Portugal continua a importar milhares de toneladas de amianto

Edgar Poe / Flickr

O amianto é um material cancerígeno que continua presente em muitas infraestruturas públicas e privadas em Portugal. Apesar disso, o país continua a importar milhares de toneladas.

O alerta parte da plataforma SOS-Amianto, criada pela Quercus, que refere que só em 2016 e 2017, foram importadas 53 mil toneladas de matérias perigosas — entre as quais o amianto. De acordo com o Público, neste mesmo período, 727 toneladas de resíduos com amianto foram enviadas para aterros.

“Muitas são as histórias para contar que demonstram que esta fibra afetou e continua a afetar muitas pessoas em Portugal”, escreveu a SOS-Amianto, num comunicado enviado à imprensa. Desde a sua criação, há um ano, a plataforma recebeu mais de 200 queixas a denunciar a presença de amianto em várias infraestruturas públicas e privadas.

“Não há um dia em que alguém não nos questione ou denuncie esta problemática”, lê-se no comunicado. Ainda há pelo menos 3730 edifícios públicos com este material cancerígeno por remover.

Fábricas abandonadas, coberturas de edifícios particulares, edifícios de escritórios, escolas, hospitais, teatros, bibliotecas, universidades e edifícios militares são algumas das infraestruturas cujo material ainda é utilizado, apesar dos constantes alertas para os problemas de saúde que provoca. Cancro do pulmão, cancro do ovário, cancro da laringe e cancro do estômago são as patologias mais comuns.

“A diversidade da presença de amianto em Portugal é uma certeza que temos que admitir de uma vez por todas”, realça Carmen Lima, coordenadora da plataforma SOS-Amianto. “Urge uma intervenção responsável e coordenada por parte de todos os intervenientes”.

A plataforma criada pela Quercus já se reuniu com todos os grupos com assento parlamentar de forma a tentar “sensibilizar para esta temática e alertar para a necessidade de regular o setor através da criação de um alvará para as empresas de remoção de amianto e uma certificação para os técnicos que identificam estes materiais”.

“Analisámos os custos do amianto e concluímos que tratar os doentes de cancro provocado por este carcinogénico pode ser 50 vezes mais caro que remover uma cobertura em fibrocimento”, conclui Carmen Lima.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. desconhecimento e alarmismos levam a estas coisas. O amianto só acarrecta problemas ser forem inaladas micro particulas.. não é por estar um telhado de “lusalite” num edificio que as pessoas vão apanhar cancro. Só se andarem a partir as telhas e a inalar as poeiras libertadas. Até mesmo nos USA em que isto é levado muito a sério, se, por exemplo, um chão tiver amianto e for aplicado outro por cima sem danificar o de baixo, passa na vistoria.
    estes materiais devem ser removidos/substituidos por uns sem amianto, quando já não cumprirem a sua função.
    Um caso mais sério do que as coberturas e revestimentos, são as canalizações públicas de água potável que nalgumas zonas ainda são em manilhas de lusalite.. isto sim é grave e deve ser substituido.. agora os telhados, deixem-se disso.
    claro que isto não justifica o facto de importarem e aplicarem estes produtos, isto sim não tem cabimento

RESPONDER

Há cada vez mais cidades chinesas com cortes de energia — e isso poderá ter consequências globais

Embora o problema já se tenha começado a sentir em julho, na última semana deixou de atingir apenas as zonas industriais para se estender aos bairros residenciais. População foi desaconselhada a não usar dispositivos com …

Barack Obama: "Taxem os ricos, como eu," para financiar proposta de Biden

Apelo está relacionado com a aprovação de um grande plano legislativo proposto por Joe Biden e que deverá ser negociado nas duas câmaras do Congresso norte-americano ao longo das próximas semanas. Numa semana decisiva da governação …

As origens dos antigos Etruscos foram finalmente reveladas

Vestígios de ADN encerraram, finalmente, o debate sobre a origem dos Etruscos,  uma antiga civilização cujos restos mortais foram encontrados em Itália. De acordo com quase dois mil anos de dados genómicos, recolhidos de 12 locais …

Rússia acusa Navalny e aliados de extremismo em novo processo

A Rússia intensificou a campanha contra o opositor do governo Alexei Navalny, abrindo esta terça-feira um novo processo judicial, que poderá levá-lo a cumprir uma pena de prisão de mais uma década. Navalny cumpre dois anos …

Governo demite Chefe do Estado-Maior da Armada. Gouveia e Melo provável sucessor

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a demissão do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram hoje à Lusa fontes ligadas à Defesa. O Governo propôs ao Presidente da …

Borussia Dortmund 1-0 Sporting | Um Mal(en) que veio só… e foi suficiente

O “bicho papão Haaland não jogou, mas nem assim os “leões” conseguiram contrariar o maior poderio germânico. O Sporting saiu de Dortmund com uma derrota, apesar da excelente réplica no Signal Iduna Park, e muito por …

FC Porto 1-5 Liverpool | Dragão atropelado em casa

O Liverpool é uma espécie de “besta” em tons de “red” para o FC Porto. Em nove jogos oficiais, os “azuis-e-brancos” nunca venceram, somando 3 empates e 6 derrotas, a mais recente foi pesadíssima e …

China desenvolve arma invisível capaz de destruir redes de comunicação em dez segundos

Uma equipa de cientistas chineses está a desenvolver uma arma sónica, que gera um intenso pulso eletromagnético, capaz de destruir redes de comunicação e de fornecimento de energia elétrica. A arma poderá ter um alcance …

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …