A política de combate à obesidade na China foi ditada pela Coca-Cola

A Coca-Cola exerceu forte influência sobre a forma como o governo chinês abordou o crescente problema de obesidade no país, segundo um estudo recentemente publicado.

A China está a braços com uma epidemia de obesidade. No meio desta tensão, a Coca-Cola conseguiu influenciar as políticas de saúde do país, de modo a evitar o estabelecimento de um imposto de 20% sobre as bebidas açucaradas e outras medidas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Esta é a conclusão de uma investigação recente da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

A China é já o terceiro maior mercado global de Coca-Cola. No que diz respeito à obesidade, em 2011, 42% dos adultos chineses estavam acima do peso, mais do dobro de que o registado duas décadas antes, revelam os dados oficiais.

Susan Greenhalgh, autora do estudo, chama a atenção para uma “complexa rede de contactos institucionais, financeiros e pessoais” através dos quais a empresa norte-americana conseguiu obter “uma posição de poder nos bastidores que garante que a luta do governo chinês contra a crescente epidemia de obesidade não prejudica os seus interesses”.

A investigadora aponta diretamente o Instituto Internacional de Ciências da Vida (ILSI), uma organização criada em 1978 que pretende ser um “fórum altamente confiável para gerar, recolher e discutir dados científicos sobre questões de impacto na saúde pública”.

O ILSI – além de ter sido fundado pelo vice-presidente da Coca-Cola, Alex Malaspina – é financiado por dezenas de empresas da indústria de alimentos, como a Coca-Cola, o McDonald’s, a Nestlé e a PepsiCo.

Na sua investigação, publicada recentemente na revista BMJ, a investigadora argumenta que a Coca-Cola usou o ILSI para influenciar as políticas de saúde do país.

Também em 1978, a Coca-Cola foi a primeira empresa internacional a receber permissão para se estabelecer na China após 30 anos de isolamento impostos por Mao Zedong. Nesse mesmo ano, Alex Malaspina visitou o país para iniciar relações com cientistas locais. “Rapidamente conheceu Chen Chunming, uma poderosa nutricionista conhecida por ter contactos de alto nível no governo.”

Chen Chunming foi a fundadora dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) da China, uma agência governamental. Em 1993, a nutricionista foi contratada pelo ILSI para dirigir a sua filial chinesa. Atualmente, os órgãos públicos e privados compartilham a sede. “O pessoal do ILSI-China, financiado pela indústria, tem acesso sem precedentes a autoridades do governo”, critica Greenhalgh.

Como consequência dessa influência, destaca o El País, as políticas chinesas estão alinhadas com as estratégias comerciais da Coca-Cola.

Depois de ter recusado responder às questões de Greenhalgh, o ILSI emitiu um comunicado no qual nega ter influenciado as políticas chinesas e em que afirma que sua missão é “fornecer ciência que melhore a saúde humana”.

A investigação de Susan Greenhalgh centrou-se no processo opaco da formulação de políticas baseadas na ciência na China. A investigadora concentrou-se nos esforços do governo para lidar com a crescente crise de obesidade no país.

Ao longo dos anos, a investigação de Greenhalgh destacou as complexas conexões pessoais, institucionais e financeiras que a Coca-Cola cultivava para alinhar a ciência e a política chinesas com o interesse em construir o seu próprio mercado na China.

Em resposta ao estudo de Greenhalgh, a empresa divulgou um comunicado no qual reconhece que “muito açúcar não é bom para ninguém”, enfatizando um movimento em direção a mais transparência no financiamento de pesquisa, além de uma promessa de não ser a principal fonte de financiamento para qualquer estudo.

Apesar desta mudança, a marca da Coca-Cola na política de obesidade chinesa permanece palpável. Greenhalgh analisou documentos de políticas públicas relacionadas à Healthy China 2030, uma iniciativa chinesa revelada em 2016 para abordar doenças crónicas, e descobriu que a maioria dos alvos específicos da iniciativa está relacionada com o aumento da atividade física e que as metas relacionadas à nutrição estão restritas a limitar o consumo de sal.

Em suma, o estudo denuncia o uso de organizações como o ILSI para “promover campanhas educativas ineficazes em vez de medidas legais sobre o preço, disponibilidade e comercialização dos seus produtos”.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sangue de porco é mais proteico do que qualquer proteína do mercado (e pode ser consumido em smoothies)

Uma equipa de investigadores do departamento de ciência alimentar da Universidade de Copenhaga desenvolveu um método para extrair proteínas do sangue de porco. O resultado é um pó fino, branco, com sabor neutro e com …

Costa anuncia cinco medidas restritivas para 121 concelhos "de elevado risco" e reforços da capacidade de resposta

Após um Conselho de Ministros extraordinário que durou mais de 8 horas, o primeiro-ministro anunciou este sábado novas "medidas imediatas" de combate à pandemia de covid-19. Concelhos "de elevado risco" estão sujeitos a medidas restritivas, …

Escola na China transformou-se num "edifício andante" para evitar a demolição

Os residentes da cidade chinesa de Xangai que, no início deste mês, passaram pelo distrito de Huangpu podem ter encontrado uma visão incomum: um "edifício andante". De acordo com a cadeia de televisão CNN, uma escola primária …

Joke Boon, a chef holandesa que não tem olfato nem paladar

Joke Boon perdeu o paladar e o olfato quando ainda era criança, mas isso não a impediu de viver da culinária, área na qual estes requisitos são, à partida, essenciais.  "Como seria a minha vida se …

Portugal com mais 39 mortos, mais 4007 casos e recorde de internamentos graves

Portugal registou hoje 39 mortos e mais 4.007 casos de novas infeções pelo novo coronavírus, tendo alcançado um novo recorde de 286 doentes internados nos cuidados intensivos por covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. Registou-se este …

Leiloada carta de Nobel antissemita a desprezar Einstein e os judeus

Uma carta escrita em 1927 pelo Prémio Nobel Philipp Lenard a um colega a reclamar das conquistas de Einstein e do suposto domínio judaico da ciência foi a leilão no Nate D. Sanders Auctions, em …

Sue, o T-rex, terá tido uma forte dor de dentes devido a uma infeção

Sue, o T-rex cujo esqueleto é um dos mais completos já descobertos até aos dias de hoje, terá sofrido uma forte dor de dentes durante a sua existência. "Dois dentes estão realmente fundidos e um terceiro …

Câmara com IA confundiu careca do bandeirinha com a bola (e arruinou o jogo de futebol)

Os adeptos da equipa de futebol escocesa Inverness Caledonian Thistle FC experimentaram uma hilariante falha tecnológica durante um jogo no fim de semana passado. De acordo com o IFLScience, o clube escocês anunciou há algumas semanas …

"Francisco Louçã fez bullying para precipitar ruptura do Bloco com o PS"

O PS acredita que foi a postura de "bullying" de Francisco Louçã que forçou o Bloco de Esquerda a precipitar uma "ruptura com o PS", conforme avança o deputado João Paulo Correia, vice-presidente da bancada …

Remdesivir: de droga milagrosa a negócio milionário com "muito, muito mau aspeto"

Apresentado como único medicamento anti-viral eficaz no combate à covid-19, foi o primeiro medicamento aprovado pela FDA, regulador farmacêutico americano, no tratamento da doença. Agora, a sua eficácia é contestada — e os negócios milionários …