Portugal começa a pagar dívida à UE cinco anos antes do previsto

Portugal tem luz verde do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) para pagar o que resta do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI). Portugal vai também começar a pagar os empréstimos europeus antes das datas previstas.

Para amortizar antecipadamente o FMI, Portugal teve de pedir uma isenção ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), o atual MEE. O empréstimo concedido durante o resgate por esta entidade tinha como condição que se houvesse pagamentos antes do prazo ao FMI teria de ser feito também um abate equivalente na dívida ao FEEF. Para tal não acontecer, teria de existir autorização das entidades europeias.

O MEE tinha já dado aval para o reembolso da maior parte das parcelas do empréstimo do FMI. Mas desta vez a luz verde chegou com o compromisso de Portugal começar também a pagar os empréstimos do FEEF antes da data que tinha sido acordada.

Estes reembolsos deverão começar a ser feitos, de acordo com o DN, entre três a cinco anos antes do previsto, uma vez que Portugal deveria começar apenas em 2025, altura em que o país teria de desembolsar 3,5 mil milhões de euros.

No entanto, segundo a entidade europeia que tem como missão apoiar países em dificuldades financeiras, “Portugal comprometeu-se também a pagar antecipadamente ao FEEF até dois mil milhões de euros no período entre 2020 e 2023, após o reembolso total dos empréstimos do FMI”. Ainda assim, esse compromisso está dependente “das condições do mercado” e do impacto na “sustentabilidade da dívida”.

Contrariamente aos empréstimos do FMI, o financiamento obtido junto do FEEF tem juros mais baixos do que as atuais taxas das obrigações portuguesas, apesar de estas se situarem perto de mínimos. O mecanismo europeu cobra 1,8% por dívida que tem ainda uma maturidade média de 14,5 anos. A entidade emprestou 26 mil milhões de euros dos 50 mil milhões desembolsados por instituições europeias a Portugal.

No mercado secundário, os investidores exigem 2,33% por dívida a 15 anos. Isto indicia que o Tesouro poderá ter de assumir maiores custos com juros para começar a pagar ao FEEF.

No caso do FMI, os reembolsos antecipados permitiram poupar na fatura com juros, já que os financiamentos da entidade custavam 4,4%. Segundo o governo, nesta legislatura, a substituição da dívida do fundo permitiu poupar mais de 800 milhões em juros.

Além da poupança com juros, os reembolsos ao FMI ajudam também a gerir os prazos em que vence dívida do Estado. A parcela que vai ser paga até final do ano tinha 2021 e 2022 como maturidade original.

Nesses anos, Portugal enfrenta os chamados “muros” de refinanciamento, uma vez que terá mais dívida a vencer, o que exige maior esforço de refinanciamento. Em 2021, Portugal tem de devolver aos credores quase 19 mil milhões de euros. No ano seguinte são mais 16,5 mil milhões. Nos últimos tempos, o Tesouro tem tentado entrar em cada ano com menos de dez mil milhões para refinanciar em dívida de médio e longo prazo.

Para evitar montantes elevados para pagar em 2021 e 2022, o Tesouro tenta jogar na antecipação. Além de pagar já ao FMI, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública está também a propor aos investidores que aceitem trocar obrigações que chegam à maturidade em 2020 e 2021 por novos títulos com vencimento em 2023 e 2027.

Já os reembolsos antecipados ao MEE poderão ajudar a diminuir o esforço de refinanciamento de 2025, ano em que Portugal tem também um calendário de reembolsos pesados: tem de devolver aos credores mais de 17 mil milhões de euros.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A tecnologia ressuscitou o "plágio" de escritores medievais

Os trabalhos de autores medievais foram "ressuscitados" com a tecnologia do século XXI numa inesperada colaboração na Universidade de St Andrews, na Escócia. Um arquivo das obras de autores ingleses medievais, que revelava uma visão internacional …

Num cenário apocalíptico, a espécie humana poderia sobreviver "com populações na casa das centenas"

Cientistas de todo o mundo debruçam-se sobre a preparação das populações (e de abrigos) para sobreviver a um possível apocalipse. Para o antropólogo Cameron Smith, não seria necessário um número muito elevado de pessoas, desde …

Príncipe Harry diz que viver com a família real é "uma mistura entre o Truman Show e estar num zoo"

Depois de uma entrevista a Oprah Winfrey, o duque de Sussex faz novas revelações numa nova entrevista e descreve como era a sua vida antes de ir viver, primeiro para o Canadá e, depois, para …

Pentear o cabelo pode tornar-se uma tarefa mais fácil com a ajuda de um robô

Uma equipa de cientistas desenvolveu recentemente um braço robótico com uma escova de cabelo macia, equipada com uma câmara que ajuda o braço a "ver" e a avaliar a ondulação, para oferecer ao utilizador uma …

Benfica 4-3 Sporting | Águia vence dérbi espectacular

Mas que grande dérbi! Benfica e o novo campeão Sporting presentearam os adeptos com um jogo espectacular, um dos melhores dos últimos anos em Portugal, com futebol de ataque e golos, muitos golos. Foram nada menos …

Portugal é o 2.º país com mais divórcios e menos casamentos na UE

A taxa de casamentos na União Europeia caiu drasticamente nos últimos 55 anos, ao mesmo tempo que a taxa de divórcios subiu. Portugal é o segundo país onde esta tendência mais prevalece. De acordo com dados …

"É parte da nossa identidade". Pequena cidade na Suécia luta para preservar uma antiga língua moribunda

A organização Ulum Dalska, sediada numa pequena cidade sueca chamada Älvdalen, tem uma missão. Durante décadas, os seus membros têm trabalhado arduamente para ajudar a salvar a língua elfedaliana, um remanescente do nórdico antigo. "Tivemos a …

Papa diz que abuso infantil é uma espécie de “assassinato psicológico”

O Papa Francisco criticou hoje o abuso infantil dizendo que é “uma espécie de ‘assassinato psicológico’ e, em muitos casos, um cancelamento da infância” e pediu para “parar de encobrir” o fenómeno da pedofilia. Francisco falava …

Jerónimo considera “precipitado” discutir Orçamento de 2022 e “deitar borda fora” o atual

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, considerou hoje “no mínimo precipitado” antecipar a posição do partido sobre o próximo Orçamento do Estado e “deitar borda fora” a concretização do atual. À margem de uma visita …

Plano da CIA para capturar Bin Laden originou um problema de saúde pública no Paquistão

Um novo estudo indica que um plano secreto da CIA para capturar Osama Bin Laden, no início de 2011, teve como consequência uma queda significativa das taxas de vacinação no Paquistão. O plano, que usava uma …