cabo do que resta da Terra. Enfim.

      • Pois, compreendo o seu ponto de vista. Na minha opinião o problema tenderia a resolver-se com forte aposta na educação e aumento das condições de vida em países menos desenvolvidos, pois são esses que contribuem activamente para o aumento populacional. Três coelhos com uma cajadada: a) mais pessoas conscientes e informadas no mundo (como refere); b) menos população e mais garantias de sustentabilidade; e, c) aumento da qualidade de vida de populações que vivem hoje em dia em condições miseráveis.
        Infelizmente para isso é preciso passar por cima de muitos interesses, muita corrupção, muita ganância e muitas ditaduras, a quem este status quo insustentável vai servindo bem…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.