Polónia vai vetar eventuais sanções europeias contra a Hungria

Ministry of Foreign Affairs of the Republic of Poland / Flickr

Jacek Czaputowicz, ministro dos Negócios Estrangeiros da Polónia

A Polónia vai vetar eventuais sanções europeias contra a Hungria, afirmou nesta quinta-feira o chefe da diplomacia polaca, depois de o Parlamento Europeu ter recomendado um procedimento disciplinar a Budapeste por violação grave dos valores europeus.

“Caso seja discutido no Conselho, estaremos contra. Vamos vetar a decisão em caso de sanções”, disse Jacek Czaputowicz durante uma visita à capital lituana, Vilnius.

“A UE está a tentar exercer pressão sobre os países da nossa região e nós devemos demonstrar solidariedade nesta questão“, disse Czaputowicz, que falava numa conferência de imprensa conjunta com o homólogo lituano, Linas Linkevicius.

O ministro lituano afirmou por seu lado que o seu país é “a favor do diálogo e contra ultimatos”, mas evitou dizer como votará a Lituânia nesta questão.

A votação de quarta-feira no Parlamento Europeu (PE) marca o início de um longo procedimento, que, em teoria, pode terminar com a aplicação de sanções à Hungria, entre as quais a suspensão do direito de voto no Conselho Europeu, que reúne líderes dos 28 países. No entanto, o procedimento, lançado ao abrigo do artigo 7.º do Tratado de Lisboa, tem de ser aprovado por unanimidade, numa votação em que o Estado-membro visado não participa.

A Hungria anunciou, entretanto, que está a preparar um recurso a apresentar à justiça europeia para anular a votação de quarta-feira no PE. O Governo “anunciará na segunda-feira que ação legal concreta” vai lançar, disse à imprensa Gergely Gulyas, ministro da presidência, acrescentando que um recurso ao Tribunal de Justiça da União Europeia é a opção “mais provável”.

Budapeste contesta a validade da resolução aprovada na quarta-feira alegando que a maioria de dois terços não foi atingida se forem contados os eurodeputados presentes no hemiciclo no momento da votação.

A resolução foi aprovada com 448 votos a favor e 197 contra (além de 48 abstenções), o que corresponde a uma maioria de dois terços dos sufrágios expressos, mas não a dois terços dos eurodeputados presentes.

Antes da votação, a questão do modo de cálculo do limiar de dois terços foi colocada aos serviços jurídicos do PE, que confirmaram a tradição aplicada no hemiciclo de não considerar a abstenção como um sufrágio expresso.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ex primeiro-ministro francês candidata-se por Barcelona

Pela primeira vez na História um antigo primeiro-ministro francês candidata-se à presidência da câmara de uma cidade de um país estrangeiro. Manuel Valls anunciou esta terça-feira a sua candidatura à autarquia de Barcelona, em Espanha, …

Portugal quer ser líder europeu na erradicação do vírus da SIDA

O Ministério da Saúde português quer melhorar a saúde publica e tornar o país num líder na erradicação do HIV Numa entrevista à EFE, o ministro Adalberto Campos Fernandes sublinhou o esforço realizado pelo Governo socialista …

Críticas ao governo no Facebook condenam vietnamita a 2 anos de prisão

Doan Khanh Vinh Quang, de 42 anos, foi condenado pelo "abuso da liberdade democrática para infringir os interesses legítimos do Estado". O vietnamita insultou o governo e o Partido Comunista numa publicação do Facebook. Um tribunal …

Refugiada yazidi teve de fugir da Alemanha depois de se cruzar com o seu raptor

A yazidi de 19 anos fugiu da Alemanha - o país que seria a sua nova casa - depois de se ter cruzado com o seu antigo raptor, um membro do Estado Islâmico que a …

Fonte termal de Yellowstone entra em erupção passados 14 anos

A fonte termal, chamada Ear Spring, situada no Geiser Hill do Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos da América, entrou em erupção no sábado passado, após 14 anos de inatividade. A atividade térmica no parque …

"Exonerador implacável": Presidente de Angola afastou 230 altos militares e administradores num ano

O Presidente da Angola prometeu e parece estar a cumprir a sua principal bandeira eleitoral - o combate à corrupção e à impunidade. No seu primeiro ano de mandato, João Lourenço afastou pelo menos 230 …

Quatro membros do La Manada envolvidos em nova acusação de abuso sexual

Quatro membros do grupo La Manada voltam a estar no centro da polémica por outro alegado caso de abuso sexual, desta vez de uma jovem de 21 anos nas festas de Torrecampo, em Córdova. De acordo …

Portugal vai acolher 10 dos 58 migrantes que estão no navio Aquarius

Portugal vai acolher 10 dos 58 migrantes que estão no navio de salvamento Aquarius, após ter chegado a um acordo com Espanha e França, anunciou o Ministério da Administração Interna (MAI). "Portugal acordou com Espanha e …

Peritos que trabalham de borla no observatório dos fogos exigem explicações

O Observatório Técnico Independente foi criado recentemente, mas a lei não prevê que os especialistas sejam devidamente remunerados. Peritos exigem explicações. O Observatório Técnico Independente foi criado para análise, acompanhamento e avaliação dos incêndios florestais e, …

Santos Silva alerta para "linha vermelha" após prisão de portugueses na Venezuela

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, referiu que teve uma conversa "dura" com o homólogo venezuelano acerca dos portugueses e luso-descendentes presos na Venezuela e indicou uma "linha vermelha" que poderá desencadear consequências …