Polícias exigem demissão do dirigente sindical que denunciou racismo na SIC

Manuel Morais / Facebook

Manuel Morais, agente do Corpo de Intervenção da PSP e vice-presidente da Associação Sindical de Profissionais de Polícia.

A participação do vice-presidente do maior sindicato da PSP, Manuel Morais, na reportagem da SIC sobre violência policial e racismo nos bairros sociais, está a gerar uma onda de contestação, com pedidos de demissão.

Manuel Morais, agente do Corpo de Intervenção da PSP, integra a direcção da Associação Sindical de Profissionais de Polícia (ASPP), o maior sindicato da PSP, há 30 anos, mas pode estar de saída depois das declarações que fez na SIC.

O agente reconheceu que há racismo e xenofobia no seio das polícias, o que indignou muitos associados da ASPP que estão a pressionar a estrutura sindical para demitir Manuel Morais. O Diário de Notícias (DN) avança que a ASPP “vai ceder à pressão e aceitar a demissão do seu dirigente histórico”.

Não é a primeira vez que Manuel Morais fala do assunto. O seu trabalho de mestrado em Antropologia, intitulado “Relações das Polícias com os Jovens dos Bairros Periféricos”, já falava de racismo e xenofobia na PSP. Mas com as declarações que fez na reportagem da SIC as suas opiniões ganharam maior relevância e causaram mais incómodo.

“Neste momento está muito difícil não ceder” à pressão dos associados, reconhece o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, ao DN. O dirigente sindical destaca o “momento inoportuno” das declarações de Manuel Morais, lembrando a sentença histórica que condenou 8 polícias da esquadra de Alfragide por agressões, injúrias e sequestros contra 6 jovens negros da Cova da Moura, em 2015.

“O que nos preocupa é que as declarações do Manuel Morais, apesar de terem sido a título pessoal, geraram uma enorme onda de contestação de muitos sócios que entendem que a opinião dele não representa os polícias”, acrescenta Paulo Rodrigues.

Neste caldo de preocupação é preciso também incluir a nova Lei Sindical da PSP que foi aprovada no Parlamento e que limita as folgas sindicais dos dirigentes à representatividade dos Sindicatos. Ora, o desconforto com Manuel Morais pode levar à debandada de sócios da ASPP para se unirem a outros Sindicatos, o que fragilizaria o peso do que é actualmente o maior representante da PSP.

Manuel Morais confirma ao DN que pretende “colocar o lugar à disposição” da direcção e reafirma as declarações que fez na SIC. “Não abdico um milímetro do que disse na reportagem: há um preconceito, não nos polícias, mas na sociedade, a desconstruir”, sublinha, realçando que “o difícil é as pessoas terem consciência desse preconceito”.

“É preciso que as organizações assumam as suas responsabilidades sociais, incluindo os Sindicatos”, constata ainda Manuel Morais.

A demissão pode ser confirmada na reunião de dirigentes nacionais da ASPP que está agendada para segunda-feira, 27 de Maio.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. A atitude da ASPP é no mínimo cínica, uma vez que todos sabemos que o vice-presidente do sindicato não fez mais do que confirmar uma realidade inequívoca e bem conhecida. É estranho que os polícias não tenham pedido com a mesma veêmencia a saída do presidente de um dos vários sindicatos de polícia que integra, vergonhosamente, a lista do partido Basta, uma força política de raíz fascista, xenófoba e marcadamente racista.

  2. Está lá dentro e fala do que vê. Nós acreditamos ou não. As etnias minoritárias queixam-se desse racismo, mas por outro lado fazem muita asneira. Penso que se está a confundir racismo com falta de paciência para aturar marginais e falta de respeito pela autoridade.

  3. Creio que o Sr. Manuel Morais deverá estar a falar dele mesmo, e será muito provavelmente um auto-confesso racista, agora admira-me é que ele se dirija para os “mídia” e acuse toda a PSP de racísmo. Uma coisa é falar por ele, outra será falar por todos. Não creio que este Sr. tenha autoridade, nem pessoal, nem moral para acusar todos os seus colegas de racísmo até porque tenho a certeza que isso não será verdade.

  4. Esclarecido, és burro! Ele fez uma tese onde entrevistou muitos colegas. A conclusão é que existe racismo na psp. Ele nunca diz que os polícias são todos racistas. E diz mais, meu monte de merda, ele diz que existe preconceito e racismo em toda a sociedade. Qual a novidade?

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …